Um café em Londres inspirado no universo do ciclismo: Look Mum No Hands

Se você vem sempre aqui já viu que a bicicleta volta e meia volta à pauta. Já escrevemos sobre quando a magrela nos fez ir pra Copenhagen, contamos uma história muito louca sobre o roubo de uma bike em Londres, relatamos nossa experiência de testar as Boris Bikes antes mesmo de o sistema começar a funcionar, falamos sobre a relação de Curitiba, nossa cidade, com as bikes e por aí vai…

Hoje a bike chega acompanhada de uma dica pra você conhecer um café muito legal em Londres. Um espaço criativo com uma proposta bem diferente na região de Old Street. O Look Mum No Hands é um mix de café / bar / oficina de bikes / loja de acessórios / espaço de coworking.

look mum no hands - old street - london

A casa abriu em 2010, na mesma época em que o sistema de bikes públicas de Londres começou a operar, e foi o primeiro estabelecimento do gênero na cidade, que hoje conta com diversos outros bike cafes.

É claro que uma visita ao LMNH vai ter um charme extra se você curte e vive a cultura da bike, mas independente disso segue sua leitura porque a dica é boa de qualquer jeito!

look mum no hands - bike cafe - london
do lado de fora…

Logo que você entra já vê a oficina dividindo o espaço com o ambiente do café.

look mum no hands - bike cafe - workshop
da esquerda pra direita: mecânica, balcão, lojinha, geladeira com cervejas artesanais

O ambiente é todo inspirado e dedicado às magrelas. Quadros, cartazes, flyers divulgando pedaladas, livros de ciclistas e assim por diante. Além disso, quando rolam grandes competições como o Tour de France eles esticam um telão e transmitem na íntegra. Vez ou outra rolam uns filmes de ciclismo também.

A música ambiente vai de Marley a Dilan, passando por muita coisa boa. Um detalhe legal é que você pode até emprestar cadeados deles pra prender sua bike na área externa. Eles criaram isso pra ajudar os vários esquecidos que chegam sem o locker.  Se você leu o post da bike roubada sabe que Londres não é bem uma Copenhagen em termos de segurança das magrelas. Então, ponto pros caras pelo cuidado com o cliente! =)

Mas o que mais curtimos no lugar (e que fez a gente voltar) é que o ambiente foi todo pensado para que você leve seu laptop pra trabalhar/estudar. Um balcão que se estende por toda a janelona com vista pra rua tem diversas banquetas, uma bela vista de Londres acontecendo na Old Street e, claro, uma tomada pra cada “estação de trabalho”.

Como adeptos do home office e suas variações, nos sentimos em casa trabalhando de lá.

look mum no hands - bike cafe - home office 2

Comes e bebes

O cardápio é meio natureba, meio vegan. Rolam saladas,  pratos quentes com uma pegada saudável, tortas, bolos… tudo feito ali mesmo! Tem opção pra comer a qualquer hora do dia. Mas você pode cogitar tomar umas boas cervejas também. A casa é muito bem representada por uma carta de cervejas artesanais made in London.

look mum no hands - food
aí dá pra ter uma ideia dos preços e do que rola no cardápio. Clique na imagem para ampliá-la.

E se você gosta de saborear um bom café vale dizer que isso é assunto sério por lá. Os grãos utilizados são comprados da Square Mile, empresa que é referência na indústria do café em Londres. Eles atuam em diversos segmentos relacionados ao café, inclusive com importação e torra dos grãos (por lá chegam cafés dos melhores produtores do mundo).

Sem muito mais a falar a não ser honrar o LMNH com 5 estrelas no índice de avaliação do Pra Ver Em Londres e sugerir que você vá até lá e depois conte pra gente se a dica valeu, combinado?

ranking-estelar-ronnies-bar-londres

produtos da loja e cadeados de graça para clientes
look mum no hands -workshop
Oficina

look mum no hands - londres

look mum no hands - pra ver em londres

Como chegar

O Look Mum No Hands que a gente foi fica a 10 minutos de caminhada a partir da estação de Old Street, por onde passa a Northern Line, linha preta do metrô. ;)

Se você preferir chegar de ônibus, neste link você confere as linhas que passam próximo à estação.

Copia e joga no Google Maps pra não se perder: 49 Old Street London EC1V 9HX

mapa

E eles já estão com uma segunda casa operando – e com um pop-up em South Bank. Visite o site para saber mais e programar sua passadinha por lá.

