Um passeio de bicicleta por vinícolas no Napa Valley

Dedicamos dois dias de nossa viagem de dois meses pela Califórnia para explorar o Napa Valley – uma das mais respeitadas regiões produtoras de vinho do mundo – e seus arredores.

No primeiro dia rodamos de carro a Highway 29 (estrada base para explorar o vale vinicultor mais famoso dos EUA) e passamos por diversas cidades, em especial Sonoma e Napa. Durante o percurso, conhecemos as vinícolas Provenance, Beringer e Castello di Amorosa, algumas lojas e um supermercado onde compramos nosso almoço – um piquenique debaixo de uma árvore nos jardins de uma vinícola.

picnic napa valley - beringer

Mas os detalhes deste dia vão ficar para outro post. Temos fotos lindas e algumas boas dicas. Segura aí e vem comigo…

napa valley

Rolê de bicicleta por vinícolas californianas

No segundo dia, saímos cedo de Rohnert Park, cidade em que encontramos o hotel com melhor custo benefício da região. Lá, pagamos $49 na diária no Good Nite Inn, um hotel honesto que fica a cerca de 50km de Napa (a cidade), onde não encontramos nada por menos de $130!

Claro que com isso perdemos um tempinho na estrada, mas com o orçamento apertado, acabou sendo uma boa opção. 

hotel no napa valley - good nite inn
O Good Nite Inn, hotel no Napa Valley que foi nossa base, era bem honesto dentro daquele padrão de motel de estrada. Não tinha frigobar, mas a gente tinha cerveja. #comofaz? Pega gelo na recepção, enche a pia com ele e mergulha as IPAs maravilhosas nela.

Se no dia anterior nosso roteiro foi focado nos clássicos do Napa, agora era a vez de fazer um tour de bike pelo Dry Creek Valley, região produtora vizinha ao Napa.

O Dry Creek reúne mais de 60 vinícolas e é reconhecido pelos seus Zinfandel. O que mais me chamou a atenção na região foi que a experiência ali é mais simples e menos turística – bem diferente do que havíamos visto no Napa, no dia anterior. 

As vinícola são menores e, em sua maioria, produzem vinhos orgânicos. Além disso, as estradas são mais calmas e muito provavelmente você nunca vai achar um rótulo produzido no Dry Creek longe dali. E como é boa essa sensação de viver algo que você só poderá sentir novamente se voltar…

tour de bike napa valley-2

Eu sonhava em fazer um passeio de bike por vinícolas há tempos. Até porque carregava uma frustração da vez em que a chuva nos impediu de pedalar por vínicolas em Saint-Emilión, na França.

E, olha, tem algo mágico em rodar por estradas calmas, sentindo o vento no rosto, cercado por vinhedos e sabendo que no fim, além da paisagem maravilhosa, você ainda degustará alguns dos melhores vinhos da sua vida…

Bella Vineyards and Wine Caves

Um passeio de bicicleta por vinícolas no Napa Valley

O passeio não poderia ter sido melhor!

Alugamos as magrelas na cidade de Healdsburg, que fica a 80km de Napa. Foi tudo ótimo. As bicicletas (da marca Trek) eram muito confortáveis, confiáveis e tinham um bagageiro espaçoso em que deu até pra colocar a câmera DSLR, dentre outras coisas.

tour de bike dry creek valley california
No alforge tinha um kit de ferramentas, câmara reserva e bomba, caso o pneu furasse. Mas caso você não saiba trocar pneu é só ligar para o número de emergência que eles te resgatam.

Tá vendo aquele papel perto do guidão? Nele estava o mapa do roteiro que estávamos fazendo. Ajudou bastante a gente se localizar sem precisar pegar o celular.

Onde alugar bicicleta no Napa Valley

O que eu achei legal da Wine Country Bikes,  loja em que alugamos as bikes, é que além das bicicletas voltadas para o cicloturismo eles têm as de estrada (speed) top de linha, perfeitas para ciclistas experientes que gostam de percorrer longas distâncias.

Os preços variam de acordo com o modelo da bike, mas a diária começa em $39 para a bike da foto abaixo, que foi a que usamos.

wine country bikes - dry creek valley - california

Os tours personalizados/acompanhados saem por a partir de $139, mas eu sugiro que você navegue bem pelo site porque eles oferecem muita coisa diferente. Eu gostei muito da proposta dos passeios. Há desde roteiros para quem não está habituado a pedalar até percursos que ultrapassam os 100km. A gente escolheu um dos mais leves.

tour de bike napa valley-3

Nosso objetivo era pedalar devagar, curtir o sol, fotografar a paisagem, degustar um vinho orgânico e comer em uma lanchonete fundada no século XIX, dica que foi dada pela Amber, a simpática canadense que é a dona da Wine Country Bikes.

A Dry Creek General Store é uma parada imperdível na região.

dry creek valley

Não poderia ter sido melhor. Nosso destino foi a Bella Vineyards and Wine Caves em um passeio de 40km (ida e volta) por estradas calmas, cercadas por vinhedos e paisagens bucólicas, abrilhantadas por um céu daqueles que só a Calfórnia parece saber fazer.

dry creek valley

Em boa parte do caminho o que mais ouvíamos eram pássaros cantarolando e o vento que sacudia as árvores anunciando a chegada do outono. Os poucos carros que cruzaram nosso caminho eram guiados por motoristas bem respeitosos. #sonhodeciclista.

Vídeo do nosso pedal pelos vinhedos na região do Napa Valley

Foi um dia especial!

Tentamos mostrar um pouco do passeio, o que vimos e fizemos no vídeo abaixo. Conhecer a vinícola Bella foi uma das boas surpresas do passeio. A sala de degustação deles fica numa caverna embaixo dos vinhedos – mostramos tudo no vídeo. Dá o play e aproveita pra se inscrever no nosso canal no YouTube. Tem rolado bastante coisa por lá!

Leia também:

Por que ir além do Napa Valley

Perguntamos para o pessoal da Bella por que um turista deveria ir ao Dry Creek Valley – que a gente só conheceu porque alugou as bicicletas. A resposta deles foi “porque aqui se tem uma experiência mais simples, autêntica e em um ambiente menos movimentado.”

Faz sentido. Não avistamos ônibus ou vans de turismo em todo o trajeto que rodamos, ao contrário da muvuca que vimos no Napa um dia antes. Na Bella, havia pouquíssimas pessoas com a gente. Ficamos algumas boas horas por lá batendo papo e curtindo o sol.

Acabou sendo a experiência de enoturismo mais legal que tivemos na região.

O Napa Valley é lindo, tem vinícolas espetaculares e logicamente merece sua visita, mas se você puder dedicar ao menos dois dias de sua viagem pela meca dos vinhos californianos, recomendo que vá até o Dry Creek em ao menos um.

Você já foi para o Napa Valley? Deixe um comentário com a sua dica do que visitar por lá. Em meio a centenas de vinícolas, é sempre bom ter uma dica de quem já foi, né? Lembrando que em breve vamos falar sobre as que visitamos no dia anterior ao passeio de bike. 

Dica extra

Falando nisso, se você tem viagem marcada para o Napa Valley, recomendo fortemente que leia as dicas da Mari, do blog Ideias na Mala. Os posts extraordinários da Mari sobre vários destinos na Califórnia nos ajudaram muito a bolar o roteiro para esse e outros dias de uma viagem que foi épica.

Boa viagem,

João (com vontade de tomar vinho)

Quer ler mais histórias sobre ciclismo, cicloturismo e viagens de bicicleta?

Planeje sua viagem com a nossa ajuda!

Faça suas reservas de carro, hotel, seguro viagem e atrações com nossos parceiros. Você compra com segurança, bons preços e ajuda o blog  se manter firme e forte. A cada vez compra que você finaliza a partir de um clique no blog a gente ganha uma comissão e você não paga mais por isso.

Acompanhe a gente nas redes sociais! 

Twitter  |  Facebook  |  Instagram

Snapchat (praveremlondres)  |  Youtube

O mundo é pequeno pra caramba

Lá se vão mais de seis anos desde que publicamos nosso primeiro post. Estávamos prestes a embarcar para Londres, ainda sem saber da escala forçada de seis dias que ourivemos que fazer em Toronto.

Após algumas dias debatendo possíveis nomes, foi em março de 2010 que decidimos que Pra Ver Em Londres seria a marca que nos acompanharia em uma fase nova e cheia de expectativas em nossas vidas.

