Imigração no Reino Unido: tudo o que você precisa saber

Volta e meia a gente fala aqui que o tema “Imigração no Reino Unido” é um dos campeões de nossa caixa de entrada. As dúvidas são diversas e variadas. Algumas a gente já respondeu nos posts listados abaixo, mas a pauta rende.

E foi por isso que fomos atrás de uma especialista para esclarecer os pontos principais. Afinal, nada melhor do que alguém que vive e respira o assunto para responder tudo de forma clara e direta, não? Gravamos uma entrevista em vídeo de mais de 25 minutos com a Francine Mendonça, fundadora da LondonHelp4U, para esclarecer tudo o que você precisa saber a respeito de imigração no Reino Unido.

imigração no reino unido

A LondonHelp4U presta serviços de assessoria para obtenção de vistos para o Reino Unido para brasileiros desde 2001. Recentemente, a empresa também passou a atuar como agência de intercâmbio. 

O bate-papo, conduzido pela Nah e que foi transmitido ao vivo pelo Periscope (inclusive rolou uma interação em tempo real), cobre os seguintes pontos:

  1. Que tipos de visto você tem direito?
  2. Como obter o visto de moradia no Reino Unido?
  3. Como obter o visto de trabalho?
  4. Quais são as dicas para quem deseja se mudar para o Reino Unido, mas não tem cidadania europeia?
  5. Preciso de visto para entrar em Londres como turista?
  6. Que documentos preciso apresentar na imigração?
  7. O que fazer para não ser barrado na imigração no Reino Unido?
  8. Que erros não cometer ao falar com o oficial de imigração?
  9. Se eu estiver desempregado, corro o risco de ser barrado?
  10. Posso estudar ou procurar emprego no Reino Unido com um visto de turista?
  11. Preciso levar minha carteira de vacinação para o Reino Unido?
  12. A imigração é mais tranquila em aeroportos menores do que em Heathrow?
  13. A imigração no Reino Unido é diferente pra quem entra no país de avião, carro, trem ou navio?
  14. Meu visto vai expirar. O que eu faço?
  15. Tenho cidadania europeia. Que documentos preciso apresentar na imigração no Reino Unido?
  16. O que acontece se o Reino Unido optar por sair da União Europeia?

 Imigração no Reino Unido: Assista à entrevista 

 

Imigração em Londres: dicas para diferentes viajantes

O Instituto Pra Ver em Londres de pesquisas revela: sete em cada dez leitores deste blog que escrevem para o contato@praveremlondres.com.br têm a mesma dúvida: “Natasha, João, o que eu preciso fazer para passar pela imigração em Londres tranquilamente? PORFAVORMEAJUDEM!”.

Aham. É isso mesmo! Muita gente morre de medo de ser barrado no aeroporto, de ter que voltar para casa sem ao menos ter visto o Big Ben de perto, sem ter saboreado uma bela pint de Pale Ale em um pub clássico, sem ter caminhado pelas encantadoras ruas dessa maravilhosa cidade e [INSIRA AQUI O QUE CARACTERIZA LONDRES PARA VOCÊ]. <3

Toma aí Londres sendo linda.
Toma aí Londres sendo linda.

Como esse é um assunto tão recorrente na nossa caixa de entrada (que está SEMPRE aberta pra você que nos lê), e como nosso último post sobre o tema é velhiiinho (mas tá aqui, e continua sendo útil – conta nossa experiência na imigração em 2010), sabíamos que estava na hora de voltar a falar sobre isso.

Mas achamos que precisávamos profissionalizar o negócio. Nada de Natasha e João dando opinião de viajante (que é superválida, mas não é de profissional do Direito, né?), mas sim alguém que tem quase 15 anos de experiência ajudando brasileiros a entrar nessa terra de forma legal.

Tô falando da Francine Mendonça, diretora da LondonHelp4u, agência de imigração e de intercâmbio que é a nova parceira do blog (estamos morrendo de orgulho disso, a Francine sabe DE TUDO quando o assunto é imigração e está conduzindo o meu processo de visto de esposa de cidadão italiano – mas isso é papo para outra hora).

