Scilla: uma bela surpresa do Sul da Itália

pravernomundoSe tem uma coisa que eu adoro como viajante é poder conhecer uma cidade com a ajuda de quem a conhece bem. Assim, logo que decidimos que o sul da Itália estaria nos planos da nossa lua de mel dei pulinhos de alegria por saber que uma grande e linda amiga minha de infância que há anos mora em Reggio di Calabria estaria por lá.

E não poderia ter sido melhor. Dona Vanise não apenas nos recebeu super bem como deu as melhores dicas de insider do mundo. A praia que vou te apresentar hoje é uma delas. Vem comigo!

Ni, minha linda, obrigada por tudo. Sou só orgulho da mulher sensacional que você se tornou. Batalhadora, guerreira, determinada, sonhadora, você é um exemplo. Que podemos nos rever muitas vezes por aí, por aqui ou em qualquer lugar do mundo. <3
Ni, minha linda, obrigada por tudo. Sou só orgulho da mulher sensacional que você se tornou. Batalhadora, guerreira, determinada, sonhadora, você é um exemplo. Que possamos nos rever muitas vezes por aí, por aqui ou em qualquer lugar do mundo. <3

Como tudo começou…

Como já falamos algumas vezes, um dos motivos para incluirmos o sul da Itália no roteiro dessa trip do ano passado foi o fato de que o João precisava finalizar o processo de cidadania italiana dele e tinha um advogado ítalo-brasileiro que fazia a ponte que era lá do bico da bota.

Por questões burocráticas, nossos 10 primeiros dias na Itália foram em Mammola, uma cidadezinha minúscula na Calabria com pouco mais de três mil habitantes (!) e da qual agora meu marido é cidadão. \o/

mammola1

mammola
Apesar de muito fofa, Mammola não tem nenhum grande atrativo, então não vou me estender nos detalhes sobre ela. Se quiser saber mais, clique aqui.

Passados esses dez dias, por um problema de comunicação (ou de sacanagem dos caras da cidadania, nunca vamos saber ao certo) acabamos viramos sem-teto na Itália. AHAM. haha. A justificativa deles é que aquela parte do processo tinha sido finalizada e que nossa acomodação lá não fazia mais parte do contrato (coisa que não tinham nos explicado antes). Desesperada, fui atrás da minha amiga para ver o que poderíamos fazer (sabendo que por mais que ela oferecesse a casa dela, lá não ia rolar ficar, porque o apê era pequeno). A ideia que ela nos apresentou ou reproduzo neste diálogo:

  • Nah: Ni, não sei o que fazer. Não temos onde ficar. Ou adiantamos o restante da nossa trip ou teremos que desembolsar uma grana em acomodação que não podemos.
  • Ni (bem de boa, do jeitinho fofo dela): Ai, amiga, fica calma. Vai dar tudo certo. Olha só, eu tenho uma amiga que tem uma casa em uma praia que fica bem pertinho aqui de Reggio que é enorme, e ela tá sozinha lá. Certeza que vocês podem ficar com ela esses 15 dias.
  • Nah (um pouco mais calma): Ai, Ni, não sei. Não é chato?
  • Ni (rindo da minha cara): Cala boca, amiga. É bem de boa. Vou fazer meu aniversário lá no sábado. Vocês vão comigo, dormem lá, conversam com ela e vêm como fica.
  • Nah (aliviada): Tá bom então, Ni. Fechou. :)

Nos mandamos para Scilla no começo da madrugada de sábado. Como chegamos tardão, nem tivemos tempo de ver nada. Dormimos na casa de um amigo da Ni que ficava em um “bairro” chamado Chianalea. Estava muito escuro para ver qualquer coisa da janela,  então capotamos! Quando acordei com o barulho do mar resolvi dar uma olhadinha e me deparei com esta imagem:

Só pra constar: não há uma ediçãozinha sequer nessa foto!
Só pra constar: não há uma ediçãozinha sequer nessa foto! No fim do post mostro um pouco mais de Chianalea. Guentaê! :)

… Naquele mesmo momento concluí que não ia ser difícil passar os tais 15 dias nesse pedaço do paraíso no sul da Itália. :)

A primeira cena da vida real que vimos no sábado de manhã foi esta. Muito Itália, né? <3
A primeira cena da vida real que vimos no sábado de manhã foi esta. Muito Itália, né? <3

Scilla em foco

Antes de mais nada, localize-se!  A) Milão B) Roma C) Reggio di Calabria D) Scilla
Antes de mais nada, localize-se!
A) Milão
B) Roma
C) Reggio di Calabria
D) Scilla

23 quilômetros separam a capital da província, Reggio di Calabria, de Scilla, cidade que fica no estreito de Messina e é composta de três partes: o centro, Chianalea e a Marina de Scilla, uma praia de águas transparentes de temperatura agradável (depois dos 5 primeiros minutos, claro), pedrinhas, Lidos (como o da foto abaixo), lanchonetes, restaurantes, hotéis e casas de veraneio de alguns privilegiados – inclusive da mais querida “calabresa” de todas, nossa anfitriã Chiara (a amiga da Ni).