Fomos a Londres para estudar inglês por seis meses, ainda sem ter muita ideia do que faríamos depois disso. Éramos recém-formados com pouco dinheiro no  bolso e muita vontade de viajar, conhecer o mundo e a nós mesmos.

pra ver no mundo - edimburgo
Em Edimburgo, em 2010. Uma das primeiras viagens que fizemos juntos

A Nah tinha 22 anos e tinha acabado de começar a trabalhar como repórter de um portal ligado ao mercado de investimentos. Eu tinha 24 e era assessor de imprensa de uma consultoria de investimentos. Ambos trabalhávamos em home office, que ainda ainda era uma grande novidade no mundo hoje tomado pelos nômades digitais. 

Foi o passar dos meses lá em Londres (e muito esforço, foco e dedicação nos anos seguintes – assunto deste post que a Nah escreveu, aliás) que nos fez ver que o empreendedorismo e a vida nômade seriam a base de nossa futura vida profissional. Afinal, ela já estava rolando!

Gosto sempre de destacar que não largamos tudo para viajar o mundo e “trabalhar com a internet”. Em tempos em que vemos muita gente tentando vender a fórmula da felicidade – largue seu emprego agora e seja feliz para sempre com o nomadismo digital -, é fundamental lembrar que não existem atalhos, mas muito planejamento e execução.

REGISTRO FEITO EM AGOSTO DE 2016 EM GAROPABA, NO LITORAL SUL DE SANTA CATARINA
REGISTRO FEITO EM AGOSTO DE 2016 EM GAROPABA, NO LITORAL SUL DE SANTA CATARINA

O nascimento do Pra ver em Londres

Nós criamos o blog com o objetivo de compartilhar informações que tivemos dificuldade de encontrar antes de viajar. Tínhamos MUITAS dúvidas sobre como seria a vida em Londres, quanto custaria o aluguel, o mercado, o restaurante, o pub, onde poderíamos morar, como era o transporte público, etc. Nossas perguntas acabaram se transformando em várias respostas aqui ao longo dos anos e ajudaram muita gente em suas viagens para Londres e Reino Unido. Isso, pra gente, é motivo de muito orgulho!

O nome do blog soava bem, sempre gostamos muito dele – apesar de termos vivenciado alguns episódios engraçados devido a confusão do nome com “prazer em Londres”. Dá pra imaginar algumas polêmicas? :D

Por outro lado, da mesma forma que o direcionamento do nome nos posicionou como um dos principais blogs brasileiros dedicados a Londres, também nos limitou. Como escreveríamos sobre outros destinos tendo o nome da cidade na marca? Por alguns anos isso até nos desmotivou um pouco a escrever sobre algumas viagens.

new york - manhattan vista do brooklyn copy
New York é uma das cidades que estamos devendo. Passamos 10 dias incríveis lá ano passado. A lista de bares de cerveja artesanal que visitamos é enorme. Quer dicas?

É claro que muito mais por uma bobagem nossa do que qualquer outra coisa. Esse é um arrependimento que carregamos. Foram tantas viagens incríveis que acabaram não sendo contadas aqui…  Ainda assim, não são poucos os conteúdos sobre outros destinos. Aliás, um dos posts mais acessados de toda a história do blog é justamente sobre Berna, a lindíssima capital da Suíça – você pode ler clicando aqui.

Ciclos que se encerram, oportunidades que surgem

Por muito tempo tivemos Londres como uma meta de vida como lugar para morar. Não é à toa que em cinco anos passamos três longas temporadas na cidade. Perseguimos esse sonho fortemente durante os últimos anos e somos realizados por termos conseguido passar tanto tempo em um lugar tão mágico, inspirador e envolvente.

Entre 2015 e 2016, estávamos em London town e a libra atingia seu ápice histórico! Viver em Londres sempre foi realizador, mas ao mesmo tempo, muito duro pra nós! Tivemos que trabalhar muito para segurar as pontas, especialmente quando o pound batia os R$ 6,30 e 95% de nossa renda vinha das então Dilmas hoje Foratemers.

Fomos atrás de novos clientes e projetos por meio de nossa empresa no Brasil, criamos um tour dedicado à cerveja artesanal em Londres (que não existe mais)- projeto que tem um espação em nossos corações -, passamos literalmente DIAS sem sair de casa para dar conta da demanda de trabalho que nos impunha jornadas intermináveis. Quem nunca?

tour de pubs em londres - a rota da cerveja artesanal em londres
Esse foi o primeiro grupo que participou do nosso tour dedicado a celebrar a cultura da cerveja artesanal em Londres. Lembrança pra vida toda!

Deu tudo certo! A grana entrou e vivemos momentos incríveis com o tour – e na cidade. Tirar uma ideia de negócio papel e colocar na rua é algo fantástico. Aprendemos muito com a experiência, que hoje inspira novos projetos que estão na incubadora.

Mas mesmo com as contas em dia, era uma loucura. Chegou um ponto em que estávamos esgotados mentalmente de tanto trabalho. Foi quando decidimos que seria hora de virar essa página da vida, ao menos pelos próximos anos…

Com a página de Londres sendo virada, mas sem deixar um marcador nela, começamos a pensar que seria a hora ideal para, também, virar a página aqui no blog.

Saint Emilion, uma joia nos arredores de Bordeaux.
Saint-Émilion, uma joia nos arredores de Bordeaux.

Bem-vindo ao Pra Ver No Mundo

A gente debate a ideia de transformar o blog em Pra Ver no Mundo há muito tempo. Só que sempre ficamos num grande impasse, já que haviam vários prós e contras para ambos os lados.

Uma coisa que aprendi seguindo carreira independente, tanto no blog quanto na London, nossa empresa especializada em Marketing de Conteúdo, foi que muitas vezes não existe a decisão ideal e livre de falhas, mas a decisão que você precisa tomar para seguir a vida.

Pra nós, essa hora chegou! Seja bem-vindo a nossa nova casa.

O que muda

Aproveitamos a mudança para melhorar o blog em vários aspectos. Reorganizamos todas as categorias, post por post. Deu um trabalhão, mas fizemos tudo pensando em ajudar você a encontrar o que precisa de forma mais simplificada.

Vale destacar que o Pra Ver em Londres não morreu. Todo o conteúdo que já produzimos sobre Londres está todo muito bem organizado na aba que eterniza nosso primeiro “filho”.

Importante dizer, também, que, ainda temos e sempre teremos muito a produzir sobre a cidade. Morar lá não está nos planos para os próximos anos, mas uma visitinha ou outra a turismo, sim! Nosso Pra ver em Londres sempre estará em nossos corações e, mais importante do que isso, atualizado. =)

londres - hampstead heath
Hampstead Heath, em Londres. Um de nossos parques favoritos na cidade

Na aba Outros Destinos estão concentrados todos os posts sobre nossas viagens. Como falei, nossos dramas pessoais atrapalharam um pouco a produção ao longo dos anos, mas em breve vamos publicar boas histórias de viagens para a Irlanda, França, Estados Unidos, Grécia, Brasil e outros destinos que estão por vir.

Em Reflexões estão os textos mais filosóficos – os que explicam o nosso trabalho e os que falam sobre nossa forma de enxergar a vida, como os campeões de audiência:

É uma editoria que gostamos muito de escrever e sempre tivemos um feedback legal dos leitores. Então é outra área que daremos mais atenção daqui em diante. Aliás, tem algo que gostaria de ler?

Em Vídeos estão todas as nossas produções audiovisuais, que também vão ganhar mais atenção, com vídeos como o abaixo, por exemplo, que gravamos em Garopaba-SC para anunciar as novidades no blog e para dar um gostinho do tipo de vídeo que vamos produzir. Se gostou, deixa seu joinha e um comentário no YouTube? =D

Em Dicas práticas você vai encontrar tudo o que diz respeito a viajar melhor e/ou gastando menos. Um bom exemplo é o post que fala sobre como viajar sem pagar por acomodação através do Couch Surfing. É uma área ainda pouco explorada, mas que também vai crescer com o passar dos meses.

