Windsor, Cheddar Gorge, Bournemouth e Durdle Door: let’s go get lost

O Pra Ver em Londres nos proporcionou muita coisa legal. Conhecemos pessoas incríveis, fizemos grandes amizades e guardamos memórias inesquecíveis das aventuras que vivemos com essa galera.

Conhecemos a Dy e o Rodrigo no encontro que promovemos num pub em Camden. E não demorou para marcamos uma road trip pelo UK com eles. Havia alguns lugares que queríamos muito ir e eles também estavam loucos para pegar um carro e se jogar na estrada. Então, combinamos a data com eles, alugamos um carro e viajamos por dois dias. O destino: Windsor, Cheddar Gorge, Bournemouth, Durdle Door, London.

Esse foi o nosso roteiro. Quase 600km de estrada!
Esse foi o nosso roteiro. Quase 600km de estrada!

A primeira parada foi Windsor, cidade em que dorme a rainha em seu imponente castelo construído no século XI e que hoje é o maior castelo habitado do mundo. A viagem é curta. São apenas 40 km a oeste de Londres.

Chegamos lá ainda de manhã, demos uma volta pela cidade, que é bem pequena por sinal, e logo seguimos viagem. Decidimos não conhecer o interior do castelo porque as filas estavam imensas e nossa viagem estava apenas começando, ainda tínhamos muita estrada pela frente. Seguramente dá pra dizer que um dia é suficiente pra curtir legal a cidade. Fica a dica para uma day trip.

Ah, na época não sabíamos, mas Windsor também abriga a Legoland, um parque construído inteirinho de Lego. Uma boa opção para levar os pequenos. Ou ainda, para os grandinhos que querem voltar a se sentir criança. Isso sempre vai bem. =)

Windsor Castle: Preços para visitação

  • Adultos: £16.50
  • Acima de 60 anos/Estudantes (com identificação): £15.00
  • Menores de 17 anos: £9.90
  • Menores de cinco anos: Grátis
  • Família (2 adultos e 3 menores de 17 anos): £43.50

Clique para mais infos.

Viajar sem rumo é bom demais

Quando saímos de Windsor ainda não sabíamos exatamente para onde íamos, então folheamos os guias em busca de algo que nos chamasse a atenção. Após alguns debates decidimos rumar em direção a  Cheddar Gorge (sim, foi lá que nasceu o famoso queijo).

Mas o motivo maior de escolhermos Cheddar como destino era a paisagem que vimos nas fotos. Uma estrada de 5 km percorre a base de um desfiladeiro.

A cidade é um pequeno vilarejo de pouco mais de cinco mil habitantes. Vale uma passada para percorrer a estrada que tem um visual bem diferente e comer um queijo excepcional nas lojinhas turísticas.

Há também umas cavernas que a gente pagou pra ver, mas se arrependeu. Numa escala de 0 a 10 a nota seria 6,5. Interessante, mas um tanto tedioso. Aqui você pode ver uma série de infos sobre Cheddar e umas fotos bem legais também.

Depois de Cheddar seguimos em direção a Bournemouth, uma simpática cidade litorânea que é destino de muitos estudantes do mundo todo. Foram aproximadamente 3h de viagem para percorrer cerca de 140 km.

No trajeto, passamos por estradas rurais e pequenos vilarejos de que mostravam uma Inglaterra que poucos imaginam existir. O que mais nos impressionou foi a condição das estradas. Todas impecáveis, mesmo as mais remotas.

Já em Bournemouth, o desafio foi encontrar um lugar para dormir. A cidade estava movimentada. Vários hostels e hotéis lotados. Após uma longa procura encontramos um bed&breakfast que tinha apenas um quarto com uma cama de casal disponível. Vimos com o gerente a possibilidade de ele jogar um colchão extra no mínusculo quarto. Ele topou. E melhor, não cobrou extra! Apenas £ 40 para dividir em quatro. =D

Do hotel, fomos dar uma volta pela cidade. Já era noite e estávamos com fome. O cheddar da tarde já não era suficiente. Acabamos num pub comendo um fish and chips 100% nojento que pingava óleo (é, faz parte) e tomando umas pints. Em seguida compramos uma cervejas e fomos beber na praia acompanhados por muito frio e uma lua cheia espetacular.

Pena que a câmera que estávamos não era das melhores, mas como o que vale mesmo é a lembrança, impossível não sorrir ao lembrar dos bons momentos e das risadas que demos por la.

Ainda sobre as fotos, hum, a gente esqueceu de fotografar a cidade. Sorry.

Péssimas fotos, mas grandes lembranças. Cheers, lovely Bourne

No dia seguinte acordamos cedo e partimos em direção ao lugar mais esperado por todos: Durdle Door. Tínhamos visto fotos espetaculares de Durdle. Daí o desejo e a ansiedade em conhecer o lugar.

