Alimentação básica em Londres – quanto custa?

Que Londres é uma cidade cara todo mundo sabe. Agora, o que nem todos sabem é que a cidade tem lá suas pechinchas. Uma delas é o que se compra no supermercado.

No último fim de semana fizemos nossa primeira grande compra pra abastecer a geladeira e a dispensa. Fomos ao Sainsbury na volta de uma tarde de domingo em Camden Town.

Compramos de tudo. De bolachas a macarrão. E o prejuízo não foi tão assustador quanto imaginávamos que seria.

O que acontece é que aqui você sente que seu dinheiro é valorizado. Afinal, não existem impostos exorbitantes embutidos nos preços do que se compra. Descontando o que se gasta com moradia e transporte, posso assegurar que mil libras em Londres tem um poder de compra infinitamente maior do que mil reais em qualquer cidade brasileira.

Ok, fazendo a convergência para a nossa moeda as coisas realmente ficarão caras, mas deixar o real de lado é a primeira coisa que você precisa ter em mente quando desembarca aqui. Se não fizer isso vai pirar.

A moeda da rainha hoje vale quase três vezes mais que a do Lula (no passado já foi cinco vezes mais forte). Daí a importância de planejar bem a viagem para não passar apuros.

Daqui um tempo vamos publicar quando se gasta por dia para viver em Londres – em pacotes de estudante e de executivo. =)

Pra encerrar deixo aqui o preço de algumas coisas básicas que compramos no supermercado:

Falha nossa: nunca fotografamos mercado. E aí que a única boa imagem de mercado luvre de direitos autorais era esta. Onde você acha que é? :)
Falha nossa: nunca fotografamos mercado. E aí que a única boa imagem de mercado luvre de direitos autorais era esta. Onde você acha que é? :)

(Os valores se referem aos preços que encontramos nas gôndolas dos mercados em 2010. Mas, acredite que se quiser: refizemos a pesquisa pelo site do Morrison’s hoje, 05/03/2013 e a maioria dos preços continua semelhante. Faça o teste você mesmo clicando aqui)

  • Batata (kg): £1,18
  • Maçã (kg): £0,84
  • Tomate (unidade): £0,64
  • Maço de brócolis: £0,95
  • Cebola (kg): £0,67
  • Folha de alface (unidade): £0,79
  • Kiwi (kg): £1,00
  • Laranja (unidade): £0,31
  • Cenoura (kg): £0,67
  • Coxa e peito de frango (700g): £3,00 – Tinha uma promoção compre um e leve dois
  • Queijo Edam (200g): £1,50
  • Peito de frango em fatias (10 unidades): £1,00
  • Tabasco: £1,40
  • Hellman’s light (200 g): £1,00
  • Chá Twinning’s Special Selection (caixa com 30 sachês): £1,39
  • Fettucine (500g): £0,62
  • Arroz (500g): £0,62
  • Cookie (500g): £0,81
  • Salsicha de porco congelada (20 unidades): £1,34
  • Oléo de girassol: £1,09
  • Azeite de oliva (125ml): £1,09
  • Sal (750g): £0,48
  • Açúcar (750g): £0,87
  • Orégano: £0,61
  • Suco de raspberry (1L): £0,99
  • Suco de laranja (1L): £0,56
  • Sabão para máquina de lavar roupa (faz 20 lavagens): £2,76
  • Cereal com fibras:  £0,64
  • Chocolate Cadbury (400g): £2,67
  • Café colombiano (500g) : £2,49

A soma dessa compra hipotética daria £33,98! Diz aê, tem bastante coisa, não tem?

Uma boa dica pra economizar é comprar produtos da marca do próprio supermercado. Ao menos quatro das grandes redes de supermercados de Londres (Sainsbury, Tesco , Morrison’s e Marks & Spencer) têm uma infinidade de produtos próprios, que chegam a custar menos da metade das outras marcas. E são de boa qualidade. Aproveite!

Chelsea campeão e a magia do futebol

Milton Neves diz que o futebol é a coisa mais importante das coisas menos importantes. (Agradeço ao leitor Maycon Dimas pela correção quanto ao real autor dessa poesia futebolística. A frase, na verdade, é de Arrigo Sacchi, ex-técnico do Milan e da Squadra Azzurra. No original, “Il calcio ê la cosa piú importante delle cose meno importante.”) Gosto muito dessa frase.

Quem nos conhece sabe que quando estamos em Curitiba e tem jogo do Coxa nem adianta ligar pra fazer algum convite porque nosso destino é o Couto Pereira. Por esse motivo, vir pra Londres e não sentir de perto o que é o futebol na terra de quem inventou o esporte seria a mesma coisa que não ver o Big Ben.