    O tal "Lido". No verão, a praia é tomada por cadeiras de praia e guardas-sol pelos quais se paga 10 euros para usar o dia todo.
O tal “Lido”. No verão, a praia é tomada por cadeiras de praia e guardas-sol pelos quais se paga 10 euros para usar o dia todo.

Nos 15 dias que passamos lá, choveu mais ou menos meia hora. Nas outras muitas horas pegamos sol e calor e aproveitamos mergulhando com peixinhos coloridos no mar, saboreando deliciosos panini, macedonia (hummm… salada de fruta fresquinha), cornetto (croissant italiano), birras geladas, etc. etc. etc.

Essa é pra você entender a história do "mergulhando com peixinhos coloridos". Olha a cor dessa água! Com um óculos de mergulho simples e sem precisar ir muito no fundo você já aproveita demais o que esse marzão boniiito tem a oferecer!
Essa é pra você entender a história do “mergulhando com peixinhos coloridos”. Olha a cor dessa água! Com um óculos de mergulho simples e sem precisar ir muito no fundo você já aproveita demais o que esse marzão boniiito tem a oferecer!

Como se não bastasse tudo isso, Scilla ainda abriga um castelo de onde vimos um pôr do sol lindíssimo – arrisco dizer que foi um dos mais belos que já vi na vida. A entrada no Castello dei Ruffo custa simbólicos 2 euros, e dentre as poucas informações disponíveis a seu respeito está o fato de ele ter sido construído em meados do século IX.

Quando o visitamos, pudemos passear pela estrutura (que inclui esse farol lindão cercado de flores da foto abaixo), curtir o incrível visual e ainda conferir uma exposição fotográfica que mostrava o fundo do mar da da Calabria. Bem bacana. :)
farol

Chianalea vista do Castello
Chianalea vista do Castello dei Ruffo

beach

Lá se vai o sol se dormir atrás de Messina...
Lá se vai o sol se dormir atrás de Messina…

boatAlém de tudo isso, ainda fomos presenteados com uma cena belíssima um dia enquanto trabalhávamos em um café no centro da cidade. Era mais ou menos 17h30 quando escutamos o sino da igreja ao lado badalar e concluímos que uma cerimônia de casamento estava chegando ao fim (a pompa dos convidados denunciava isso). Corremos para a porta e de pertinho vimos a saída dos noivos e a liberação de dois pombos brancos. Fechou nossa temporada em Scilla com chave de ouro. O João fez este belo registro:

weddingPor todos esses e por vários outros motivos (a simpatia do povo, a culinária deliciosa, as facilidades da vida por lá, as vespas espalhadas por todos os cantos…), Scilla nos encantou. Entrou pra lista de cidades preferidas do mundo, cidade que pretendemos revisitar e passar mais alguns dos dias mais felizes de nossas vidas. Uma cidade que mostra que é preciso ter muito pouco para ser feliz.

Foi bem difícil escrever esse post pois apesar de ser pequena em tamanho, Scilla é enorme em qualidades, e daria para falar mais e mais e mais sobre ela, além de postar um milhão de fotos. Porém, meu objetivo aqui é convencê-lo a incluir esse pedaço do paraíso na terra em seu roteiro pelo Sul da Itália (consegui até aqui?), então para concluir dou uma mãozinha no planejamento com dicas práticas. Que tal?

Vamos começar pelo “como chegar…”

Como disse anteriormente, a maior cidade próximo de Scilla é Reggio di Calabria. De Reggio, a melhor maneira de ir para Scilla é, sem dúvidas, de carro. Em 20 minutinhos você vai de uma cidade a outra pela autoestrada A3 ou, se preferir, pode ir por dentro das cidades que ficam no caminho, admirando toda a italianice e, em 30/40 minutos você estará lá. Manda ver no GPS e vai com fé. :)

Caso você não esteja de carro, dá para ir de trem. Aliás, de trem você consegue cruzar a Itália de Norte a Sul, como contamos neste post. :)

Para isso, basta acessar o site da Trenitalia e buscar a passagem ideal. Antes de mais nada, se assim como eu você no parla italiano, troque o idioma da página para o inglês. Depois, na busca, troque “ticket” por “passes”, pois na opção ticket ele só busca trens Le Frecce, eo Le Frecce não faz esses trechos regionais.

Deu pra entender?
Deu pra entender?

