Blacklane: boa opção de transfer em 180 cidades do mundo

Vou começar este post sendo bem sincera: se você quer economizar umas boas libras, não tem muitas malas para carregar e tem uma certa dose de disposição, contratar um transfer para ir de qualquer aeroporto de Londres para o centro da cidade é praticamente desnecessário!

Acontece que os seis aeroportos da cidade oferecem opções consideravelmente mais baratas e relativamente fáceis para os viajantes de plantão (tá tudo detalhado, em inglês, aqui – mas se alguém precisar de uma ajudinha ou achar que vale um post só sobre o tema é só deixar um comentário, ok?).

Só que nem sempre as condições da viagem colaboram pra escolher as maneiras mais “roots” e baratas de chegar ao aeroporto de onde sai seu avião…

Tem dias que o voo sai muito cedo (ou muito tarde) e tem, também, aquelas ocasiões em que… well, a quantidade de bagagens e/ou o tamanho delas é o que torna quase impossível a tarefa de atravessar a cidade tendo que trocar de meio de transporte umas três ou quatro vezes. Foi o que aconteceu na última vez que retornamos de Londres:

As duas malas de baixo (laranja e amarela) carregam até 30kg, e as duas de cima são para transportar bike (mas em algumas companhias aéreas podem ser usadas como malas normais - e aí entra na franquia que sua passagem permite - o que no nosso caso significava até 32kg)
As duas malas de baixo (laranja e amarela) carregam até 30kg, e as duas de cima são especiais para transportar bicicleta (mas em algumas companhias aéreas podem ser usadas como malas normais – e aí entra na franquia que sua passagem permite – o que no nosso caso significava até 32kg). Além delas, tínhamos duas malas de 10kg (“cabin size”, que podem ir dentro da cabine do avião), uma mochila e uma bolsa! :O

Como a gente acumula coisa em um ano, né?

No nosso caso, foram duas bikes + vários itens de decoração + copos e mais copos de cerveja (alguns tiveram que ficar para trás, infelizmente) + alguns quilos de livros. :)

Por isso, quando o pessoal da Blacklane nos ofereceu um voucher para testarmos os serviços deles, não pensamos duas vezes e aceitamos.

E, olha, não podíamos ter feito escolha melhor…

Nesse conforto - apesar de estar deixando Londres e ter SEIS malas como companheiras - dá até para dar um sorrisinho. hihi
No conforto de uma van – apesar de estar deixando Londres e ter SEIS malas como companheiras – dá até para dar um sorrisinho. :)

Nossa experiência com a Blacklane

Não sei você, mas eu, quando curto um serviço fora do Brasil, penso: “aaaah, como seria bom se isso existisse na nossa terrinha também”.

Pois bem, esse é justamente um dos primeiros pontos fortes do Blacklane, na minha opinião: eles estão em mais de 180 cidades (!), de 50 países(!) – no Brasil, as duas contempladas até o momento são Rio de Janeiro e São Paulo. Isso significa que se você testar o serviço em Londres e gostar, pode contratar novamente em Buenos Aires, Sidney, Los Angeles, etc. (A lista completa de cidades atendidas está aqui)

Além disso, contratar a Blacklane é ridiculamente fácil e o agendamento funciona muito bem. É tudo feito pelo site (ou pelo aplicativo – disponível para iOs e Android) e lá mesmo você já sabe quanto vai pagar pelo percurso que pretende fazer. O preço varia de acordo com o tamanho do carro/do porta-malas e, claro, com a distância que você vai percorrer.

Como você deve imaginar observando nosso volume de bagagem naquela ocasião, nós tivemos que escolher o maior carro de todos: uma van. :D

Só assim pra conseguir carregar tooooda nossa bagagem!
Só assim pra conseguir carregar tooooda nossa bagagem!

Para você ter uma ideia, o preço do percurso da nossa antiga casa em Londres até o aeroporto de Heathrow (cerca de 45km no trajeto que vai por dentro da cidade – que foi o que o motorista fez) varia de 54 a 146 libras.

O mais barato é para um carro simples, que acomoda até três passageiros e duas malas. O mais caro não é o nosso. É um carro luxuoso, mas que também acomoda três passageiros e duas malas. O nosso, para até cinco pessoas e cinco malas, custa 123 libras.

Você consegue ver todas as opções de carros e preços logo depois de definir os detalhes do seu percurso (ponto de partida e de chegada, data e horário). Ah, e não há transação financeira com o motorista. O preço que está no site é o final e será debitado no seu cartão de crédito, então não é preciso se preocupar com isso durante o trajeto (pra quem está acostumado a usar o Uber, é a mesma pegada).

Obviamente, não é barato, mas, honestamente, acho que tá justo – principalmente porque há diferentes opções, que cabem em diferentes bolsos. :)

O dia da viagem

Como eu sou uma pessoa ansiosa, confesso que estava com um pouco de medinho de o motorista atrasar (eu gosto de chegar com bastante antecedência nos aeoportos!), mas no dia da viagem, logo cedo recebemos uma mensagem no celular confirmando tudo e cinco minutos antes do horário combinado outro SMS avisou que o motorista já estava na porta do nosso prédio.