Por isso, ontem fomos ver de perto o jogo que (muito provavelmente) confirmaria a conquista da Premier League (campeonato inglês) pelo Chelsea Football Club, que coincidentemente carrega em seu escudo os mesmos CFC do nosso glorioso.

Saímos de casa e partimos em busca de um pub nos arredores do Stamford Bridge, situado na bela região de Fulham.

Ainda no ônibus já dava pra sentir o clima de decisão. Lojas decoradas em azul e branco, alguns camelôs vendendo produtos do Chelsea, pessoas uniformizadas nas ruas, muitos policiais, enfim…tudo como costumamos ver no Brasil.

camelôs londrinos
camelôs londrinos

Antes de ir ao pub fomos ver o Stamford Bridge de perto. O jogo tinha acabado de começar. De fora dava pra ouvir os gritos da torcida. Que vontade de estar lá dentro!

Seria fácil se os ingressos mais baratos não custassem nada menos do que 200 libras (cerca de 600 reais).

entrada principal do Stamford Bridge
entrada principal do Stamford Bridge
"mascotes" do Chelsea em um mural em frente ao estádio
“mascotes” do Chelsea em um mural em frente ao estádio

Turismo feito, fomos atrás de um pub. São vários nos arredores do estádio. O difícil foi conseguir entrar em algum. Todos lotadíssimos. Os Chelsea Fans enchiam até as calçadas.

Depois de uma breve caminhada e uma parada estratégica pra comprar cerveja – latão de Foster’s e várias outras iguarias europeias custam na faixa de £1,10 na maioria das Food & Wine (lojas de conveniências) de Londres – achamos um pub.

Infelizmente não me lembro do nome dele, mas era muito legal! Telão gigante, rock’n’roll rolando, pints geladas e um astral que não perde em nada pra nenhum bar brasileiro em dia de decisão.

Champione, champione! Olê olê olê
Champione, champione! Olê olê olê
sempre representando
sempre representando

O Chelsea só precisava ganhar do Wigan pra erguer a taça, pois tinha um ponto de vantagem sobre o Manchester United, que jogou em casa contra o Stoke City e meteu inúteis 4×0.

O placar não poderia ser melhor. Singelos 8×0 que fizeram o Chelsea chegar aos 103 gols na temporada e estabelecer novo recorde de gols no Inglesão.

Um gol atrás do outro, comemorações incessantes, tiração de sarro dos rivais vermelhos do Arsenal e, é claro, dos reds de Manchester:

Are you watching? Are you watching? Are you watching, Manchester?

Grande dia que provou mais uma vez que a poética tese de Arrigo Sacchi, que Milton Neves usa como se fosse dele próprio, é a mais pura verdade. Não importa o lugar no mundo em que você esteja.

O Pra Ver em Londres editou um vídeo com algumas imagens que fizemos ontem. Espero que consigam sentir um pouco da energia de um pub londrino em dia de final da Premier League!

Endereço e como chegar:

Stamord Bridge (Chelsea Stadium)

Fulham Road, Fulham, London SW6 1HS


Ver mapa maior

Como chegar: Linha verde do metrô (District Line) – Fulham Broadway Station

(o metrô é do ladinho do estádio, como você pode ver no mapa! ;)

www.chelseafc.com

 

Visto de estudante para Londres – cursos de longa duração

Antes de voltarmos a falar sobre coisas legais (muitos posts já estão sendo preparados), precisamos terminar de explicar essa parte chatinha de vistos.

Como prometi ontem, hoje estou aqui para falar sobre o visto para quem inventa de fazer curso longo, como nós! =)

Depois, ainda teremos que falar sobre visto de turista, mas esse aí vai ficar para depois do break (um postzinho com coisas beeem legais!).

Chega de papo; vamos ao que interessa.

Cursos de longa duração

A coisa não é tão simples para quem quer fazer curso de mais de três meses. O visto antecipado (aquele que você tem agendar e tal) é obrigatório. Além disso, alguns (vários!) documentos são exigidos:

*CAS (número eletrônico de matrícula): após a confirmação do pagamento de um curso, a escola emitirá o CAS, comprovando o curso pago;

*Prova de que nível mínimo de inglês intermediário;

*Extrato bancário ou carta do banco que comprove que, no momento em que está aplicando para o visto, você tem em sua conta o dinheiro exigido para cobrir as despesas mensais durante o período de estudo. Caso o original desses documentos esteja em português você precisará fazer uma tradução juramentada dele – e levar original e tradução ao consulado;

Cálculo:

– £800.00/para cada mês de curso em Londres

– £600.00/para cada mês de curso em outras cidades.

Para cursos de mais de nove meses, você só precisa ter o valor total para nove meses, ou seja, 7.200 libras ou 5.400 libras, dependendo de qual cidade vai estudar!