Por fim,em breve vamos lançar uma Loja em que vamos concentrar produtos e serviços de que somos afiliados. São empresas que somos clientes, usamos com frequência e, por isso, recomendamos. Para contratar, você não tem custo extra. Pelo contrário, pode conseguir bons descontos e, de quebra, ainda nos ajuda muito a sustentar o blog. A seção ainda está sendo construída, mas lá você vai encontrar:

  • Booking.com – Reserva de hotéis e hostels no mundo todo. Para todos os bolsos e com muitos descontos.
  • Rentcars – Aluguel de carros em diversas cidades do mundo com atendimento e suporte em português.
  • Real – Seguros viagem, um serviço que você não pode viajar sem contratar.
  • Visit Britain – Para comprar ingressos de diversas atrações turísticas no Reino Unido.
  • Ticket Bar – Para comprar ingressos com preço promocional em diversas cidades do mundo.

Além disso, a Loja ainda vai comercializar guias de viagem produzidos por blogueiros de que somos fãs e, por fim, produtos nossos. Nosso guia de turismo cervejeiro em Londres segue no forrno e com previsão para ser lançado ainda em 2016. Outras novidades virão em breve, mas, por ora, acho que deu, né? ;)

Vem com a gente

Agradeço demais por estar aqui com a gente nessa fase muito especial do blog e de nossas vidas.

Aproveitando, quero te fazer duas perguntas:

1 – Você tem alguma sugestão de tema pra gente abordar na casa nova?

2 – O que achou da cara nova que demos ao blog?

Conta aí! Até o próximo post, que será diretamente da Califórnia! Embarcamos para Los Angeles no dia 25 para uma temporada de dois meses percorrendo o estado dourado em busca das melhores cervejas artesanais e de muita coisa legal para compartilhar com você aqui e  em tempo real no Instagram, Facebook e Snapchat. Siga a gente nesses canais!.

OBS: O título do post é inspirado na música O mundo, de André Abujamra, canção que me faz viajar imaginando os lugares, cenas, situações e críticas tão bem apresentadas na letra.

Acompanhe a gente nas redes sociais! (Alguns perfis mudaram de nome!) 

Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |   Pinterest

Snapchat (praveremlondres)  |  Youtube  | Periscope (praveremlondres)

 

[Vídeo] Londres de bike + Snapchat de viajantes pra você seguir

Uma das coisas que João e eu mais curtimos fazer é explorar as cidades que visitamos sobre duas rodas. Se você nos acompanha há algum tempo já deve ter percebido isso, né? :) Teve post de pedal em York e em Copenhagen e, mais recentemente, um gostinho do nosso rolê de bicicleta pela encantadora região de Cotswolds (logo mais a gente conta essa história em detalhes. Pode esperar!).

Mas não é só quando estamos longe de casa que colocamos as magrelas na rua. Aqui em Londres, volta e meia exploramos os bairros próximos (e também os distantes) na companhia das duas. <3

Recentemente, praticamente cruzamos a cidade para chegar a um dos pedacinhos mais lindos dessa terra: o Richmond Park (que já foi tema de post/vídeo aqui no blog!)…

pra ver em londres - richmond park 2

Foram cerca de 50 quilômetros (AHAM!) de casa até lá, passando por alguns dos principais ícones da cidade e descobrindo preciosidades no caminho…

Como essa vista...
Como essa vista…
... esse cenário de filme...
… esse cenário de filme…
... e esse pedacinho de Londres que nem parece Londres. :)
… e esse pedacinho de Londres que nem parece Londres. :)

Foi um dia memorável, e que compartilhamos em tempo real com um montão de gente. Como? Pelo Snapchat, oras (somos praveremlondres lá também!). Esse aplicativo viciante, que facilita (e muito!) a cobertura de viagens, nos aproxima de gente do mundo todo e faz com que seja possível viajar sem sair de casa.

Pra você que ainda não conhece o app é quer entender “qualé”, recomendo este post do BuzzFeed. ;) 

No dia seguinte, salvei toda a sequência de vídeos que produzimos ao longo das cerca de 3h30 que passamos pedalando e, hoje, apresento para você o resultado disso. Assista e embarque com a gente nesse delicioso pedal por Londres! :)

Bacana, né? Como prometido no vídeo, acrescento aqui duas informações extras:

→ Aquela belíssima obra de arte que você viu mais ou menos no segundo minuto do vídeo chama-se “Dr. Salter’s Daydream”, uma homenagem prestada ao médico Alfred Salter e sua família, que mesmo abastados financeiramente decidiram morar em Bermondsey (região em que ficam as esculturas) no começo do século XXI.

→ O post sobre a Surrey Docks Farm está aqui

→ Se você quiser alugar uma bike para pedalar DENTRO do Richmond Park, dá uma olhada neste link. Tem todas as informações que você precisa para alugar uma magrela por lá.

→ Para pedalar em Londres de uma maneira geral, as bikes de aluguel do Santander são ótimas pedidas. Clique aqui para saber mais.

E aí, curtiu pedalar com a gente por Londres? Espero que sim. A gente adorou “carregar” a galera pra cima e pra baixo pelo Snapchat. :)

Depois desse dia, aliás, já fizemos outras “coberturas” de pedaladas pela cidade por lá – além, claro, de termos mostrado vários pubs superlegais pra quem quer tomar boas cervejas artesanais, um pouco do nosso dia a dia em casa, museus de Londres, restaurantes e assim por diante. Para acompanhar, basta nos seguir na rede do fantasminha. Te esperamos lá (não esquece: somos praveremlondres lá também)!

Mais Londres no Snapchat

E não é só a gente que usa o Snapchat pra mostrar Londres “em tempo real”. Estes são alguns dos nossos amigos/colegas blogueiros que fazem qualquer um sonhar com essa cidade linda enquanto acompanha seus vídeos de dez segundos e fotos sem retoques (o “nickname” no Snap é o que está ANTES do hífen. Depois, vem o link para o blog de cada um):

Segue todo mundo (no Snapchat e em seus respectivos blogs, aliás!) sem medo. São visões diferentes da mesma incrível cidade! ;)

Uma janela (virtual) para o mundo

Além das “londoners” amadas, acompanhamos outros blogueiros que vivem em cidades maravilhosas desse mundão e que compartilham suas descobertas no Snapchat. Se fosse recomendar TODO mundo, a lista ficaria imensa. Por isso, decidi selecionar apenas os meus preferidos da vida (#sinceridades):

Da nossa amada Curitiba:

  • coritiba – SIM, o Coritiba Football Club, nosso glorioso alviverde. O time acabou de criar uma conta oficial. E eu não podia não indicar aqui! :)
  • blogumviajante – Um viajante
  • blogfinestrino – Finestrino
  • feriasnow – Ferias Now

De outros cantos do mundo:

Seguindo essa galera toda, você sempre terá o mundo na palma da sua mão. ;)

Nos vemos por aí.

Até o próximo post,

Nah!

Acompanhe a gente nas redes sociais! Dicas direto de Londres em tempo real!    

Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |   Pinterest

Snapchat (praveremlondres)  |  Youtube  | Periscope (praveremlondres)

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Lake District – Inglaterra: nosso roteiro em vídeo

Essa não é a primeira nem será a última história que vamos contar sobre a viagem que fizemos para o Lake District,  mais um cantinho mágico do reino bretão. Os outros dois posts sobre nossa experiência por lá você lê clicando nos links abaixo:

Hoje, apresento pra você um vídeo que a gente gravou em nossos últimos minutos por lá. Faltando cerca de duas horas para a partida do nosso trem de retorno a Londres, sentamos no gazebo do jardim do hotel, ligamos a câmera e conversamos sobre tudo o que fizemos nos três dias anteriores. Nosso bate-papo resultou num guia prático, em vídeo, pra você planejar sua viagem para a região dos lagos na Inglaterra.

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







São 31 minutos em que contamos detalhadamente tudo que fizemos durante a viagem, tipo:

  • Como se locomover pelo Lake District
  • O que fazer por lá
  • O que a gente comeu (#sdds)
  • O que gostaríamos de ter feito, mas não deu tempo
  • O que você pode fazer
  • Curiosidades, informações e dicas práticas
  • Erros de gravação
  • Imagens exclusivas do snapchat (aproveita e segue a gente lá “praveremlondres”)
  • E muito mais!

Vale dizer que você não vai ver apenas a gente falando ao longo do vídeo. Filmamos bastante coisa durante a viagem , tanto paisagens como  a gente falando sobre o passeio de barco, passeando pelas trilhas, visitando monumentos históricos e por aí vai… Gravamos até em uma lojinha que diz ter o melhor gingerbread do mundo! Esses depoimentos estão inseridos no meio da “narrativa”.