Uma bela praia, situada abaixo de um grande penhasco, com águas límpidas e uma curiosa formação rochosa em forma de arco poucos metros mar adentro.

O acesso é bem tranquilo, a entrada é grátis, mas paga-se estacionamento. Se não me engano, algo como £4 por duas horas.

Ventava muito. Muito mesmo. E o frio não era pouco. Mas a paisagem compensava. O lugar é realmente espetacular. As fotos falam por si só.

Passamos algumas horas lá, sentados na praia de pedrinhas e, depois, no alto do morro contemplando o visual do penhasco.

O caminho de volta para Londres era o trecho mais longo da viagem: 200km.

Chegamos e já era noite de domingo. Como íamos devolver o carro somente no dia seguinte, deixamos a Dy e o Rodrigo em casa e fomos para a nossa. Exaustos, mas felizes por termos feito uma viagem inesquecível e certos de que a Inglaterra é um país lindo e surpreendente.

 

PS: No dia 07/02/2013, quando atualizamos este post, rolou na internet um vídeo falando sobre o que Bournemouth tem a oferecer. Um vídeo bem “british humour” que a gente acha que você deve assistir… :)

Blogagem Coletiva – Os sete (ou seriam 8?!) links de destaque do Pra Ver em Londres

Lembra que há algum tempo fizemos um post com as cidades que, na nossa opinião, mereciam ser visitadas várias vezes e aquelas que achávamos que um pulinho só bastava, o “Visitar uma vez só ou várias?? Então, aquela foi a primeira “Blogagem Coletiva” da qual participamos.

E aí que há uma semana percebi que tava rolando outro movimento como este na rede de twitteiros viajantes, com a proposta de reunir sete posts de destaque dos principais blogs de viagens do Brasil, mas como precisávamos ser convidados por um outro blogueiro participar, resolvemos esperar para escrever o nosso texto.

Até que ontem, a querida Claudia, do excelente A Viagem Certa, nos colocou na sua listinha de convidados e, então, começamos a pensar em quais links incluiríamos neste post. O resultado você confere a seguir! ;)

1) O post mais bonito: Um ensaio sobre o Big Ben

Ficamos bem divididos na escolha deste post, já que há muita coisa que a gente considera liiiinda por aqui. Mas no fim das contas concluímos que a homenagem que o João fez ao Big Ben era o post mais bonito de toda a história do Pra ver em Londres. Se você ainda não viu, vale o clique. Se já viu, fica a dica para reler (e rever!) e se apaixonar mais um pouquinho por este que é um dos principais símbolos da nossa eterna lovely London.

Além de ser o post mais bonito, tem algumas das fotos mais bonitas. Esta, por exemplo, a gente ADORA! :)
Além de ser o post mais bonito, tem algumas das fotos mais bonitas. Esta, por exemplo, a gente ADORA! :)

2) O post mais popular: Road trip 1: Stonehenge

De acordo com a nossa ferramenta de publicação, o post mais popular não é este. Porém, contudo, no entanto, destaco aqui o segundo mais popular, já que road trips pela Inglaterra são imperdíveis e day trips para quem está em Londres também é uma ótima pedida. Além disso, o conteúdo dele também é bem instigante e tem o objetivo de animá-lo a conhecer as misteriosas pedras também!

Ah, e fica a dica pra conferir nossas outras day trips (Oxford e Bath) e também a continuidade da nossa road trip: que fala sobre Andover e Winchester.

Uma viagem inesquecível, com excelentes companhias e que nos rendeu um dos posts mais populares!
Uma viagem inesquecível, com excelentes companhias e que nos rendeu um dos posts mais populares!

3) O post que gerou mais discussão/controvéria: Visitar uma vez ou várias?

Na primeira Blogagem Coletiva, falei que, na nossa opinião, Paris não merece mais do que uma visita. E aí, como eu já esperava, alguns quiseram me apedrejar. Por isso, acredito que este tenha sido o post mais polêmico do blog. Além disso, ele ótimo porque reúne boas dicas pros viajantes de plantão! :)

O motivo de tanta discussão é porque Parrí, na nossa opinião, merece UMA visita. Concorda ou vai criar mais polêmica?! :)
O motivo de tanta discussão é porque Parrí, na nossa opinião, merece UMA visita. Concorda ou vai criar mais polêmica?! :)

4) O post que ajudou/ajuda mais gente: Quantas libras um estudante precisa por mês para viver em Londres? e Dinheiro, cartão de débito/crédito, Visa Travel Money. O que trazer?