A mensagem tinha ainda o nome do motorista e o telefone dele. Tirei para preservar a privacidade do cidadão, claro. :)
A mensagem tinha ainda o nome do motorista e o telefone dele. Tirei para preservar a privacidade do cidadão, claro. :)

Não tenho do que reclamar! Pelo contrário, sou só elogios mesmo. O motorista nos ajudou com as malas (que não são fáceis de carregar), nos ofereceu uma água para refrescar e, o mais importante, nos deixou na porta do aeroporto. <3

Coube a nós a “difícil missão” de apreciar o caminho curtindo a vista da janela…

Não disse que era uma missão difícil? ;)
Não disse que era uma missão difícil? ;)

… degustando a última cerveja da nossa geladeira londrina: uma Schwarzbier italiana inesquecível. #ficadica :)

nigredo-cerveja

Cheers!

Se você já usou o serviço da Blacklane em algum lugar, não deixe de comentar compartilhando sua experiência – positiva ou negativa. Sua história pode ajudar outros viajantes a decidirem se contratam ou não a empresa. ;)

E pra encerrar, deixo duas sugestões de leitura: os posts dos nossos amigos Jr. (do Tip Trip Viagens) e da Anna (do Finestrino) sobre a Blacklane, porque conhecer outras opiniões antes de tomar sua decisão é fundamental, né? :)

–> Blacklane, opção para locação de carro executivo em viagens

–> Transfer em viagens, serviço exclusivo Blacklane

Beijobeijo e até o próximo post,

Nah!

Testamos o serviço da Blacklane a convite da empresa, mas o relato apresentado aqui é 100% sincero.

Dê vida ao Pra Ver no Mundo. Comente!

Parceiros

Booking.com

Siga-nos

8 thoughts on “Blacklane: boa opção de transfer em 180 cidades do mundo

  1. Adorei o post sonho um dia poder viver em londres com meu esposo e nossos dois filhos..um dia quem sabe o futuro pertence a Deus..bjs

    1. Que bom que gostou, Leide. Fico feliz em saber. :)
      Tomara que você e sua família possam realizar esse sonho.
      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Beijos!

  2. Nah, o diferencial do seu blog eh o tramento personalizado que vcs dão sos seus leitores. Nesse ritmo a tendência eh só crescer. Aí me pergunto: o que vcs farão quando eles (os leitores) forem tantos quanto, por exemplo, centenas de milhares?! …rs bjo pra vc abraço pro maridão… (Nao precisa publicar)

    1. Mas como é que eu vou deixar de publicar um comentário fofo desse, Walmir? São mensagens como a sua que nos dão força, oras. hehe
      É aquele velho clichezão: o blog é nosso, mas é feito PARA vocês. E saber que a gente está agradando nos deixa felizes demais. :)
      Prometo que manteremos todas as características do blog intactas mesmo se um dia nossa audiência chegue a centenas de milhares. ;)
      Obrigada pela visita e pelo comentário. Volte sempre!
      Um beijo e um abraço – meu e o João!

    1. Oi, Alessandro! Tudo bem?
      Antes de mais nada, obrigada pela visita. :)
      Bom, essa sua pergunta é uma das mais difíceis de se responder, porque as variáveis são inúmeras:
      – Que tipo de atividades você quer fazer (museus gratuitos? Museus pagos? Visita a estádios de futebol?…)
      – Onde você vai comer (em restaurantes? Comprando comida de mercado? Cozinhando no local onde vai se hospedar?…)
      – Que forma de transporte você vai usar (vai bater perna? Andar de táxi? Só ônibus? Metrô + ônibus + trem?…)
      Ou seja, não consigo te dar uma resposta precisa só com essas informações que você me deu. Porém, posso ajudar sugerindo que você leia alguns posts específicos aqui do blog. Com a ajuda deles, você vai conseguir fazer uma continha bem bacana. São eles:
      http://praveremlondres.com.br/2015/02/20/quanto-vou-gastar-em-7-dias-em-londres/
      http://praveremlondres.com.br/2015/02/09/metro-de-londres-tudo-o-que-voce-precisa-saber/
      http://praveremlondres.com.br/2014/01/08/8-dicas-para-aproveitar-melhor-londres/
      Espero que sejam úteis. ;)
      Se eu puder ajudar em mais alguma coisa grita!
      Abraço

  3. Olá Natasha! Estava sentindo falta dos posts de vocês… Essa é uma sugestão muito bem-vinda, pois não se trata de qualquer carro para deslocamento, mas sim, de um serviço personalizado da Blacklane que, como você descreveu, é bastante prático para se reservar e oferece um conforto que até mesmo os táxis não conseguem oferecer. Mais uma bela dica para se tomar nota! Valeu! Abraços, José Júnior.

    1. Oi, José! Tudo bem?

      Pois é, eu também estava com saudade de escrever aqui. :) Mas não adianta, toda vez que a gente volta de Londres acabamos passando um tempo sem conseguir atualizar o blog com a frequência que gostaríamos. Mas pode ter certeza de que estamos tentando engatar a segunda marcha para retomar a velocidade de postagens. ;) (Aliás, tem dois posts no forno no momento!)

      Que bom que gostou da dica. Realmente, o serviço da Blacklane é diferenciado, e isso é muito legal. Além de que novas e boas alternativas sempre vão bem, né?

      Como sempre, obrigada pela visita e pelo comentário. Saber que você vai aparecer por aqui é algo muito importante para nós.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code

Recentes

NATASHA & JOÃO

Em 2010 fomos fazer um intercâmbio em Londres e lá nasceu o blog. De lá pra cá muita coisa mudou, menos a nossa vontade de explorar o mundo.

Assine nossa newsletter e receba dicas em primeira mão!