João

P.S.

Eu tenho uma missão pessoal de inspirar pessoas a pedalarem. Desde que comprei minha primeira bike na vida adulta, há uns três anos, vi minha vida mudar muito em razão do novo hábito.

Pelo lado físico/saúde hoje tenho mais fôlego e disposição, disciplina e toda aquele pacote de coisas boas que a rotina da prática de esportes traz.

Mas já que aqui nosso papo é viagem vale dizer que a gente faz questão de incluir um pedalzinho pra conhecer toda cidade que visitamos – como ficou claro neste post sobre a nossa trip para York.

A bicicleta, além de agilizar os passeios, te apresenta a cidade de uma forma única. Vai por mim! Se você ainda olha torto para a bike, dê uma chance a ela… Nada melhor do que uma viagem pra inspirar o início dessa relação. =)

pedale!
pedale!

Encerro este post deixando você com um vídeo publicitário do Look Mum que conta um pouco de sua história. Uma bela produção, aliás.

Praia do Rosa (SC): guia pra um fim de semana em qualquer época do ano

pra ver no mundoAaaah, a Bela e Santa Catarina…

Se tem um estado brasileiro pelo qual eu morro de amores é o vizinho do meu Paraná (que também amo, aliás). Praias liiiindas, Blumenau com seu estilo germânico de ser (e seu Festival da Cerveja!), a capital mais linda do Brasil sil sil (na minha opinião, claro! :)… enfim, não faltam motivos para não amar esse pedacinho do nosso País.

Por isso mesmo, quando recebemos da Tati Dornelles (do blog Destino Mundo Afora) o convite para participar da primeira edição do evento “Santa Catarina na Bagagem”, que iria apresentar para diversos blogueiros a Praia do Rosa, aceitamos NA HORA.

Numa sexta-feira gelada, pegamos a estrada com a Anna e a Mari (do blog Finestrino) e o Jr. (do Tip Trip) e partimos “sentido litoral”. :)

Apesar do clima que a princípio dava a impressão de que praia não era a melhor opção, bastou chegarmos lá para concluirmos que um fim de semana no Rosa é uma boa pedida para QUALQUER época do ano. Isso porque não é só a praia belíssima que encanta, mas também a gastronomia local, as pousadas/hotéis/resorts, as baladinhas… enfim, TUDO. 

Ou seja, objetivo deste post é convencê-lo a incluir a Praia do Rosa nos seus planos de primavera, verão, outono ou inverno – e, claro, apresentar boas sugestões para o seu roteiro.

Bora fazer um miniguia pra você favoritar e esmiuçar quando for planejar a sua trip? ;)

belezas da Praia do Rosa

Onde se hospedar na Praia do Rosa

Assim que chegamos na Praia do Rosa fomos conhecer nossa “casa” para aquele fim de semana: a Pousada Village Praia do Rosa.

Olha, gente, foi amor à primeira vista!

Casinhas super bem equipadas (a maioria tem lareira, cozinha com tuuudo o que você pode precisar, secador no banheiro #asminapira), mar logo ali, quadra de tênis (#atenistapira)… well, as fotos falam por si:

Foto: Anna Martinelli (Blog Finestrino)
Foto: Anna Martinelli (Blog Finestrino)
Uma das 20 casas da pousada Village Praia do Rosa. Não é encantadora?
Uma das 20 casas da pousada Village Praia do Rosa. Não é encantadora?
Nossa casinha :)
Nossa casinha :)

O único ponto negativo diz respeito à casa em que ficamos (João e eu e o casal do  “Vida de Turista” – Thiago e Márcia). Era a número 20 e não tinha vista. É, era virada “pro nada”. :( Por isso, se você for se hospedar lá lembre-se de dizer que não quer ficar na 20. Todas as outras têm vistas incríveis para a praia. ;)

De resto, tudo excelente – inclusive o completíssimo café da manhã…

… que ainda tinha uma vista de fazer qualquer um querer virar de costas pra galera pra ficar admirando. =D

A gente recomenda!

Dá uma olhada no site deles (aqui!) para conhecer melhor a pousada e conferir os preços. ;)

Mas nem todos os blogueiros participantes do SC na Bagagem ficaram na Pousada Village Praia do Rosa. A outra metade do grupo ficou no Vida Sol e Mar Eco Resort, que também era muito legal. Visite o site para conhecer.