Vários de nossos posts ajudam a galera que pretende morar em Londres ou até mesmo viajar pela Europa, mas acho que os dois citados acima se destacam. Sabemos que a ideia era escolher um só, mas eles estão super relacionados e são bem importantes pra qualquer um que vai pra terrinha amada. :)

Lembrando que pode até ser que os dados estejam desatualizados, já que faz dois anos que voltamos de lá, mas eles refletem EXATAMENTE como era a NOSSA vida por lá, ok?!

 

Post que fala sobre dindin só podia ajudar muuuita gente mesmo, né?! :)
Post que fala sobre dindin só podia ajudar muuuita gente mesmo, né?! :)

 5) O post que o sucesso me surpreendeu: Trabalho em Londres e o que fazemos para nos manter

De fato, este é o post MAIS popular do Pra Ver em Londres. Mais acessado e com mais comentários. Sabemos que o tópico “trabalho no exterior” tem bastante apelo, mas achamos curioso que um texto que fala sobre como NÓS nos mantínhamos em Londres se destacasse tanto entre tantos que na nossa visão eram mais úteis para os leitores. Porém, a gente escreveu ele justamente porque MUITOS dos nossos leitores nos perguntavam como pagávamos nossas contas na cidade e o resultado foi uma enorme quantidade de acesso e de dúvidas.

Olha aí o "escritório" do João na nossa casinha londrina...
Olha aí o “escritório” do João na nossa casinha londrina…

6) O post que não recebeu a atenção que deveria: Pra Ver em Londres sob duas rodas

Em julho do ano passado, tivemos o privilégio de testar o novo sistema de transporte público de Londres: as bikes. Neste post, contamos como foi a experiência, explicamos como ia funcionar o sistema de aluguel de bicicletas na cidade e até fizemos um vídeo mostrando o nosso passeio de teste. Foi um post que fez menos sucesso do que esperávamos, já que testamos em primeira mão e achamos que todo mundo ia ficar tão empolgado quanto a gente.

Bem, esta é a oportunidade de fazê-lo ter a visualização que merecia. Bora reler?! :)

Pra Ver em Londres sob duas rodas é um post que merece sua visita! :)
Pra Ver em Londres sob duas rodas é um post que merece sua visita! :)

Aproveite pra assistir Djá o vídeo! ;)

7) O post do qual tenho mais orgulho: Disneyland Paris: toda a magia de Walt Disney World na Europa

Escrevemos este post a quatro mãos. Aham, eu escrevi uns trechos e o João outros. No texto, marcamos com negrito a opinião do João e deixamos “normal” a minha. Morro de orgulho desse post porque ele é extremamente sincero de ambas as partes e, ainda, traz a dica de Paris que, na minha opinião, é a melhor de todas! =D

Yeeeey, Branca de Neve e seu príncipe mandam um "até logo" diretamente da Disneyland Paris! ;)
Yeeeey, Branca de Neve e seu príncipe mandam um “até logo” diretamente da Disneyland Paris! ;)

E aí, curtiu relembrar estes oito posts? A gente adorou fazer parte dessa Blogagem Coletiva, e agora indicamos os seguintes blogueiros para também fazerem as suas:

The Way Travel
Caminhos Viagens
Dri Everywhere
Mapa de Londres
Canal Londres
Básico e Necessário

São todos blogs excelentes que a gente SUPER recomenda a visita! ;)

Beijos,
Nah e João.

Casa de estudante – Boa opção pra quem fica pouco tempo

Não foi uma, nem foram duas vezes que recebemos emails de leitores que vão para Londres e querem saber nossa opinião sobre as famosas residências estudantis. Porém, como a gente NUNCA ficou em uma, ficava difícil ajudar.

E aí que recentemente, graças à  nossa parceria com a UKstudy, “enviamos” uma amiga minha para fazer um curso de curta duração por lá e ela preferiu optar por esse tipo de moradia. Assim, resolvemos convidá-la a contar para você como está sendo essa experiência. O nome dela é Bruna e abaixo você confere o relato dela… :)

Esperamos que você goste do que ela tem pra contar. Qualquer dúvida, já sabe, né? Griiiita! :) Email, Facebook, Twitter e comentários estão sempre abertos para te ajudar!

Boa leitura. A gente volta no final! ;)

Casa de estudante – Boa opção pra quem fica pouco tempo

Morar em uma casa de estudante como a minha, que mais se parece com um apartamento com muitos flats, é uma boa opção apenas para quem vai ficar pouco tempo em Londres como eu. Em termos financeiros, para os padrões brasileiros, especialmente, morar neste tipo de acomodação custa caro. Já pra quem mora pela Europa, já deu pra perceber pelas conversas que tive, o preço é normal e até barato.