Ou seja, além de vários comentários e dicas, tem MUITAS imagens legais pra você ver o Lake District que a gente viu!

É um formato de vídeo novo – fizemos pra testar. Nossa ideia é sempre gravar algo semelhante em futuras viagens. Se você puder nos deixar um comentário aqui ou lá no YouTube dizendo o que achou, vai nos ajudar muito! Afinal, esse vídeo é pra você! =)


Aliás, aproveito para perguntar:

O que você achou do tamanho do vídeo? 31 minutos é demais ou ficou de bom tamanho? Tiraria/incluiria alguma coisa? O espaço, como sempre, é seu!

Aproveita e se inscreve em nosso canal no YouTube. Vai ter vídeo novo sempre por lá!

Espero que a gente tenha conseguido transmitir ao menos um pouco do que é o Lake District. Desses lugares que fazem a gente sonhar a ponto de “viajar” sobre uma aposentadoria por lá! Nada mau, hein? :)

O post que encerra essa série vem logo mais. Apresentaremos o incrível hotel em que tivemos três noites de reis. Pode esperar pra ver. ;)

lake district - região dos lagos - inglaterra-12

Que tal conhecer uma fábrica de gin em Londres?

É fato que a grande atração dos pubs ingleses são as cervejas, mais especificamente as ales condicionadas em barris de carvalho e servidas em temperatura quase ambiente. No entanto, outro queridinho de qualquer pub londrino é o gin and tonic.

gin and tonic - beefeater - london

O gin, que está longe de ser uma bebida popular no Brasil, bomba na terra da rainha! E como quase tudo nesse país, ele é repleto de história e curiosidades oriundas da tensa Idade Média. Por essas e outras, a gente visitou uma fábrica de gin e conheceu melhor a história dessa bebida que foi inicialmente criada para servir como medicamento, mas não demorou pra cair no gosto dos boêmios.

fábrica de gin em londres - tour em londres

Antes de falar sobre a visita à destilaria Beefeater, uma das marcas de gin mais tradicionais do mundo e cujo nome tem uma história MUITO legal (que você vai conhecer no vídeo que a gente produziu por lá, e que está no fim do post), vou contar um pouco sobre a história do gin em Londres…

Os efeitos devastadores do gin na Inglaterra medievel

Apesar de ter sido criado por um holandês, foi na Inglaterra que o gin se popularizou. E a razão para isso ter acontecido é bem curiosa. Senta que lá vem história…

A bebida ganhou força popular a partir do século XVII, quando o governo permitiu sua produção informal ao mesmo tempo em que taxou pesadamente os destilados importados. A iniciativa foi tomada por questões políticas e religiosas e, mais precisamente, contra os franceses – que estão para os ingleses como os argentinos para nós.

Na época, o brandy francês era muito consumido na Inglaterra. E isso, “é claro”, não podia continuar! Os embargos comerciais contra os importados fomentaram um mercado gigante de produção de gin na, então paupérrima, Londres medieval. 

O gin se tornou o ópio dos londrinos menos afortunados. A bebida era extremamente barata e consumida em larga escala durante um dos períodos mais nebulosos da história de Londres. Um brinde aos governos protecionistas, fazendo história desde a Idade Média.

beefeater - tour de gin em londres

Se você já leu o livro 1984, de George Orwell, deve se lembrar que o maior maior consolo de Winston Smith para suportar os absurdos do “Grande Irmão” era a companhia de uma garrafa de gin vagabundo.

Tal contexto foi responsável por um período chamado Gin Craze (loucura do gin), quando o cotidiano de Londres foi tomado por uma legião de bêbados que vagavam pelas ruas cometendo crimes. Os efeitos do gin naquela época podem ser comparados aos danos causado pela epidemia do crack hoje no Brasil.

beefeater - tour em uma fábrica de gin em londres

O quadro acima, exposto no museu da Beefeater, retrata a fictícia Gin Lane, na Londres do século XVII. No centro da imagem, uma mãe, tomada pela loucura do gin, deixa seu bebê cair para a morte. O quadro é inspirado em uma história real. Em 1734, Judith Dufour estrangulou seu filho de dois anos e o largou em uma vala para, depois, vender suas roupas e comprar gin. 

Nos anos que se seguiram à tragédia, com o objetivo de controlar o caos e consertar a besteira que havia feito, o governo instituiu taxas pesadíssimas para quem quisesse produzir ou vender gin, mas essa história completa, além de várias outras, você pode conhecer no tour da Beefeater. ;)

A alquimia para produzir o gin

Eu costumava tomar gin and tonic esporadicamente, mas confesso que depois do tour passei a me interessar mais pelo terror da Londres medieval. A alquimia necessária para criar a bebida é fascinante. Entre seus ingredientes estão casca de limão e de laranja, semente de coentro, amêndoas, chá verde, outras especiarias, folhas e raízes diversas e o zimbro, uma frutinha que parece o mirtilo e que é a grande estrela do gin.

Na foto abaixo você pode ver todos os ingredientes que compõem a receita do Beefeater. No tour, você pode ver, pegar e cheirar cada um deles. É curioso porque quando você olha para o gin e observa toda sua transparência, sem saber nada sobre ele a não ser que ele pode gerar um porre devastador, não imagina que há tantos botânicos envolvidos em sua produção.

ingredientes para produzir o gin - beefeater
Em cada uma dessas mesas arredondadas estão amostras dos ingredientes.

Conhecendo a fábrica da Beefeater

O tour custa £12 e deve ser agendado pelo site. Entre visitar o museu, conhecer a história do gin e da Beefeater, passar pelo tour guiado e finalizar a experiência com um gin and tonic impecável que você degusta ao lado de onde a magia é feita, prepare-se para “investir” cerca de uma hora. 

fábrica de gin em londres - tour em londres

Gravamos um vídeo para mostrar um pouco do tour e contar curiosidades. Não deixe de assistir porque eu revelo a origem do nome Beefeater, que é incrível, e comento sobre uma tradição sensacional que eles preservam há 150 anos. Adianto que tem TUDO a ver com um dos personagens mais clássicos de Londres.

E aí, curtiu?

Quer aprender a fazer drinks a base de gin?

Se você quer saber mais sobre o gin e se aventurar com receitas de drinks, esse post do bl0g Papo de Homem é bem legal.

Fontes de pesquisa

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







7 vídeos para amar Londres

De uns tempos pra cá a gente tem se dedicado bastante em criar novos vídeos. Só no último mês publicamos quatro novos. Ao todo, temos quase 40 vídeos publicados em nosso canal no YouTube.

Eles são bem diferente uns dos outros em formato, edição e duração, mas eu tenho meus favoritos. E o post de hoje vai reunir alguns deles.

São vídeos que eu gosto porque me trazem boas lembranças e/ou porque curto os lugares as histórias que foram contadas através deles. Aproveita pra se inscrever em nosso canal.

Vai rolar muita coisa legal por lá periodicamente. Uma das vantagens de estar inscrito é que você recebe alertas por e-mail ou no celular (se tiver o app do YouTube) e assiste sempre em primeira mão. A gente também está estudando a ideia de criar conteúdo exclusivo para o canal. Mas, enfim, vamos à lista?

1 – Richmond – Um dos principais pontos turísticos de Londres?

Esse vídeo não é um primor em termos de qualidade técnica, mas eu gosto muito porque mostra um dos meus bairros favoritos em Londres.

Richmond acaba ficando fora do roteiro de muita gente que visita a cidade porque ele fica um pouco afastado, mas é um lugar que eu super recomendo a todos, principalmente pra quem gosta de sentir a vida local e curtir a natureza. É lá que fica o Richmond Park, que é a maior área verde urbana do Reino Unido. E é do alto da Richmond Hill que você pode ver um por do sol inesquecícel às margens do Tâmisa.

2- Metrô de Londres: como colocar créditos no Oyster Card

Utilidade pública! Essa foi a razão de termos gravado esse vídeo. O metrô de Londres, quando se vê/usa pela primeira vez pode parecer um bicho de sete cabeças, mas ele é razoavelmente simples de entender. No vídeo, a Nah mostra como colocar créditos no Oyster Card, o cartão que você vai usar para se locomover em qualquer modal do transporte público da cidade. E no post a gente conta absolutamente tudo o que você precisa saber sobre o metrô de Londres.