E, claro, essas são apenas duas opções bacanas de onde se hospedar na Praia do Rosa. Há muitas outras pousadas que parecem legais lá. Recomendo uma visita a este site para encontrar a acomodação ideal para você. Ou, se você preferir alugar uma casa pra curtir com seu amor ou com seus amigos, este site de aluguel de temporada também é interessante. #ficadica

;)

Onde comer na Praia do Rosa

Além da hospedagem, algo que nos surpreendeu positivamente foi a alimentação na Praia do Rosa. Não sei você, mas quando eu penso em restaurante em praia imagino algo simples e “basicão”. Mas não foi o que vimos no Rosa.

O jantar de abertura do evento foi no Refúgio do Pescador.

Refugio do pescador - Praia do Rosa

Ambiente lindo, atendimento impecável (a amiga vegetariana e a amiga que não come paella puderam trocar seus pratos facilmente), bom vinho nacional sendo servido (Suzin, de São Joaquim, SC), uma paella DIVINA como prato principal e sorvete de amêndoas com fatias de morango de sobremesa.

DOS DEUSES!!!
DOS DEUSES!!!
As outras delícias experimentadas por nós no Refúgio do Pescador. Os pratos escolhidos pela Anna e pela Mari e a sobremesa.
As outras delícias experimentadas por nós no Refúgio do Pescador. Os pratos escolhidos pela Anna e pela Mari e a sobremesa.
... e o vinho! <3 <3
… e o vinho! <3

Eu acho que os caras estavam de sacanagem com tanta delícia, mas curti demais, né? hihi

Foi uma noite agradabilíssima. Também, não tinha como dar errado: comida e bebida boa, bons amigos e tema principal viagem. Quem podia querer mais? :)

Amigos curitiblogueiros amados.
Amigos curitiblogueiros amados.

O almoço do sábado foi no Casarão Restaurante Bar Mar. A entrada era um creme de alho poró com batata, e estava uma delícia. Para o prato principal, podíamos escolher Peixe à Espanhola e Goulash à la Tirolese:

Casarao - peixe e goulash

Eu escolhi o peixe, o João o goulash. Infelizmente, porém, os pratos não agradaram nosso paladar. Uma pena, porque o ambiente também é bem legal (beira-mar) e fomos super bem atendidos. Acontece, né?

À noite, o pessoal do restaurante Tigre Asiático (que estava fechado para reforma enquanto estávamos lá) ofereceu um jantar na nossa pousada. Foi servido um prato tailandês que era um arroz com frango e molho curry. OMG, era bom demais. Eu, que nem sou de comer muito, repeti 3 vezes. AHAM, três. hahaha

Sério, era deliciosíssimo. E ainda tinha bons drinks para acompanhar.

Nota 10!

Quem me traz um baaaalde dessa delícia tipojá, hein? <3
Quem me traz um baaaalde dessa delícia tipojá, hein? <3

Deu pra ver que a gente comeu BEM, né?

Mas assim como há muuitas pousadas legais no Rosa, também há vários restaurantes que parecem interessantes. Recomendo a leitura deste post da Drops Magazine e deste do Guia quatro rodas para conhecer outras opções. ;)

O que fazer na Praia do Rosa

Para fechar o combo perfeito, no Rosa ainda tem MUITA coisa legal pra fazer.

Na sexta-feira, depois de jantarmos fomos todos dormir com medo do clima. Até colocarmos a cabeça no travesseiro chovia lá fora. Como os planos para o sábado incluíam trilhas, tudo podia ir literalmente por água abaixo se São Pedro não colaborasse.

Mas o sol brilhava e não tinha uma nuvenzinha no céu na manhã do nosso segundo dia de Santa Catarina na bagagem! \o/

Depois do café da manhã, fomos para o Vida Sol e Mar Eco Resort para assistir uma apresentação sobre as baleias francas, que todos os anos, no nosso inverno, passam uma temporada na Praia do Rosa acasalando e gerando filhotes e se preparando para enfrentar o inverno na Antártida. 

Aliás, a observação de baleias costuma ser um dos atrativos do Rosa no inverno. Porém, os passeios de barco foram proibidos este ano – apesar de o pessoal do Instituto Baleia Franca nos garantir que tudo lá é feito pensando no bem das baleias.

