EDITORIAS
Boas histórias de viagem por um casal de jornalistas
 

Que tal conhecer uma fábrica de gin em Londres?

É fato que a grande atração dos pubs ingleses são as cervejas, mais especificamente as ales condicionadas em barris de carvalho e servidas em temperatura quase ambiente. No entanto, outro queridinho de qualquer pub londrino é o gin and tonic.

gin and tonic - beefeater - london

O gin, que está longe de ser uma bebida popular no Brasil, bomba na terra da rainha! E como quase tudo nesse país, ele é repleto de história e curiosidades oriundas da tensa Idade Média. Por essas e outras, a gente visitou uma fábrica de gin e conheceu melhor a história dessa bebida que foi inicialmente criada para servir como medicamento, mas não demorou pra cair no gosto dos boêmios.

fábrica de gin em londres - tour em londres

Antes de falar sobre a visita à destilaria Beefeater, uma das marcas de gin mais tradicionais do mundo e cujo nome tem uma história MUITO legal (que você vai conhecer no vídeo que a gente produziu por lá, e que está no fim do post), vou contar um pouco sobre a história do gin em Londres…

Os efeitos devastadores do gin na Inglaterra medievel

Apesar de ter sido criado por um holandês, foi na Inglaterra que o gin se popularizou. E a razão para isso ter acontecido é bem curiosa. Senta que lá vem história…

A bebida ganhou força popular a partir do século XVII, quando o governo permitiu sua produção informal ao mesmo tempo em que taxou pesadamente os destilados importados. A iniciativa foi tomada por questões políticas e religiosas e, mais precisamente, contra os franceses – que estão para os ingleses como os argentinos para nós.

Na época, o brandy francês era muito consumido na Inglaterra. E isso, “é claro”, não podia continuar! Os embargos comerciais contra os importados fomentaram um mercado gigante de produção de gin na, então paupérrima, Londres medieval. 

O gin se tornou o ópio dos londrinos menos afortunados. A bebida era extremamente barata e consumida em larga escala durante um dos períodos mais nebulosos da história de Londres. Um brinde aos governos protecionistas, fazendo história desde a Idade Média.

beefeater - tour de gin em londres

Se você já leu o livro 1984, de George Orwell, deve se lembrar que o maior maior consolo de Winston Smith para suportar os absurdos do “Grande Irmão” era a companhia de uma garrafa de gin vagabundo.

Tal contexto foi responsável por um período chamado Gin Craze (loucura do gin), quando o cotidiano de Londres foi tomado por uma legião de bêbados que vagavam pelas ruas cometendo crimes. Os efeitos do gin naquela época podem ser comparados aos danos causado pela epidemia do crack hoje no Brasil.

beefeater - tour em uma fábrica de gin em londres

O quadro acima, exposto no museu da Beefeater, retrata a fictícia Gin Lane, na Londres do século XVII. No centro da imagem, uma mãe, tomada pela loucura do gin, deixa seu bebê cair para a morte. O quadro é inspirado em uma história real. Em 1734, Judith Dufour estrangulou seu filho de dois anos e o largou em uma vala para, depois, vender suas roupas e comprar gin. 

Nos anos que se seguiram à tragédia, com o objetivo de controlar o caos e consertar a besteira que havia feito, o governo instituiu taxas pesadíssimas para quem quisesse produzir ou vender gin, mas essa história completa, além de várias outras, você pode conhecer no tour da Beefeater. ;)

A alquimia para produzir o gin

Eu costumava tomar gin and tonic esporadicamente, mas confesso que depois do tour passei a me interessar mais pelo terror da Londres medieval. A alquimia necessária para criar a bebida é fascinante. Entre seus ingredientes estão casca de limão e de laranja, semente de coentro, amêndoas, chá verde, outras especiarias, folhas e raízes diversas e o zimbro, uma frutinha que parece o mirtilo e que é a grande estrela do gin.

Na foto abaixo você pode ver todos os ingredientes que compõem a receita do Beefeater. No tour, você pode ver, pegar e cheirar cada um deles. É curioso porque quando você olha para o gin e observa toda sua transparência, sem saber nada sobre ele a não ser que ele pode gerar um porre devastador, não imagina que há tantos botânicos envolvidos em sua produção.

ingredientes para produzir o gin - beefeater

Em cada uma dessas mesas arredondadas estão amostras dos ingredientes.

Conhecendo a fábrica da Beefeater

O tour custa £12 e deve ser agendado pelo site. Entre visitar o museu, conhecer a história do gin e da Beefeater, passar pelo tour guiado e finalizar a experiência com um gin and tonic impecável que você degusta ao lado de onde a magia é feita, prepare-se para “investir” cerca de uma hora. 

fábrica de gin em londres - tour em londres

Gravamos um vídeo para mostrar um pouco do tour e contar curiosidades. Não deixe de assistir porque eu revelo a origem do nome Beefeater, que é incrível, e comento sobre uma tradição sensacional que eles preservam há 150 anos. Adianto que tem TUDO a ver com um dos personagens mais clássicos de Londres.

E aí, curtiu?

Quer aprender a fazer drinks a base de gin?

Se você quer saber mais sobre o gin e se aventurar com receitas de drinks, esse post do bl0g Papo de Homem é bem legal.

Fontes de pesquisa

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Dê vida ao Pra Ver em Londres. Comente!

Written by

Jornalista, 31 anos. Vivendo na Itália. Autor do Pra Ver no Mundo e sócio da London, agência de marketing de conteúdo. Vejo o home office e a vida de viajante como um estilo de vida.

Latest comments
  • Bem legal, apesar de eu não curtir muito gin! Só fiquei esperando vcs dizerem por que os guardas da Torre de Londres são chamados de “beefeaters”… mas isso pode ser um outro post, né?
    Beijos procês!

  • Que legal gente! Nunca imaginei que existisse tanta história por trás do Gin!!!
    Eu adoro gin, mas como sou formiga eu prefiro tomar com sprite! A única coisa é que sempre tenho uma ressaca chata no dia seguinte :/
    Mas mesmo assim gosto bastante!
    Beijocas

  • Olá João! Gosto muito quando vocês apresentam a contextualização histórica dos assuntos abordados aqui no post, ainda mais em se tratando de Londres, que é uma cidade onde o passado está sempre em evidência. Desconhecia esse “período nebuloso” da Londres medieval, por exemplo. Parabéns por mais um post tão esclarecedor! Abraços, José Júnior.

  • Natasch, adorei comentarios e fotos, obrigado mais uma vez, O problema é que
    a microsolf com sua inteligencia, deu hum branco, e cometeu uma estupidez.
    Todo mundo está reclamando dessa mundança da pagina, está horrivel para se
    abrir e navegar na pagina do imail, estou tentando me adpitar. A.P.L. – 18/12/2015

LEAVE A COMMENT