3 – Pra Ver Londres Do Alto: Emirates Air Line – O Teleférico de Londres

Esse vídeo está aqui porque é mais uma “atração” Lado B de Londres. O Emirates Air Line foi criado originalmente para atender aos moradores da região. Uma alternativa para cruzar o rio. Contamos tudo sobre ele aqui. É um passeio bem legal, barato e diferente de se fazer em Londres. Por ficar mais longe do centro e do cenário clássico de Londres, você pode ver de perto uma outra versão da cidade. A vista da 02 Arena do alto também não decepciona. E se você planejar seu passeio ao por do sol de um dia bonito, vai ficar de boca a aberta e me deixar com inveja. Me manda foto! =)

4 – The View From The Shard: Pra Ver Em Londres

Quem aí não curte ver uma cidade do alto, hein? Em Londres não faltam opções pra fazer isso e, muito menos, cenários tops pra se ver de cima. O The Shard é um clássico moderno do skyline da cidade. O “cara” é nada menos do que o prédio mais alto da Europa. Demos uma sorte monstra de visitá-lo em um foggy day, quando a neblina toma conta da cidade. As imagens do vídeo revelam o que isso significa. E, nesse post, contamos os detalhes pra você que quer ir.

5 – Uma fazenda no meio de Londres – Surrey Docks Farm

Onde mais no mundo você pode alimentar porcos, ouvir vacas mugindo e sentir aquele cheirinho de café da roça enquanto está de frente para algumas das maiores corporações do planeta? A Surrey Docks Farm é exatamente isso a a poucos quilômetros de Canary Wharf, o novo distrito financeiro de Londres. No post contamos todos os detalhes para você programar sua visita.

6- Um lindo campo de lavanda em Londres para você visitar 

Esse vídeo mostra mais um lugar mágico em Londres. A pouco mais de uma hora de London Bridge você pode sentir que está na Provence. O Mayfield Lavender é lindo demais! A Nah conta todos os detalhes sobre ele no vídeo e nesse post aqui.

7 – Tour de pubs em Londres: A Rota da cerveja artesanal em Londres

Não podia encerrar a lista sem apresentar o vídeo que fazemos para divulgar nosso tour de pubs, né? A gente criou o tour pra levar leitores a alguns dos melhores pubs para beber cerveja artesanal em Londres e, é claro, falar muito sobre Londres e passear por uma das regiões mais legais da cidade. Se você está interessado aqui estão os detalhes e as próximas datas.

Quer mais vídeos?

E aí, gostou da lista? Em nosso canal no YouTube você pode assistir todos os vídeos que já produzimos. Não deixe de se inscrever no canal para receber os novos em primeira mão, hein? Estamos produzindo muita coisa legal!

Aproveitando, tem alguma sugestão de vídeo pra gente gravar? Deixa um comentário com sua ideia que a gente promete pensar com carinho na sua ideia. ;)

João

Grécia: Vivendo um sonho na ilha de Ios (vídeo)

Se você acompanhou nossas redes sociais nas últimas duas semanas viu que estávamos na Grécia.

Se não, corre pro Instagram ver as fotos. Ah, segue a gente no Snapchat também. É só procurar praveremlondres por lá. Infelizmente, os vídeos de Ios já se foram porque eles ficam no ar apenas por 24h, mas a gente tem usado bastante essa rede social. É mais uma forma de nos conectarmos. =)

Passamos dois dias em Atenas e 12 em Ios, uma desconhecida ilha de nome estranho (se fala como se parece: Iôs) que fica a menos de uma hora de viagem da linda, porém lotada e inflacionada, Santorini.

Antes de embarcarmos, não sabíamos muito sobre o lugar, pois tem muito pouco conteúdo na internet a respeito. E ainda tem o fator concorrência com a Apple: experimenta jogar Ios no Google pra ver o que acontece. =)

Mas, pensando agora, visitar o desconhecido acabou sendo muito positivo. Desembarcamos sem saber o que esperar e saímos suspirando e planejando, quem sabe, voltar no próximo verão. Ios nos marcou profundamente. Veja algumas fotos que fizemos nos primeiros dias na ilha.

Pelas amizades que fizemos (fomos para um evento do Travel Massive que reuniu mais de 30 blogueiros de viagem e outros profissionais do turismo do mundo todo), pelas praias absurdas, pelo azul do mar e das portas e janelas, pela paz, tranquilidade e energia do lugar, pela fantástica comida mediterrânea, pelo por do sol, pelos gatinhos e por tantas experiências que me arrancam um sorriso sempre que lembro.

Quando estávamos voltando, no ferry, fiz um esboço de um texto com 20 e tantos motivos para você conhecer Ios. Em breve ele será publicado e você vai entender melhor a razão dos suspiros e dos planos de voltar.

Até lá, deixo o convite pra que dê o play no vídeo abaixo e sinta um pouco do que é Ios. Se gostar, não esquece de “dar um joinha” no YouTube e se inscrever no canal. Estamos entrando em uma nova era aqui no blog. Vídeos serão mais frequentes daqui em diante. Mas quero saber se você é a favor dessa ideia.

Afinal, como sempre falamos, o Pra Ver em Londres (na Grécia ou no mundo) é nosso, mas também é seu!

E aí, curtiu? Tem alguma sugestão de vídeo pra gente gravar? Vale uma dica pra mostrar um lugar legal em Londres, uma outra cidade, a gente falando bobagem ou qualquer coisa que sua curiosidade permitir. Eu tô bem curioso e ansioso por suas sugestões! Hehe

Até a próxima.

Metrô de Londres: tudo o que você precisa saber

Quando você olha para o mapa do metrô de Londres pela primeira vez é fácil fazer cara feia e achar que você nunca vai entendê-lo. Justo.  O underground é mesmo monstruoso.

São 402 km de trilhos distribuídos entre 270 estações e 11 linhas que cobrem praticamente a cidade toda e transportam mais de 3,5 milhões de pessoas diariamente.

Curiosidade: O tube londrino foi inaugurado em 1863. Lá se vão 152 anos de história. É o mais antigo do mundo!

Pra quem vai a Londres por poucos dias, o metrô é a opção de transporte mais fácil de aprender e a mais rápida para se locomover. A não ser que você goste de pedalar, mas isso é papo pra outra hora.

Então já salva esse link nos seus favoritos porque o post vai ter tudo o que você precisa saber sobre o metrô de Londres. Ah, e relaxa. Na prática, ele é mais simples do que parece.

Pra Ver em Londres - metro de londres - vagão

Oyster Card: seu melhor amigo

A primeira coisa que você deve fazer ao chegar em Londres é comprar o Oyster Card, cartão do transporte público da cidade que pode ser usado não só no metrô, mas em ônibus, trens, DLR (trem de superfície), Thames Clippers (barcos) e no Emirates Air-line (o bondinho). Enfim, em todas as modalidades do transporte público. O Oyster vai agilizar e muito a sua vida. E baratear.

Exemplo: a passagem única para circular por estações na Zona 1 custa £4.80 sem o Oyster. Com o cartão, você paga £2.30. Não vai querer ficar sem ele, vai? =)

metrô de londres - oyster card

Você pode comprar o Oyster por £5 em qualquer estação de metrô (inclusive no aeroporto de Heathrow), trem e nas chamadas “Oyster ticket stops” (link para achar a mais próxima a você no fim do post).

Ah, vale dizer que se você não tiver apego emocional ao seu Oyster, é possível devolvê-lo ao fim da viagem, também em qualquer estação, e recuperar as cinco libras. Que gentileza, não? =)

Curiosidade sobre o Oyster: já foram emitidos mais de 70 milhões de cartões. É o cartão transporte mais popular do mundo!

A tabela abaixo mostra melhor os preços das tarifas (valores de fevereiro de 2015). Atente-se para a diferença de preços no horário de pico (peak) e fora dele (off peak). O horário de pico ocorre apenas de manhã, até às 9h30. No fim do dia não há.

Valores para adultos. Cortei a tabela para mostrar apenas os preços até a zona 3. No fim do post há um link para ver a tabela completa.
Valores para adultos. Cortei a tabela para mostrar apenas os preços até a zona 3. No fim do post há um link para ver a tabela completa.

