O incrível caso da bicicleta roubada (e recuperada) em Londres

No início desta semana, nossa leitora e amiga virtual Mari Arakaki contou no Twitter que a bike do seu marido tinha sido roubada em Londres e que eles estavam pertinho de recuperá-la. Curiosa, pedi que ela me contasse essa história com mais detalhes. Achei tudo tão interessante que perguntei se podíamos contar a história aqui no blog. Ela topou, respondeu umas perguntinhas e hoje você conhece o incrível caso da bicicleta roubada (e recuperada) em Londres! =D

Mas, antes do relato da Mari, alguns números para você entender a realidade dos ciclistas ingleses…

  • Os ingleses passam em média 23 meses com suas bikes antes de elas serem roubadas (sendo que quando as compram esses ciclistas dizem pretender ficar com suas magrelas por 10 anos!);
  • Um em cinco donos de bicicletas tem sua parceira de pedaladas roubadas em até 6 meses!;
  • Pesquisas revelam que o número de roubos a bicicletas cresceu 7% no ano passado, mas esse dado pode ser ainda pior já que estima-se que apenas um terço dos furtados relatam o caso à polícia – isso porque quase metade dos outros dois terços (49%) não acha que compensa o esforço e 24% simplesmente acredita que a polícia não dará a mínima para esse tipo de crime;
  • Em 2011 a polícia recebeu registros de 114 MIL bikes roubadas na Inglaterra – 26 mil só em Londres. É muita coisa, nénão?;
  • E, pasme, até sua casa pode não ser um lugar seguro para sua bicicleta. Três em 10 órfãos de bike disseram que as suas bicicletas foram levadas da garagem de casa. =/

Fontes dos dados: BBC e Road.cc

Pois é, minha gente, além de enfrentar os perigos naturais de se pedalar (este post do Londonist mostra onde é mais perigoso andar de bike em Londres), os ciclistas londrinos e ingleses têm muito com o que se preocupar no que diz respeito à segurança DA bike. 🙁

Escolher um bom cadeado para prender sua bicicleta por aí é um bom começo. O que é um bom cadeado? Este vídeo explica:

Tá, mas o que você quer saber MESMO é da história da Mari, né? Okok, vamos lá! 🙂

Como tudo começou…

No domingo passado (04/08), a Mari e o Fernando (marido dela) iam receber alguns amigos para o almoço e o Fernando precisava comprar algumas coisinhas que estavam faltando para o rangones. Chegou lá e fez o de costume: parou a bike no paraciclo e prendeu com corrente e cadeado. 15 minutos depois, quando voltou, a bike tinha sumido. 🙁

A Mari não tem fotos da bike deles, então vou ilustrar o post com imagens nossas. E, oha, garanto pra você que se a bicicleta roubada tivesse sido essa aí talvez hoje eu não estivesse aqui para contar a história. Na revolta do marido eu poderia ter dado adeus à vida. hahaha. Drama à parte, a Gigi, como o João chama a bike dele, é importante demais para o meu excelentíssimo...
A Mari não tem fotos da bike deles, então vou ilustrar o post com imagens nossas. E, oha, garanto pra você que se a bicicleta roubada tivesse sido essa aí talvez hoje eu não estivesse aqui para contar a história. Na revolta do marido eu poderia ter dado adeus à vida. hahaha. Drama à parte, a Gigi, como o João chama a bike dele, é importante demais para o meu excelentíssimo…

Naquele dia, com as visitas em casa, o casal preferiu não investigar o roubo. a Mari apenas entrou em contato com a polícia e informou o que tinha acontecido.

Na segunda-feira, porém, enquanto o marido trabalhava ela resolveu entrar no Gumtree (que tem fama de ter muitas bicicletas roubadas à venda) para ver se a magrela estava lá e, pum, a primeira que apareceu quando ela buscou pela marca foi justamente a deles. =O

“Entrei em choque! Quase não tinha informações, falava apenas que a bicicleta custa originalmente £500 e ele ‘fazia’ por £150! Um absurdo!”.

Sujeitinho safado esse, hein?

