Tomar uma decisão difícil é melhor do que cozinhar um problema

O tempo passa!

Lá se vão 22 meses desde que publicamos o último artigo aqui. Nesse período, refletimos muito sobre tirar o blog do ar, retomar as atualizações periódicas ou apenas mantê-lo respirando sob aparelhos. Foi o que acabou acontecendo. Desapegamos. Mas não esquecemos.

Nos últimos dias eu recebi mensagens de parabéns no LinkedIn pelo aniversário como editor no Pra Ver no Mundo e isso me fez lembrar (de novo) do quanto esse espaço é especial pra nós.

A verdade é que sentimos muita falta de compartilhar nossas viagens e aprendizados por aqui, mas a simples verdade é que cansamos.

Manter um blog ativo e atualizado constantemente com conteúdo de qualidade dá um trabalho enorme. Pode dar retorno. Pode empatar. Pode dar prejuízo. É um negócio incerto. Talvez promissor.

Isso, somado ao fato de que nosso trabalho principal é também ligado à gestão de conteúdo, estava nos fazendo passar muitas horas (muitas mesmo) sentados em frente ao computador. Fazendo as mesmas coisas repetidamente. E outras boas horas queimando neurônios pra fazer tudo funcionar.

Não estava tudo bem. Pifamos.

Estávamos mentalmente esgotados. Nos cobrávamos muito. Nos sentíamos culpados por não dar conta de executar o planejamento. A frustração era grande. Estávamos vivendo em um ciclo vicioso perigoso para a mente.

De quebra, o corpo começou a emitir sinais de alerta quando nos presenteou com hérnias de disco e dores cervicais, herdadas do ofício jornalístico de mais de 10 anos trabalhando em frente ao computador.

handmade content

Tomar uma decisão é melhor do que cozinhar um problema

O Pra Ver no Mundo nos acompanha há nove anos, bem como a nossa empresa, a Handmade Content (antiga LondonPress). Por muito tempo conciliamos as duas atividades, trabalhando duro para equilibrar os pratos – e isso funcionou por alguns anos.

A empresa seguia com um nível de crescimento sustentável e a audiência do blog também, ainda que contando com os solavancos inerentes à toda jornada empreendedora. Só que chegou uma hora que percebemos que precisávamos abrir mão de algo. Foi ficando cada vez mais claro que esse foco compartilhado nos faria patinar de algum lado ou surtar de tanto trabalhar.

Era muita coisa pra pensar, muita coisa pra fazer. Sempre tinha algo pendente.  

Foi quando decidimos fazer uma pausa sem aviso prévio e sem tempo determinado no blog e focar nossas energias na Handmade, decisão que nos tirou um peso enorme das costas. E nos permitiu viver melhor e com menos culpa.

Quando o Pra Ver no Mundo era um projeto que levávamos muito a sério, toda viagem que fazíamos – mesmo que de férias – era, também, a trabalho. Precisávamos registrar muita coisa em tempo real, seja em fotos, vídeos ou anotações. Tínhamos preocupações que iam muito além do que rola em uma viagem de lazer.

Em nov/2017, já não mais blogueiros, nas Dolomitas

Tínhamos a sensação que nossa vida era uma eterna jornada de trabalho

E foi bom que enxergamos isso antes de sofrer com problemas mais graves – ainda que as minhas costas me lembrem diariamente do contrário.

Se antes eu me preocupava em fotografar até o cardápio dos restaurantes, hoje eu, às vezes, viajo sem nem levar a câmera. Pode parecer bobagem, mas é libertador!

Quando optamos por nos afastar do blog, a vida se tornou mais leve e produtiva.

Nesses quase dois anos que ficamos longe do blog aconteceu muita coisa. Fizemos viagens muito legais por diversos lugares da Itália, Holanda, Bélgica, Hungria, Alemanha e Áustria. Ah, tiveram uns dois ou três pulos em Londres pra matar a saudade também.