Pay as you go ou travelcard?

Agora que você já tem o Oyster em mãos é preciso decidir se vai carregá-lo com créditos pré-pagos (pay as you go) ou se compra um pacote para usar livremente por um dia, uma semana ou um mês (travelcards). Sua escolha vai depender, principalmente, do tempo que ficará na cidade.

Dica: se for ficar até cinco dias em Londres e planeja usar bastante o metrô, a melhor opção é carregar o Oyster no sistema pay as you go.

Pra Ver em Londres - metro de londres - westminster

Tarifa máxima de um dia

Atente-se ao campo capping na tabela acima, sinalizado com uma flecha.

O valor que ali está é o máximo será cobrado de seu Oyster por dia se estiver com créditos pay as you go. Pra exemplicar: se você circular apenas entre as Zonas 1 e 2, seu custo máximo com transporte público em Londres será de £6.40 por dia, independente da quantidade de vezes que usar. Reforçando, isso se você estiver no pay as you go.

A partir de seis dias na cidade pode ser mais vantajoso adquirir um 7 day travelcard, que custa £32.10 para as Zonas 1 e 2. Mas isso vale apenas se você for usar o metrô todos os dias. Tem dias, por exemplo, que você talvez circule apenas a pé, para visitar atrações perto de onde está hospedado. Se isso ocorrer e você tiver um 7 day travelcard, você perde dinheiro. Por isso que é bom ter um planejamento prévio dos roteiros que fará em Londres para não desperdiçar preciosas libras.

Você vai ver muitos artistas (chamados de “buskers”) dentro das estações. Em algumas estações, eles ficam em um lugar demarcado (tá vendo o chão?). Propague o bem. Dê uma gorjeta. =)

Entenda as Zonas de Londres

É hora de entender o mapa de Londres. A cidade é dividida por nove zonas circulares. Sendo a Zona um, a mais central, e a nove, a mais distante. O mapa abaixo ajuda a entender melhor. Importante destacar que se você vem a turismo seus passeios vão se concentrar, em sua maioria, nas zonas um e dois.

É bom saber disso porque o preço do metrô aumenta à medida que você se afasta das zonas centrais. Ou seja, não se preocupe em entender as zonas mais distantes. A não ser que você tenha algum motivo específico pra ir ao infinito e além de Londres. =)

mapa do metrô de londres
No fim do post há um link para você baixar esse mapa em pdf

As linhas do metrô de Londres

No mapa acima você está vendo a estrutura das 11 linhas do metrô de Londres, que circulam por 270 estações. São elas:

  • Bakerloo
  • Central
  • Circle
  • District
  • Hammersmith &  City
  • Jubilee
  • Metropolitan
  • Northern
  • Piccadilly
  • Victoria
  • Waterloo & City

Pra Ver em Londres - metro de londres (1 de 1)-16 - rua

Quanto tempo vou esperar por um trem no underground?

Dificilmente você espera mais do que cinco minutos por um trem do metrô em Londres. O giro é muito rápido, mesmo. Às vezes a espera leva pouco mais de um minuto. Salvo dias de greve ou de imprevistos. No fim da noite, na verdade, a frequência diminui um pouco, mas nada grave.

Ah, você sempre consegue saber exatamente quanto tempo vai levar para a chegada do próximo trem. Todas as estações têm sinalizações como esta:

Pra Ver em Londres - metro de londres - plataforma
Esses painéis sempre indicam o tempo restante para a chegada dos próximos trens

6 dicas práticas para andar de metrô em Londres

1 – Se você quiser saber quanto tempo leva para ir de uma estação a outra consulte o site do TfL. Eles têm um simulador. No Google Maps também rola fazer isso. Mão na roda! Links no fim do post.

2 – Em toda estação você pode pegar gratuitamente um mapa de bolso do metrô. Vale carregar sempre um pra qualquer emergência.

3- Não pergunte pelo metro nas ruas – ou corra o risco de ouvir um “ahn”? Use termos como undergound ou tube.

4 – Algumas estações têm Wifi: link no fim do post tem todos os detalhes e condições de uso.

5 – As estações são muito bem sinalizadas. Por mais que algumas, como Bank, sejam gigantescas, dificilmente você irá se perder dentro delas.

6 – Você, SEMPRE, precisa “bater” o Oyster antes de entrar e quando for sair das estações. Na maioria das vezes não tem como esquecer porque obrigatoriamente você passa pela catraca, mas algumas estações não têm catraca. Apenas o ponto do Oyster perto da saída. Se por acaso esquecer, você será cobrado com a tarifa máxima do dia na próxima vez que usar o cartão. Lembre-se disso!

Exemplo de rotas traçadas pelo sistema do Transport for London e pelo Google Maps
Exemplo de rotas traçadas pelo sistema do Transport for London e pelo Google Maps

Horário de funcionamento

Cada linha tem um horário de funcionamento diferente. Algumas começam a funcionar por volta de 4h40, outras a partir de 5h30.

O horário de fechamento também muda em cada linha, mas tome a regra da Cinderela como sua. Deu meia-noite é hora de se preocupar com o último trem. Se não, só amanhã de manhã… ;)

No fim do post tem um link com os horários exatos de cada linha.

Pra Ver em Londres - metro de londres - sloane square

5 dicas de etiqueta britânica para o metrô de Londres

1 – Mind the gap: a linha amarela entre o trem e a plataforma existe para sua segurança e deve ser respeitada.

2 – Antes de embarcar aguarde o desembarque: não tem coisa pior que gente entrando no trem enquanto dezenas de pessoas tentam sair. Espere sua vez.

3– Jamais fique parado do lado esquerdo na escada rolante: outra coisa que irrita profundamente os londrinos. Se não está afim de andar na escada, fique no canto direito e deixe o fluxo seguir livre pela esquerda.

4 – Dentro das estações, siga o fluxo: dá pra comparar as milhares de pessoas que circulam dentro das estações com carros no trânsito. Se um carro para do nada, a probabilidade de um acidente é enorme. O mesmo vale para andar do metrô. Se precisar parar para ver alguma informação ou amarrar o cadarço, procure um cantinho mais calmo.

5 – Deixe o Oyster sempre à mão: não espere chegar na catraca para tirar seu Oyster do bolso. Deixe ele a postos para não empatar a fila. Dica: o Oyster tem o poder mágico de funcionar dentro da carteira. =D Se encostar sua carteira no ponto de entrada ele irá funcionar. Cheers!

Pra Ver em Londres - metro de londres - keep right

Como economizar no metrô de Londres

* Organize seus roteiros previamente: Um pouco de planejamento não faz mal pra ninguém. Simule as rotas que fará a cada dia no site do Tfl ou Google Maps sempre que possível. Isso vai te possibilitar fazer um cálculo prévio de quanto vai gastar com transporte público.

* Saiba que é improvável ir além da Zona 2: se você está viajando para fazer turismo em Londres, ou seja, vai ficar poucos dias, sugiro adquirir passes para as Zonas 1 e 2 porque a grande maioria das atrações está ali. Mas se perceber que um de seus passeios é na Zona 3 (Wimbledon, por exemplo) ou Zona 4 (como Richmond Park e Kew Gardens), não se preocupe. Apenas carregue seu Oyster com o valor para ir e vir dessas Zonas no pay as you go. O Oyster fará a leitura automaticamente e você poderá fazer sua viagem sem se preocupar.

* Entenda sua rotina: se você está indo fazer intercâmbio em Londres, trabalhar ou passar alguns meses, a melhor coisa a fazer é ficar com o pay as you go por um tempo até que entenda bem as distâncias e crie uma rotina. Assim, poderá avaliar qual é a melhor opção para economizar.

* Criança de até 10 anos não paga: desde que acompanhada por um responsável. Sempre tenha um documento do pequeno em mãos para evitar transtornos.

* Menores de 18 anos têm desconto: os valores variam de acordo com a idade. No fim do post tem um link com as tabelas de preços.

 * Se você vai estudar em Londres, comemore: estudantes pagam preços bem mais camaradas. As tarifas estão no fim do post.

Pra Ver em Londres - metro de londres - desembarque

Apps que são uma mão na roda

Tube Map – London Underground: além de servir como mapa, mostra o status de cada linha, horários de funcionamento, dentre outras funções. Bem útil!