Corre nos canos da Gigi o sangue viajante. Olha aí ela com suas parceiras de estrada! :)
Corre nos canos da Gigi o sangue viajante. Olha aí ela com suas parceiras de estrada! 🙂

E aí que a Mari não deixou barato, né? Menina esperta, ligou pra polícia e… teve uma decepção. “Tinha toda certeza do mundo que eles iam pegar as informações (anúncio e telefone) e ir atrás do cara, né? Sonho meu! Não pegaram o número do anúncio nem o telefone. Disseram que em alguns dias alguém me telefonaria para pegar mais informações”, contou. Poutz. 🙁

Como você pode imaginar, isso deixou a Mari de cara (pra usar uma palavra leve). “Eu estava com as informações na mão e ninguém ia fazer nada? Eu disse para a policial que me atendeu que nesses ‘alguns dias’ a bicicleta já teria sido vendida, o chip do telefone jogado fora e eu nunca mais veria nem a cor dela! E ela calmamente me explicou que tinham muitos outros casos para serem resolvidos antes do meu (realmente é compreensível, afinal é só uma bicicleta, mas na hora eu estava revoltada!)”. A gente super te entende, amore. 🙂

Policial Mariana Arakaki Camargo Stefani em ação

bike-post1Se as verdadeiras autoridades não iam fazer nada, a Mari decidiu que devia fazer. Começou buscando no Google casos parecidos ao dela e encontrou a história de um rapaz que resolveu marcar ele mesmo o encontro com o “vendedor” e se inspirou nela…

“Eu mesma ia atrás desse ladrãozinho! Fiz um e-mail falso e mandei uma mensagem no anúncio dizendo que eu tinha interesse na bicicleta. Em menos de um minuto o dito cujo respondeu. Trocamos uns cinco e-mails e combinamos de nos encontrar em um ponto turístico aqui de Londres no mesmo dia para eu ‘comprar’ a bicicleta!”.

Boooooa, Mari! =D

Depois de combinado a hora e local com o cara resolvi ligar para a polícia para avisar o que eu ia fazer. Nossa, eu podia ter falado que eu ia colocar uma bomba no parlamento que eu teria a mesma reação! Em menos de 30 minutos 5 policiais diferentes me ligaram desesperados! Diziam para eu não podia ter feito isso, que eu podia me machucar. Eu disse que eu entendia os riscos e por isso estava pedindo ajuda para a polícia! Em algumas horas e após muuuuitas ligações da polícia tudo foi arrumado! A polícia ia se encontrar com o ladrãozinho no meu lugar! \o/”.

Aí sim, seu puliça!

quer lugar melhor que esse pra pedalar?
Imponência britânica sendo honrada. A gente curte!

O esquema armado

Uma policial feminina disfarçada ia se passar por mim enquanto outros 10 (DEZ!!!!) policiais iam ficar de tocaia. Antes do encontro uma policial veio aqui em casa falar comigo para pegar todos os detalhes e meu depoimento. Imagina a minha surpresa quando a policial me fala que esse rapaz é ‘conhecido’ da polícia (reconheram pelo número do telefone dele), que ela mesmo já tinha prendido ele três vezes (creio que seja menor de idade)! Me pediram para de maneira alguma chegar nem perto do local do encontro. E assim fiquei em casa! Quando meu marido chegou do trabalho ficamos os dois olhando para o telefone esperando a ligação. Eu morria de medo do cara não aparecer! Quase caí da cama quando meu telefone tocou 30 minutos depois da hora do encontro. Era a policial responsável dizendo que tinham pegado o cara e estavam com a bicicleta! =D”.

UHUHUHUUUU! #todascomemora

Mas e aí, Mari?

“Quando a polícial me disse que conhece o cidadão eu tentei pegar o máximo de informação possível! Ela me tranquilizou dizendo para não ter medo, que ele não é ‘perigoso’, que ele é ladrãozinho de bicicleta, mas só! Eles me disseram que agora reuniram informações suficientes para manter ele preso! Tomara mesmo!”.

Tomara mesmo. E tomara que ninguém mais tenha suas bikes roubadas por este “cidadão”. Hunf.

Mari, amada, obrigada por contar sua história por aqui. Que sirva de lição pra todo mundo que nos acompanha e que pensa em pedalar em Londres. 🙂 Aliás, sobre isso tenho algumas sugestões de leitura…

1) O London Cycling Campaign fez um post sobre o que fazer em caso de bike furtada. O post está aqui. Aliás, vale a pena conhecer o projeto London Cycling Campaign (clicando aqui) e se animar para pedalar mais por Londres. 🙂

2) A City of London Police tem ótimas dicas de segurança para quem pedala aqui.

3) Este site é tipo um catálogo de bikes roubadas no Reino Unido. Vale a pena dar uma olhada e, quem sabe, ajudar um ciclista a recuperar aquela que você viu rodando por aí. 😉

4) Não esqueça que as bikes de aluguel são uma ótima opção para pedalar na cidade. Falamos sobre elas aqui e aqui.

É porque podem haver vários “riscos” do pedal em Londres (e em qualquer lugar), mas não há nada como conhecer uma cidade sobre duas rodas. Meu marido que o diga…

<3
<3

Bom fim de semana! 😉

Beijobeijo