De quebra, mudamos de Bologna pra Bergamo e, depois, pra Espanha. Escrevo direto de Valencia, a capital mundial da paella, onde estamos há três meses depois de quase dois anos de Itália.

A cidade alta da nossa amada Bergamo

Mas é claro que nunca esquecemos o Pra Ver no Mundo

Foram muitas as vezes em que nos pegamos conversando sobre retomar o blog. Escrever nesse espaço é um exercício muito prazeroso e divertido. Sempre foi nossa válvula de escape dos temas densos que enfrentamos no dia a dia com os clientes da Handmade e suas pautas ligadas a negócios.

E como hoje alcançamos um equilíbrio mais saudável entre trabalho e tempo livre, lá veio o monstrinho da blogosfera nos cutucar.

Mas, sinceramente, ainda não encontramos o perfil editorial ideal. Aquela coisa de simplesmente postar sobre destinos e dar dicas perdeu um pouco do sentido pra nós. Tudo bem que esse nunca foi bem o nosso foco, mas cansamos um pouco da vida de blogueiros de viagem.

Ainda que tenhamos algumas ideias sobre cobrir temas que giram entre nosso estilo de vida, trabalho remoto, nomadismo digital, livros que temos lido e pequenos prazeres da vida, estamos num processo de autoconhecimento e redescoberta editorial.

É possível (provável?) que essa conversa de hoje não leve a nada e que fiquemos mais um longo inverno longe daqui, mas não é esse o plano. De verdade!

valencia
Os ares mediterrâneos de Valencia

Aliás, você nos ajudaria muito dizendo sobre o que gostaria de ler. Alguma dica? Isso se ainda tiver alguém por aqui. Tem?

O Pra Ver no Mundo nos ensinou muito e nos rendeu boas amizades. Não faz nem dez dias que estivemos em Londres reencontrando amigos queridos que conhecemos graças a esse espaço e, acredite, conhecendo uma nova (antiga) leitora.

Esse tipo de coisa é que sempre fez tudo valer a pena. A gente sabe que nosso trabalho gerou um impacto positivo na vida de muitas pessoas e que inspirou outras tantas a seguirem seus sonhos.

E isso me faz lembrar que uma das razões pelas quais eu decidi fazer Jornalismo era porque eu queria gerar um impacto positivo no mundo. Ainda que, nesse caso, esse mundo seja restrito ao alcance do Pra Ver no Mundo, sou feliz por saber que isso se concretizou.

E, ainda que eu esteja contradizendo o que diz o que escrevi no título, sinto que tenho o dever de continuar essa missão. Você concorda?

Londres, abr/2019

Planeje sua viagem

Você sabia que se planejar sua viagem clicando nos links de nossos parceiros, que confiamos 100%, você nos dá uma força gigante?

Hospedagem, aluguel de carro e seguro viagem. Você não paga nada extra por isso e nos ajuda muito! Basta clicar nos banners ou nos links dessa página e fazer suas reservas.



Booking.com

Dê vida ao Pra Ver no Mundo. Comente!

Parceiros

Booking.com

Siga-nos

22 thoughts on “Tomar uma decisão difícil é melhor do que cozinhar um problema

  1. Aqui estou alimentando o monstrinho da blogosfera e fazendo ele cutucar vocês ainda mais. Os textos e reflexões são sempre incríveis e, como perceberam quando a gente se encontrou, muitos que me marcaram ainda tão fresquinhos na minha cabeça.
    Mas respeitar o corpo e a mente é essencial.
    De qualquer forma a gente tá sempre aqui prontinho pra ler o próximo.
    Um grande abraço e até loguinho – mesmo! ;)

  2. Adivinha quem “vim” comentar em nome dos velhos tempos?

    Pois que sim!
    Saudade de ler blogs, saudade de ter tempo para ler blogs, saudade de postar no meu! Gente, como a nossa vida mudou!
    Que delícia e nostálgico é poder vir aqui, como nos velhos tempos. Dá uma sensação de normalidade, leitura raiz! haha