Citty Mapper: excelente planejador de rotas. Você digita o ponto de origem e chegada e ele mostra todas as possibilidades. Não só via metrô, mas ônibus, trem, DLR, Clippers, bicicleta e até táxi. Tem até rotas para fugir da chuva. Ah, e ele ainda diz quanto cada opção vai custar. Baixa aí que não tem como se perder com ele.

Google Maps: você pode usá-lo como planejador de rotas de qualquer modal de transporte público de Londres. Basta inserir endereço ou nome da estações que ele mostra os caminhos.

Quer conhecer mais apps pra te ajudar na viagem a Londres? Leia esse post.

Pra Ver em Londres - metro de londres - mind the gap

Quer ver mais fotos?

Reuni em nosso perfil no Google+ todas as fotos que estão aqui e várias outras exclusivas. Acompanha a gente por lá também! =)

Pra Ver em Londres - metro de londres - oxford circus

E que tal um vídeo mostrando como colocar créditos no Oyster?

A gente gravou um vídeo pra explicar como você faz para carrregar seu Oyster Card nas máquinas de atendimento automático. Olha como é fácil…e depois da explicação você ainda vai dar uma volta de underground com a gente.

Aproveito pra deixar aqui mais um vídeo que mostra a sensação de sair da estação de metrô de Westminster e dar de cara com ele, o Big Ben:

Links úteis para entender melhor o metrô de Londres

Pra Ver em Londres - metro de londres - joao e nah

Ficou com alguma dúvida?

Eu  tentei reunir aqui tudo o que você precisa saber pra se virar com o metrô em Londres, mas se por acaso faltou algo, se você teve alguma dúvida ou mesmo se tem uma dica extra, comenta aí. Vamos ajudar mais pessoas! =)

Referências

* Transport for London

* Livro The Tube – station to station on th London Underground – Oliver Green 

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







 

Uma história de Natal em Londres

O clima de Natal chegou sexta-feira aqui em casa. Ele veio com o início das nossas férias (\o/) e com esta cena:

Essa fofura é o nosso afilhado João Gabriel, que alegra nossas vidas com esse jeitinho lindo de ser. :) #dindababona

E aí que o “click natalino” fez eu me dar conta que ainda não tinha falado aqui sobre nossa experiência no Natal em Londres. Pra acabar já com esse problema, abri um vinho branco, pedi para o João editar umas fotos e tô aqui escrevendo essas linhas pra você. :)

Minha ideia é falar sobre quatro aspectos que, na minha opinião, tornam o Natal em Londres tão especial. Tem bastante link espalhado no texto. Use-os para programar os seus próximos dias na terrinha – ou pra sonhar com o Natal do ano que vem, de 2016, de 2017… o importante é sonhar! ;)

Escolhi uma música natalina que a gente curte (e que tocou enquanto estávamos no Winter Wonderland ano passado!) para embalar o post. Se quiser, dá o play e curte comigo! :)

O Natal nas ruas de Londres

Iniciei esse post dizendo que o clima de Natal chegou sexta aqui em casa. Tarde, né? É que, pra mim, Natal tem a ver com luzinhas colorindo a cidade, trilha sonora de jingle bells em tudo quanto é canto e criançada dizendo que quer ganhar “biciqueta” do Papai Noel.

Só que em terras curitibanas, pouco tinha visto do “meu Natal” até então. Pra você ter uma ideia, no nosso bairro todinho, a casa dos meus pais deve ser uma das dez iluminadas especialmente para a época – meu “dads” pira nas luzinhas. Olha só:

*hahaha. Brincadeira. Esse aí é o belíssimo Palácio Avenida, um clássico do Natal curitibano – que, aliás, a gente mega recomenda. Mas um dia meu pai chega nesse nível de decoração. Pode apostar.*

Em Londres, no ano passado, foi diferente. Já em novembro a cidade estava inteira decorada para o Natal… <3

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-2

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-20

Acredite se quiser, o acendimento das luzes de Natal das principais avenidas da cidade é sinônimo de festança. Milhares de pessoas se reúnem para gritar “ooooooh” quando as luzes são acesas pela primeira vez. :)

A gente foi ver de perto o evento da Regent Street, que tinha show com ex-Spice Girl e minha ex-musa Eliza Doolittle – ex-musa porque confesso que não ando curtindo muito a vibe atual da moça. Alguém além de mim acha que o sucesso subiu à cabeça da inglesinha?

Anyway… confesso que a experiência não foi das melhores. Tinha tanta gente, mas tanta gente, que não vimos nada dos shows. Só ouvimos algumas músicas beeem de longe e, claro, vimos as luzes se acendendo – mas não é nada fenomenal, acho que vale mais a pena observar as luzes já acesas em dias “normais”, sem tanto empurra-empurra. :)

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-24

Enfiiim… Depois de todas as luzes estarem devidamente no modo “on”, andar por Londres é igual se sentir DENTRO daqueles filmes de Natal que a gente via quando era criança, sabe? E isso, aaaaah, isso é uma delícia…

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-22

Mercados de Natal em Londres

Outra característica que torna Londres ainda mais especial no fim do ano são os mercados/feiras de Natal, que podem não ser tão imponentes como os alemães, famosíssimos no mundo inteiro, mas que ajudam a fortalecer o “espírito natalino” de quem visita a cidade nessa época.

O Winter Wonderland, que fica no Hyde Park, é o maior e mais famoso, mas há vários outros espalhados pela cidade – como na Leicester Square, em Southbank, no Victoria Park e assim por diante.

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-3

 O Londonist fez um post apresentando um montão de opções de mercados de Natal em Londres. Vale a pena conferir (tá aqui!).

Basicamente, os mercados/feiras têm comes e bebes, pista de patinação no gelo (que, aliás, é outro clássico do “Natal” londrino – a Thais, colega de blogosfera de viagem, contou sua experiência neste post), brinquedos pra você gastar suas preciosas librinhas se divertir, trilha sonora natalina… é divertido. :)

Dá uma olhada nos registros que fizemos lá no Winter Wonderland:

Fish & Chips não pode faltar, né? :)
Fish & Chips não pode faltar, né? :)
Já que a neve de verdade não veio, que tal levar um pouquinho da artificial para casa? GENTE, é uma delícia ficar pegando essa nevinha na mão. hihi
Já que a neve de verdade não veio, que tal levar um pouquinho da artificial para casa? GENTE, é uma delícia ficar pegando essa nevinha na mão. hihi
Ó aí quanto você tem que  desembolsar pra levar neve pra casa. O que acha?
Ó aí quanto você tem que desembolsar pra levar neve pra casa. O que acha?
Delicinha de bar no meio do Winter Wonderland
Delicinha de bar no meio do Winter Wonderland

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-12

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-14

Esse brinquedo é MUITO legal, gente. Um labirinto de pequenas "armadilhas" que a gente percorreu muito bêbados na Oktoberfest, em Munique.
Esse brinquedo é MUITO legal, gente. Um labirinto de pequenas “armadilhas” –  a gente percorreu um igualzinho muito bêbados na Oktoberfest, em Munique.

Deu pra ver que é legal, né? Então procura um perto de onde você está hospedado/de onde você mora ou um que lhe agrade mais e se joga. ;)

O melhor do Natal em Londres: a noite de Natal!

Tudo muito bom, tudo muito bem. Mas o melhor ainda estava por vir: a noite de Natal!

Longe da família e dos amigos da vida toda, o 24 e o 25 de dezembro tinham tudo para ser dias meio tristonhos pra nós. Mas que nada. Os queridos Liliana e Klaus (do blog Catálogo de Viagens – que se você ainda não conhece, precisa conhecer) nos convidaram a passar o feriadão na casa deles, e foi tudo incrível.

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1) (2)
Bons amigos que Londres e o blog nos deram. :) João e eu você identifica, né? Bom, Klaus é o outro homem da mesa, a de cabelo branco é Aida, amiga deles que é maquiadora da MAC do Spitalfields Market e que é uma queridona, e a gata da lindona aqui na ponta é a Liliana.

Pra começar, o cardápio estava top!

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-2 (2)

João e eu fomos atééé Willesden para buscar um lombo recheado DOS DEUSES em um açougue brasileiro que merece a indicação: Açougue Ki Carne – ou Açougue do Gaúcho (além do lombo, compramos picanha brasileiríssima pra levar pra casa. Bom demais! hehe). Além disso, Liliana mandou super bem no peru e nos acompanhamentos e a decoração estava liiiinda. Olha só:

Tanto capricho, né, gente? <3
Tanto capricho, né, gente? <3
<3
<3

Mas o ponto alto da noite foi o mico que eu paguei ha hora da abertura dos crackers – uma tradição que merece destaque porque é muito divertida.