Depois disso, apesar de você poder visualizar os horários dos trens pode ser que não consiga comprar sua passagem online, porque são estações menores e às vezes é preciso comprar pessoalmente. Mas pelo menos você tem as informações que precisa para se planejar, né? A viagem de trem entre Reggio e Scilla dura mais ou menos 40 minutos e o preço gira em torno de 10 euros.

Dependendo de onde você estiver antes de chegar a Reggio di Calabria você pode ir pra lá de trem, carro, ônibus e avião. A cidade tem o aeroporto Tito Menniti e lá pertinho tem também o Lamezia. Dá uma pesquisadiola! ;)

Onde ficar?

Como a gente ficou na casa de uma amiga não podemos recomendar especificamente um hotel/hostel em Scilla. No entanto, para não deixá-lo na mão pesquisei algumas opções (não vou ganhar nada por isso, ok? :). Aqui, ó:

Agora é com você. Defina datas, como chegar, onde ficar e APROVEITE! Entre nos restaurantes que for com a cara, passeie pelas ruas que achar mais encantadoras, compre seu snorkel, óculos de mergulho, pé-de-pato e vá nadar com peixinhos coloridos. Você vai se divertir. Só não vá fazer como o João e se deixar queimar por uma água-viva. Machuca. :)

Ah, e largue o carro. Passeie por Scilla a pé. Enfrente as escadas para subir e descer do centro (a não ser que decida fazer como nós e ficar 15 dias, porque aí complica. hehe), vá da Marina a Chianalea fazendo uma deliciosa caminhada e observe todos os detalhes a sua volta. Seus dias por lá ficarão ainda mais incríveis assim!

Pra encerrar deixo você com mais umas fotinhos dessa terra encantadora…

nah

Só nesse mirante dá pra passar umas boas cinco horas. haha. Muito lindo. Sério!
Só nesse mirante dá pra passar umas boas cinco horas. haha. Muito lindo. Sério!
Chianalea é incrível...
Chianalea é incrível…
... tanto de dia...
… tanto de dia…
... como à noite! Reserve um tempo para explorá-la com carinho. Lá há muitos restaurantes e bares bacanas.
… como à noite! Reserve um tempo para explorá-la com carinho. Lá há muitos restaurantes e bares bacanas.

Bora sair do roteiro clássico italiano Roma-Florença-Veneza-Pisa e explorar o sul também?! =D

Beijobeijo e até a próxima,
Nah.

O que fazer em Londres esta semana? (03-09/06)

Junho chegou, galera! E com ele vem o resultado da nossa primeira grande promoção. Como anunciamos aqui, um(a) leitor(a) nosso(a) vai ganhar um ensaio fotográfico pra lá de bacanudo em Londres neste mês. No sábado, depois de uma reunião por Skype com o fotógrafo que é nosso parceiro nessa, escolhemos três grandes finalistas, que ao longo dessa semana conversarão com o Fernando para que ele, então, decida quem será o grande vencedor. :)

Foi BEM difícil selecionar só três respostas para a grande final porque, sério, tinham muitas respostas legais. Eu, como manteiga derretida, fiquei com o coração apertado por não poder dar esse grande prêmio para TODOS os participantes. Mas, fazer o que, né? Tenho certeza que outras promoções virão e que poderemos premiar mais gente legal com presentinhos legais.

Como disse ali em cima, agora a grande decisão fica por conta do fotógrafo. E eu só vou contar aqui quem ele escolheu quando já estivermos com as fotos em mão, para podermos fazer um post bem legal. De acordo? ;)

Dito isso, vamos ao assunto do post de hoje. As dicas do que fazer em Londres na semana que se inicia.

literature

O Festival de Literatura de Londres, que tá rolando no Southbank Centre desde o dia 21/05 e vai até 08/09, é uma ótima oportunidade para você conhecer novos autores (locais e internacionais), reabastecer a biblioteca, assistir a palestras bacanas, acrescentar livros na sua to-read list, etc. etc. etc.

Tudo o que você precisa saber sobre o evento você encontra aqui e aqui. Programe-se e confira!

god-save-the-queenContinuam as comemorações pelos 60 anos de reinado de Elizabeth II. Nesta semana, o destaque da programação é um evento musical que tem tudo para ser sensacional. O Visit London explicou em detalhes neste post o que vai rolar no Royal Festival Hall, mas o fato é que música clássica SEMPRE vai bem, e por nove librinhas um eventão como este é imperdível. Concorda?

O espetácul musical que reúne artistas de diversos grupos e corais diferentes começa às 19h30, e para chegar ao Royal Festival Hall você precisa descer na estação Waterloo do metrô de Londres, que tem as linhas Bakerloo (marrom), Jubilee (cinza), Northern (preta) e Waterloo & City (verde água).

incrediblesO Kew’s Summer Festival deste ano destaca a extraordinária diversidade de plantas comestíveis (edible plants – por isso o festival se chama incrEdibles :).