Infelizmente, chegamos no Rosa antes delas. A temporada delas por aqui costuma ser entre julho e setembro (nós fomos em maio! – disfarça o atraso da blogueira)

O papo foi muito legal, mas o que a gente queria mesmo era explorar o Rosa. E a escolha de percorrer a Trilha da Praia Vermelha para iniciar essa exploração não podia ter sido mais acertada…

Praia do Rosa - Praia Vermelha

Praia do Rosa - trilha

Praia do Rosa - trilha Praia Vermelha

:)
:)
Tinha uma bela praia do outro lado do morro...
Tinha uma bela praia do outro lado do morro…

Que delícia de trilha, gente!

Até eu, que não sou a maior atleta do universo (se pá sou uma das menores), achei ela susse de fazer – e com recompensas incríveis no caminho…

... tanto é que os blogueiros estavam sempre com suas câmeras a postos para registrar tudo! :)
… tanto é que os blogueiros estavam sempre com suas câmeras a postos para registrar tudo! :)

Levamos mais ou menos duas horas e meia para ir e voltar, então é bom levar umas barrinhas, frutinhas e água na mochila pra não passar fome e sede até voltar pro centrinho.

Mas essa não é a única trilha legal de se fazer na Praia do Rosa. “Do outro lado” da praia tem a trilha que apelidamos carinhosamente de “Trilha da Mimosa”, por este motivo:

a vaca e o mar

:)

E essa também era uma trilha super gostosa. Tinha uma subidinha na ida, mas nada insuportável. E mais um moooonte de belezas no caminho…

beach-

beach

time to go back-

 

top of the rock

Ai, gente, bom de mais! :)

***O fim de semana na Praia do Rosa rendeu muuuitas fotos bonitas. Para não deixar o post eterno, fiz um álbum na nossa página no Google+ com as que não couberam aqui. Corre lá ver!***

E quer saber mais? A gente também foi pra balada. Ahaaam! =D

Beleza Pura

Na noite de sábado, depooooois daquele jantar tailandês super top, nos mandamos para o Beleza Pura. E, pasme, até a gente, que já deixou de curtir a night faz um bom tempo (cê sabe que somos mais botequeiros do que baladeiros, né?), adorou a escolha da galera da organização do Santa Catarina na Bagagem.

Curtimos a música (pop-rock que voltou até os anos 90 <3), o ambiente, a cerveja que estava gelada e, claro, a companhia da galera.

Também recomendamos! :)

Beleza Pura-

Beleza Pura-1

O saldo final? Fomos embora com vontade de começar a planejar uma nova ida.

Quem anima? :)

Valeu, galera. Foi um prazer explorar a Praia do Rosa com vocês! :) (Foto: Roberta Martins - Territórios)
Valeu, galera. Foi um prazer explorar a Praia do Rosa com vocês! :) (Foto: Roberta Martins – Territórios)

Dicas práticas

    • Onde fica? A Praia do Rosa fica a cerca de 86km de Florianópolis

  • Como chegar?

Acho que de carro é mesmo a melhor maneira, mas também dá pra ir de ônibus – a companhia Catarinense cobre bem o litorar catarinense (dã). Clique aqui para encontrar o ônibus ideal aos seus planos.

Santa Catarina na BagagemA 1ª edição do Santa Catarina na Bagagem ocorreu na Praia do Rosa, em Imbituba, de 23 a 25 de maio de 2014. Idealizado e coordenado pela jornalista e autora do blog Destino Mundo Afora, Tatiana Dornelles, o tour contou com os blogueiros: Anna Martinelli e Mariana Fachin (Finestrino), Natasha Schiebel e João Guilherme Brotto (Pra Ver em Londres), Jr Caimi (Tip Trip Viagens), Helder Ribeiro (Nerds Viajantes), Thiago Cesar Busarello e Márcia Nichelatti (Vida de Turista), Cyntia Campos (A Fragrata Surprise), Erick Stengrat (My Destination Anywhere), Roberta Martins (Territórios), Kellen Bittencourt (Trilha Marupiara), Renata Campos (RêVivendo Viagens), Mauro César Noskowski (Meu Limite 191 Países), Raquel Bez (Põe a Mão no Bolso) e Lucas Estevam Ferreira (Estevam pelo Mundo)

O evento teve o apoio da Acim/Núcleo Praia do Rosa e Faro Comunicaçãoe contou com a colaboração das pousadas Village Praia do Rosa e Vida Sol e Mar Eco Resort, Refúgio do Pescador Restaurante, Casarão Restaurante Bar Mar, Beleza Pura Resto/Lounge BareInstituto Baleia Franca (IBF).