*Formulário impresso PBS Appendix 8 – General Student; preenchido à mão, em inglês;

*Formulário (online) Points Based System Tier 4 General Students – preenchido em inglês;

*Passaporte válido e duas fotos recentes 35mm x 45mm;

*Pagar a taxa da Embaixada.

Assustador, eu sei, mas é só juntar tudo certinho que não tem problema. Ah, e se você não se formou em um curso de inglês e tudo o que sabe aprendeu sozinho, não se preocupe: algumas escolas fazem testes de nivelamento e dão certificados aceitos pelo consulado. =)

A taxa do consulado deve variar de tempos em tempos, mas já vou avisando: é cara. Pagamos cerca de R$ 400,00 (um pouco mais) para podermos entrar aqui.

Recomendo que você dê uma olhada no site da UK Border Agency (basicamente o órgão que controla a entrada de imigrantes no Reino Unido). Lá estão esses formulários de nome estranho que você precisa preencher e quaisquer outras informações que você possa precisar.

Acho que esclareci as dúvidas básicas para o visto de estudante, né?

*Update em 12/05: A leitora Mariana perguntou se esse visto permite trabalhar. Eu tinha programado colocar aqui, mas esqueci. Sorry. Siiiim, ele permite, mas míseras 10h semanais. Impossível sobreviver ganhando 6 ou 7 libras por hora trabalhando só 10h por semana.

*Update em 05/03/2013: nada disso. Hoje em dia, o visto de estudante de longa duração NÃO permite trabalho. ZERO! Não vá contando isso – mesmo que tenha muita gente que trabalhe ilegalmente. A gente não aconselha. Não recomenda. É contra. Okok? :) Como diz o João, vamos deixar o jeitinho brasileiro do outro lado do oceano? :)

Se você tiver mais alguma dúvida, escreve para mim no contato@praveremlondres.com.br. Preparo um post especial com as dúvidas que vierem.

Nos acompanhem!

Beijos,

Natasha.

Visto de estudante para Londres – cursos de curta duração

Em um dos nossos primeiros posts, um leitor chamado Marcos pediu para que falássemos sobre coisas mais burocráticas, pra facilitar a vida de quem quer vir pra cá – como vistos, passagens, cursos bacanas, etc.

Confesso que há tempos estava para escrever esse post, mas a vontade de falar das coisas legais é sempre tão maior que eu fui procrastinando.

Finalmente chegou a hora de falar da “parte chata” de uma viagem: o planejamento. Como esta etapa é longa (e, na minha opinião, chata), vou dividi-la em diversos posts, para que eu não me estenda demais e garante que vocês leiam sempre até o fim.

Por onde começar

Já que estamos em Londres, mostrando para vocês como é a v     ida aqui, vou me focar sempre em como chegar até aqui, ok? Cada país tem suas próprias regras de imigração, mas vou falar sobre os procedimentos para conseguir o visto britânico.

E como existem vários tipos de vistos, vou fazer um post por vez, explicando o que vocês precisam saber para tirar cada um deles. Como viemos com o visto de estudante, é sobre ele que vou falar hoje.

Tirando visto de estudante

A maneira mais fácil de chegar até aqui de forma legal para ficar por um bom tempo é tirando o visto de estudante. E aí, existem duas opções: visto para cursos de curta duração e visto para cursos de longa duração.

Como são muitas informações sobre o visto para cursos de longa duração, hoje vou postar apenas o visto para cursos de curta duração. Amanhã, entra o post com os detalhes para o visto como o nosso, ok?

Cursos de curta duração

Para cursos de até três meses não é preciso visto prévio. Ou seja, você não precisa agendar entrevista no consulado, pagar taxa consular, juntar milhões de documentos e ir ao consulado entregar tudo.

Basta comprar um curso, encontrar um lugar para morar (nada de deixar para ver quando chegar; eles exigem endereço definido na chegada), ter dinheiro suficiente para se manter (algumas vezes eles pedem para você mostrar o que trouxe em cash e o que tem de reservas) e comprar passagem de ida e volta (importantíssimo mostrar que você já sabe quando vai voltar ao Brasil).

Na chegada a Londres, depois de uma pequena conversa com alguém da imigração, seu passaporte é carimbado e você tem a autorização para entrar no país.

Ah, não falei do passaporte porque parecia meio óbvio, mas acho que nunca é demais lembrar: para viajar para Londres, você precisa ter um passaporte válido por no mínimo seis meses. Para fazer seu passaporte (primeiro ou não), acesse o site da Polícia Federal e siga as instruções.

Esse visto não te dá a permissão de trabalhar. Não mesmo!

Simples, não?!

Se você ficou com alguma dúvida, deixe um comentário ou escreva um email para contato@praveremlondres.com.br. Teremos muito prazer em ajudá-lo.

Nos próximos dias, você verá mais posts deste tipo por aqui. Nos acompanhe!

Natasha.