Quando a Nah me convidou pra escrever sobre este assunto eu me senti super confortável, já que já beiravam duas semanas que eu estava aqui em Londres e especialmente porque a partir do décimo dia aqui, meio que eu estava me sentindo em casa. Claro que o tempo vai passando e a gente vai sentindo algumas dificuldades, como a necessidade de lavar roupa e ainda não estar a par de como isso funciona aqui, coisas básicas, hehe.

Fora isso, como disse, me sinto super em casa aqui no meu grande quarto (sim, o meu quarto é enorme!). Bem, eu moro no flat de número 80 no terceiro andar de uma das partes da Donald Hunter House. Na verdade, fora as pessoas que dividem o flat comigo, eu praticamente não vejo ninguém, não há uma área comum para todos os flats, por exemplo. Então é super privado, seguro, confortável, quaseeee como estar em casa mesmo (por um tempo…).

A casa da Bruna durante sua temporada em Londres..
A casa da Bruna durante sua temporada em Londres..
Olha aí parte do quarto da Bruna. Segundo ela, ele é enorme e confortável...
Olha aí parte do quarto da Bruna. Segundo ela, ele é enorme e confortável…

 

... parece mesmo bem gostoso! :)
… parece mesmo bem gostoso! :)

Cozinhona, hein? :)
Cozinhona, hein? :)

Relacionamento com os flatmates

No meu flat moram (ou moravam, melhor dizendo) cinco pessoas. Cada uma com seu quarto. Duas colegas, que inclusive estudavam na mesma escola que eu, já não estão mais aqui. Uma mudou de residência e outra já foi pra casa na Espanha. As outras duas meninas que moram aqui eu praticamente não vejo. Pelas poucas vezes que conversei com elas soube que elas são aqui de Londres mesmo. Uma delas é toda cheia de regras, coloca avisos na porta do banheiro e fica querendo dar algumas lições domésticas, e a outra eu quase não noto a presença…

Com as meninas que estavam morando aqui antes (uma de Portugal e uma da Espanha) a convivência era super legal e pacífica. Alguns dias fazíamos as refeições juntas, chegamos até a fazer uma sopa para dividir nos primeiros dias. Tudo super bem e na paz. Aqui praticamente só se fala em inglês, salvo alguns dias que não conseguíamos nos entender o português e o espanhol rolavam pra facilitar nossas vidas. :)

Conclusões

Em resumo, ficar em um lugar como o que estou vale a pena somente pra quem realmente vai ficar pouco tempo. Todas as pessoas brasileiras com quem conversei acham que pago caríssimo. São 25 libras por dia, o que dá 175 por semana e mais de 700 por mês para ter um quarto individual, pra mim super confortável. A cozinha também é enorme e há dois banheiros dentro do flat. Creio que seja bem diferente de casa de família, em que você tem bem mais regras a seguir… aqui eu chego e saio a hora que quero e me sinto super segura em deixar meus pertences no meu quarto.

A minha casa não fui eu quem escolhi, foi a escola quem indicou. Se for pelo conforto, segurança e privacidade dou quase que nota 10 pra minha casa. Ela só não é muito bem localizada, fica em Forest Gate, um bairro bem simples de Londres, mas que na verdade tem uma ótima ligação com o centro. Em meia hora eu chego na minha escola que fica em Holborn.

Forest Gate não é uma delícia de bairro para passear, mas tem de tudo. Do lado da minha residência tem mercado, loja de artigos para casa, padaria, açougue, Mc Donald’s, Pizza Hut… e também bem pertinho daqui tem um shopping enorme. Caso você que pensa em vir para Londres estudar encontre uma opção de residência mais central, não pense duas vezes. Se não rolar, isso não será um grande problema, eu me viro bem. ;)

Espero que tenha conseguido passar minhas impressões sobre viver em uma casa de estudante de forma clara. Lembrando que essa residência mais se parece com um apartamento. Falo isso porque estive em uma outra residência e ela realmente parecia uma casa de estudante com, vários quartos. Diferente daqui… Menos pessoas e, consequentemente, mais fácil de esbarrar com as outras pessoas em uma única cozinha. Aqui é como se fossem várias residências dentro de uma enorme, se é que dá pra me compreender (hehe).

Até!

Bru Tower Bridge

Bruna.


Pra encerrar

Nah e João na área de novo!

Obrigada pela participação aqui no blog, Bru. Foi muito bom ter sua história contada aqui. :)

Então… deu pra ter uma boa ideia de uma vida em uma residência, né?! A gente concorda com a Bruna que quem vai ficar mais tempo (de 3 meses em diante, por exemplo) não deve escolher esse tipo de acomodação, pois realmente sai mais barato achar um quarto em uma casa ou apartamento, por exemplo, e nesses lugares você se sente ainda mais EM CASA – como foi com a gente. ;)

 

Beijos,
Nah e João.