    Pegando o bonde do “queremos escrever sobre coisas novas”, vim dizer que também estou na vibe de ler coisas novas. Antes eu tinha – MUITO – tempo sobrando nas horas de trabalho e era maravilhoso ter dezenas de blog pra me atualizar e outras dezenas de vídeos no Youtube pra assistir. Infelizmente (ou felizmente), meu trabalho mudou, meu país também e as prioridades… well, elas também. No momento estou super focada na carreira, preocupada em como atrair empregadores pro meu perfil no Linkedin e coisas assim. Sei o quanto vocês são experts no mundo corporativo e tenho certeza que vocês têm alguns truques na manga pra compartilhar com a gente, não?
    Com todas as mudanças da vida, as viagens acabaram ficando em segundo plano e nem vejo muito sentido em explorar as possibilidades como eu fazia com tanto afinco cerca de dois anos atrás. A verdade é que eu vou ler o quer que seja que vocês escrevem aqui porque:
    1. Amo/sou!
    2. Mata um pouquinho da saudade docês!
    É isso, postem ou não postem, mas me liguem no Skype com um vinho na mão pra gente prosear!
    Beijo nocês!

    1. Maaaarrrrrrrrla, como é bom sempre te ver por aqui. E, sim, tudo mudou muito. Ficam as histórias e as lembranças. Vamos ver o que o futuro reserva ao blog, mas esse vinho sai! =)

  3. Por incrível que pareça, pensei em vocês esses dias, voltei a Londres depois de 4 anos e boa parte do que usei naquela viagem, li no blog de vocês.
    Confesso que ainda não li, o texto é enorme kkk.
    Boa Sorte e estou por aqui sim. Abs

  4. João e Natasha
    Já diria o poeta, que seja eterno enquanto dure”
    Foi bom naquele momento, mas pode não ser mais nada e ficar só os amigos e a experiência.
    Hoje tem tanto blog de viagem que realmente é uma loucura ter um diferencial.
    O importante é que precisa ser prazeroso.
    Já tive tanta vontade de escrever minhas viagens,mas penso que dá muito trabalho,requer tempo, dedicação e muito mais,então fico só na vontade.
    Espero que vivam essa experiência da melhor qualidade forma possível porque agora você já não pertencem a lugar algum, mas todos os lugares estão aí dentro de vocês.

  5. Super concordo, até porque passo por um momento semelhante, sem saber se continuo ou mudo o rumo da prosa. Vocês são um casal que eu conheci nos encontros de blogueiros. Admiro o modo como vivem e o que fazem. Sempre dou um jeito de saber notícias. Acompanho vocês no Instagram. Amei desde o início o Para Ver em Londres, depois Para Ver no Mundo e vou continuar amando. Acima de tudo, Para Ver o Amor, a gente está sempre inspirada. Beijo grande em seus corações ❤️❤️

    1. Oi, Glacy! Essa vida de blogueiro é cheia de altos e baixos mesmo. Mas as reflexões que esses momentos geram sempre trazem muito aprendizado e autoconhecimento!
      Nos vimos poucas vezes, mas nos divertimos muito, né? Foi um prazer enorme te conhecer. Você é uma pessoa iluminada. Obrigado pelo carinho! E saiba que é recíproco!

  6. Oi casal!
    Esse texto faz pensar no preconceito que é quando a gente fala que “blogueiro não é profissão”. É um trabalho tempo integral! Vixe, assustada com o efeito de ficar sentado na frente do micro o dia inteiro – a gente sabe que não é bom, mas só faz algo sobre depois que é quase tarde demais.
    Eu venho quando recebo as mensagens que tem post novo. Adorei saber as novidades, principalmente das viagens e mudanças de endereço. Hoje em dia, eu acompanho os blogueiros via instagram, porque é onde tá todo mundo se concentrando…
    Eu leio sobre qualquer coisa quando sei quem está escrevendo, então o que vier será bem-vindo.
    xx