O site do evento (aqui!) tem todos os detalhes e deixa qualquer um louco para ver tudo isso de pertinho, mas já adianto que a peça central, Tutti Frutti, tem uma ilha com um abacaxi gigante que inclui barcos que se parecem com fatias de mamão, melão e pêra. Além disso, o jardim global, no Great Lawn, possui mais de 90 plantas comestíveis de todo o mundo, juntamente com histórias sobre suas origens e herança cultural. Tem ainda um lugar para aprender tudo sobre plantação de café, outro com dicas de horticultura e muito mais.

Você tem até 03/11 (!) para visitar o Royal Botanic Gardens e conferir essas atrações. Porém, nem tudo dura até o fim do evento, então vale muito a pena clicar aqui e se informar sobre o que rola até quando.

O preço normal é £16, mas crianças e adolescentes até 16 anos não pagam entrada. Para chegar lá de metrô você precisa ir até a estação Kew Gardens (zona 3), que tem a District Line (verde) e o Overground (laranja).

picnicCom tantos parques lindos, Londres é uma cidade perfeita para quem, como nós, curte estirar uma canga na grama (na falta do combo areia + mar), levar uns quitutes e namorar ou curtir os amigos em um dia de sol. E aí que a sugestão pra esta quinta-feira (que, caso seja dia útil pra você ou o dia esteja ruim, pode ser transferida pro fim de semana, sem problemas) é esta: corre pro parque que você mais gosta, mais perto da sua casa/hotel/trabalho/hostel e passa umas horinhas à toa por lá. Que tal?

Você pode, de quebra, aproveitar para fazer um estudo sociológico dos londoners e dos turistas. Não é o máximo? :)

Agora, se você busca comodidade e não tá afim de preparar sua própria cestinha de delícias, aqui vai a dica quente do momento: tem empresas que podem fazer isso por você! =D

Tá certo que os preços são meio salgados, mas para uma ocasião especial pode ser uma boa. Que tal? Este post do Visit London apresenta algumas opções. Aproveite! ;)

zoo-lates-2013-new-13581No ano passado, o Zoo Lates, evento que permite que londoners e turistas visitem o zoológico da cidade depois do seu horário normal de funcionamento, foi um sucesso absoluto. Por isso, esse ano tem mais.

A partir desta sexta-feira, dia 07, e até a primeira sexta-feira de agosto, dia 02, toda sexta à noite tem uma programação especial rolando por lá. 

Fiz uma busca por ingressos e descobri que para as primeiras datas já estão todos vendidos. Porém, a partir do dia 28 deste mês é possível encontrar para todas as outras datas.

Sei que tem muita gente que critica zoológicos porque em alguns mundo afora os animais são maltratados, mas fui duas vezes ao de Londres e não tive essa impressão – espero não estar enganada, se alguém souber de alguma coisa me conte, por favor.

E aí que vendo esse vídeo de propaganda do Zoo Lates achei que precisava indicar o evento aqui, parece super bacana. Uma boa oportunidade para conhecer melhor os habitantes do zoo de Londres e de se divertir de uma forma diferente na cidade. :)

Os ingressos custam £15 e você os compra clicando aqui – onde também conhece em detalhes o evento – que é para maiores de 18 anos!

A estação de metrô mais próxima do London Zoo é Camden Town (Northern Line, preta).

tea

Pela primeira vez na história desse mundo nós, meros plebeus, poderemos tomar um chazin básico no Palácio de Westminster neste verão! \o/

Essa oportunidade histórica será oferecida junto com os tours de 75 minutos feitos pelos guias Blue Badge e a rota percorrida por eles passa por áreas extremamente importantes do parlamento, como explica em detalhes, neste post, o TimeOut London

Os tours precisam ser reservados com antecedência pelo telefone 0844 847 1672. Se interessou? Não deixe de clicar aqui para saber mais. ;)

open-gardensA pedida perfeita para o domingones é aproveitar que neste fim de semana tem Open Gardens Square Weekend em Londres, minha gente!

O que isso significa? Que 200 jardins secretos da cidade, que normalmente não estão abertos para o público, poderão ser visitados por vocêêê!! #todoscomemora

Por £10, você pode visitar qualquer um dos jardins que fazem parte dessa festança toda. Não é incrível?? Sério, acho muito amor, e por mim você dá um rolê por parques tanto no sábado quanto no domingo (tomara que São Pedro colabore, né?). Tooodas as infos que você precisa para poder aproveitar demais esse programa delicioso estão aqui. Não me decepcione, hein? haha

Pra encerrar, deixo você com um videozinho super legal em que junto com o campeão mundial de futebol freestyle Andrew Henderson a gente dá um rolê por Londres e recebe o seguine recado: love your journey. Importante, né? :)

Até quarta. ;)