Funciona assim: no prato de todo mundo fica um pequeno tubinho que tem um presentinho dentro (o tal Christmas Cracker). Antes da ceia, todo mundo se dá as mãos e cada um puxa um lado de um cracker. Os presentinhos caem (e a Natasha também) e com eles surgem as coroinhas de papel que todo mundo tem que usar até o final da ceia. Ah, tem também umas piadinhas que fazem a galera dar boas risadas – se bem que eu acho que meu mico foi mais engraçado. Vê o que você acha:

hahahahah

Viu um ser caindo ali no cantinho? Pois é, sou eu, essa pessoa nada desastrada. :)

Foi uma noite agradabilíssima! E como dia 25 é feriado e não tem ônibus, metrô, trem, meio de transporte algum circulando, o casal de Vitória (ES) e a amiga Aida tiveram que nos aguentar por mais um dia. =D

Mas acho eu que eles curtiram tanto quanto nós. Tomamos boas cervejas, papeamos muuuito e tivemos um Natal inesquecível.

Obrigada pelo convite, gente. <3

Boxing Day

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-17

O último destaque do Natal de Londres que trago para cá é o famoso “Boxing Day”. O primeiro dia de liquidações pós-Natal. Que muita gente ama. Mas não eu.

Não adianta, “shopping” não é pra mim. Deteeeesto encarar lojas lotadas, cotoveladas para encontrar “o” vestido com 80% de desconto e afins. Na real, não sou consumista e ponto final.

Mas, como sei que o “Boxing Day” é um sonho para muita gente (talvez até para você aí!), no ano passado concordei com o marido que precisávamos viver essa experiência pra contar aqui como é.

No dia 26, então, deixamos a casa dos amigos amados e nos mandamos para a Oxford Street em dia de Boxing Day.

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-18

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-19

O que eu posso dizer? Tem bons descontos, sim, mas tem que ter mais paciência do que nunca pra conseguir fazer boas compras. Se você quiser aproveitar, vá com roupas confortáveis e esteja disposto a entrar de porta em porta para encontrar o que busca.

Não vou indicar loja “x” ou “y” porque acho que gosto cada um tem o seu, mas já digo que na região da Oxford Street tem muita coisa a preço de banana nessa tão famosa data. Aproveite!

Feliz Natal! :)

Reunindo aqui minhas quatro principais dicas do Natal em Londres – curtir as luzinhas nas ruas, passear pelos mercados, ter uma noite de Natal com amigos e aproveitar o Boxing Day (se você for desse time, claro) -, aproveito para deixar para você, que nos acompanha e nos motiva a seguirmos firmes e fortes com o blog, um Feliiiiz Natal.

Natal em Londres - Pra Ver Em Londres (1 de 1)-21

Que você possa aproveitar essa data com as pessoas que ama e que receba de presente muito carinho, momentos inesquecíveis, bons drinks e boas festas. :)

Saiba que sua companhia aqui é um presentão para nós todos os dias.

Volto antes do dia 31 pra falar sobre nossa experiência no Ano Novo em Londres, ok?

Boas festas e até lá!

Beijão,

Nah (e João – que mais uma vez colaborou com a edição das fotos e do vídeo – thanks, marido!)

*Ps: tem mais fotos no Google+. Clique aqui para ver!

Richmond: um dos principais pontos turísticos de Londres? (+ vídeo de bônus)

Não, Richmond não é um dos principais pontos turísticos de Londres, mas após ler esse post e assistir o vídeo você vai concordar que ele deveria ser – garanto! =)

O nosso desejo de conhecer o Richmond Park era antigo.

Sempre ouvimos falar que ele era um dos parques mais bonitos da cidade, mas como fica um tanto longe, lá na última parada no lado oeste da District Line (Zona 4), sempre adiávamos.

Por favor não cometa esse erro!

No último sábado finalmente fomos até lá e voltamos já programando uma nova visita.  Com sobras, Richmond entrou na lista dos nossos favoritos em Londres.

A começar pelo bairro

Saímos de casa pensando somente em conhecer o parque, mas não foi fácil…

Achávamos que o parque seria ao lado da estação, mas uma caminhada de uns 30 minutos (cerca de 1,5km) subindo a colina ainda nos reservaria incríveis surpresas.

O centro de Richmond é praticamente uma cidade à parte de Londres. O fato de o bairro ser um pouco distante, mas com paisagens surreais quando você pensa que está em uma das maiores cidades do mundo, fez com que a economia local prosperasse, penso.

Você encontra por lá praticamente todas as grandes e pequenas lojas do varejo londrino, bons restaurantes, supermercados, cinema, artistas de rua e toda aquela atmosfera apaixonante de Londres.

Não é difícil querer morar por ali não, viu…

O mercado de rua que rola aos sábados é bem pequeno, mas incrível! Se você curte uma boa comida de rua vai se deliciar.

Richmond - Farmers Market

Tá vendo que o objetivo inicial de ir até o parque não foi fácil, né?

Mas quando chegamos nessa ponte aí da foto que realmente vimos onde estávamos. E ainda nem tínhamos começado a subir a Richmond Hill, a subidinha que nos levaria ao parque.

pra ver em londres - richmond - principais pontos turísticos de londres

pra ver em londres - richmond - principais pontos turísticos de londres

pra ver em londres - richmond - ponte 3-2

Subindo a Richmond Hill e perdendo o fôlego

Não tenho nada para falar sobre a Richmond Hill. Sério! As fotos da rua que leva ao parque falam por mim…a cada 10 metros que a gente andava o visual incrível das curvas do Thames mudava.

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6
Richmond certamente entraria na lista dos 1000 lugares pra pedalar antes de morrer

pra ver em londres - richmond - views6

O Richmond Park

O Richmond  é o maior parque de Londres e é também uma Reserva Natural que serve de lar para adoráveis veadinhos. Mas há de se ter cuidado. Diversas placas avisam que eles são animais selvagens e que é recomendado manter uma distância de 50m das feras.

Não conseguimos ver nenhum pois chegamos lá um pouco tarde e não pudemos caminhar muito parque adentro.

pra ver em londres - richmond park 4
A placa alertava para que as pessoas não retirem as castanhas do chão, pois elas servem de alimento aos veados no outono e inverno

Merecem destaque no parque, também, a Isabella Plantation, um jardim ornamental, e o Pembroke Lodge, uma mansão que tem um Tea Room, recebe muitos casamentos e parece ter outras belas paisagens do horizonte sobre o Thames. No site do parque você pode ver mais detalhes sobre essas e outras atrações do parque.

No mais, vale considerar alugar uma bike pra otimizar o passeio, já que a área é imensa. Há um serviço de aluguel dentro do parque. Aqui você encontra mais infos.

Bom, informações importantes repassadas eu fico sem mais argumentos. Deixo as fotos e o vídeo que editamos te convencerem a ir até lá, ok?

Garanto que você vai querer sair correndo pra Richmond quando chegar ao fim do post.

Assista o vídeo

pra ver em londres - richmond - sunset

pra ver em londres - richmond park 2

pra ver em londres - richmond park 3

pra ver em londres - richmond - nah joao

Queremos conhecer seu parque favorito em Londres

Aproveitando, qual é o seu parque preferido em Londres? Tem algum fora do circuito tradicional que você adora? A gente já falou sobre o Springfield Park, que fica em Clapton, nossa antiga vizinhança.

Deixa sua sugestão nos comentários que a gente vai adorar conhecer! =)

Ah, as fotos do post foram reunidas em nosso perfil no Google+. A partir de agora vamos manter atualizações por lã também. Não deixe de seguir

Dicas pra aproveitar melhor seu dia em Richmond

  • Vá a Richmond no sábado pra curtir o mercadinho de rua, que é pequeno, mas repleto de delícias. Comidinhas boas e baratas entre 11h e 15h.
  • Reserve algumas boas horas pra curtir o parque, pois ele é imenso.
  • Tem um Sainsburys pertinho da estação. Aproveite pra comprar uns quitutes e fazer um picnic no parque.
  • Considere alugar uma bike