    1. Oi, Christina!
      É uma profissão bem exaustiva, né?

      Sobre os efeitos na coluna, estou fazendo pilates e tem ajudado muito! Recomendo. Hehe. Pior que até no Instagram a gente se desligou, mas que bom que gosta do que escrevemos! =)

  7. Queridos João e Nah,
    Não tinha possibilidade de eu não vir aqui dar uma comentada!! heheheh
    Não vou negar que sinto sim saudades do blog, de saber de voces por aqui, das viagens, dos pensamentos, enfim, tanta coisa gostosa que voces ja compartilharam conosco via blog!!
    Mas é claro que o objetivo é de ser feliz, fazer o que nos faz feliz, e se pelos diversos motivos que voces citaram no texto, não era isso que tava rolando… PARA TUDO!!!
    Torço para que voces encontrem a resposta que estão procurando, ou quem sabe se inspirem a fazer ainda mais coisas que façam o coração de voces bater mais forte!!
    grande beijoooo

    1. Oi, Ma!
      Seu lugar é cativo aqui, né? Praticamente a primeira leitora da história (tirando os pais da Nah). Hehe.
      Paramos tudo mesmo. E foi bom. Bem bom.
      Quem sabe agora a gente encontre o equilíbrio que estava em falta nesse período.

      Beeeijo!

  8. Muito boa as reflexões que trouxeram. E foi bom perceberem que a o momento de ser ativo e o momento de ócio, pois ele é que nos impulsiona a sermos criativos. Trabalhem (torço pelos novos artigos ;) ), mas também curtam o momento de folga, do desapego, sem culpa e nem peso.

    1. Oi, Anne.
      Siiim, aprendemos a valorizar MUITO esse tempo de ócio. Antes vivíamos num modo ininterrupto de cobrança.
      Era exaustivo, mas passou.
      Não fazer nada é uma coisa mágica! Hehe.
      Obrigado pelo carinho e apoio. Tenha certeza que isso nos motiva muito a aparecer mais por aqui.

  9. Queridos! Ler vocês é um prazer imenso! A forma leve como relatam as viagens, descrevem os lugares faz a gente querer ir junto. Eu tenho lugares que quero conhecer porque li o relato de vocês – Saint Émilion é um deles. Mas entendo demais o cansaço, a preocupação em documentar tudo durante a viagem, peso que isso gera na gente.

    1. Que legal te ver por aqui, Natalia! Muito, muito obrigado pelas palavras. A gente tem muita vontade de conhecer sua linda terra, quem sabe nos encontramos por aí esse ano! =)

  10. Olá meus queridos,
    Que delícia ver que vocês publicaram de novo! Eu sempre adorei ler o que vocês escrevem. Seus textos me dão uma vontade enorme de viajar, tomar uma cerveja e chamar vocês para o “boteco” para tecer devaneios e ouvir histórias. Foi demais, depois de tanto tempo e timidez, poder trocar uma ideia ao vivo. Eu sei que a vida mudou e que o blog é super trabalhoso, mas seria incrível ainda ter vocês contando histórias por aqui, quem sabe crônicas de um cotidiano despretensioso… Uma grande abraço

    1. Foi muito legal te conhecer, Paty! Obrigado mesmo por ter ido curtir aquele aniversário canino com a gente! Hehehe. Que venham mais pints por aí! E gostei bastante da sua sugestão. Temos pensado mesmo sobre isso. =)

  11. Ah que legal que deram as caras!!! Eu gostaria de saber um pouco sobre a experiência de ter morado na Itália! Não podem deixar de contar como foi lá! E depois, claro contém como está sendo a Espanha…não sumam tanto assim! 😄

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code

Recentes

NATASHA & JOÃO

Em 2010 fomos fazer um intercâmbio em Londres e lá nasceu o blog. De lá pra cá muita coisa mudou, menos a nossa vontade de explorar o mundo.

Assine nossa newsletter e receba dicas em primeira mão!