Aliás, resolvemos ir além. Resolvemos preparar uma série de posts sobre o assunto em parceria com a Francine e a equipe da LondonHelp4u. Por isso, antes mesmo de irmos ao que interessa, já deixo a pergunta:

O que VOCÊ quer saber sobre imigração? Depois de ler, deixe seu comentário que a gente busca a melhor maneira de responder suas dúvidas, beleza? 😉

E para inaugurar essa série, Francine revela o que seis diferentes tipos de viajantes precisam fazer para passar pela imigração em Londres tranquilamente. Bora saber?

–> Antes de mais nada, algumas observações que valem para todo mundo:

  • Lembre-se sempre que o seu passaporte precisa ter validade de mais de seis meses além da data de sua viagem para ser aceito!
  • Brasileiros não precisam requerer um pré-visto para vir ao Reino Unido para turismo ou para fazer cursos de curta duração (de até seis meses).
  • Se o seu visto precisa ser tirado ANTES do embarque, recomenda-se que a solicitação seja feita com no máximo três meses de antecedência. Você também tem a opção de fast track. Pagando uma quantia extra nos centros onde você irá fazer o exame biométrico, o retorno vem mais rápido.

a) Turistas em Londres

@praveremlondres !

A photo posted by Joao Guilherme Brotto (@joao_brotto) on

Documentos que facilitam a entrada: Carta-convite da pessoa que vai hospedá-la ou comprovante de reserva de hospedagem, passagem aérea de volta, comprovante que você tem dinheiro suficiente para se manter no período de turismo (valor considerado pelo órgão de controle de imigração = 1.265 libras por mês) e também documento que demonstra vínculo de retorno ao país de origem – como trabalho (contrato, por exemplo) ou estudo (comprovante de matrícula na instituição de ensino).

Nem sempre o oficial de imigração vai pedir todos esses documentos, mas eles podem ajudar caso a entrevista se complique.

Direitos: Visitar o país sem restrições, fazer compras e receber de volta o que você gastou em VAT (imposto) no aeroporto antes de sair do país desde que tenha o formulário que deve ser solicitado durante a compra (nem todas as lojas disponibilizam). Porém, não pode trabalhar e nem estudar, e também não tem direito a utilizar recursos públicos – como hospitais.

O que mais preciso saber? Caso você já tenha tido problema com a imigração anteriormente e queira vir ao Reino Unido apenas a passeio, pode solicitar o entry clearance antes mesmo de sair do seu país de origem. Assim, você não corre o risco de ter o visto negado na entrada (caso o entry clearance seja aprovado, claro).

b) Estudantes – visto student visitor (no máximo 6 meses)

Rose of York

Documentos exigidos: Carta de matrícula da escola, dados da acomodação, dinheiro suficiente para o período do curso (valor considerado pelo órgão de controle de imigração = 1.265 libras por mês) para se bancar sem precisar trabalhar e ter vínculos reais com o Brasil ou país que vive.

Direitos: Estudar no período do curso, viajar de férias e retornar ao país (sempre demonstrando ao oficial de imigração que continua sendo um estudante genuíno) e, caso venha com o entry clearance do Brasil, tem direito ao uso do NHS (o sistema público de saúde).

O que mais preciso saber? Este visto tem validade de no máximo 11 meses e não pode ser estendido dentro do Reino Unido. Já o Tier 4 serve para cursos de no mínimo um ano e pode ser estendido dentro do país. Este post da LondonHelp4u pode ajudá-lo a entender essa história toda.

c) Detentores de passaporte europeu 

Possuem passagem livre entre os países da União Europeia, podendo trabalhar, estudar  e viver em qualquer lugar da Europa sem restrições. Basta, claro, apresentar o passaporte europeu.

Direitos: Livre acesso para visitar, estudar e trabalhar no Reino Unido sem restrições. Os casados com europeus têm os mesmos direitos – desde que o europeu esteja vivendo e trabalhando no país e tenha visto válido.

d) Casados com cidadãos europeus

Eu, no caso. hihi
Eu, no caso. hihi

Se a pessoa vem apenas a turismo, basta trazer certidão de casamento e o parceiro poderá entrar na fila de cidadão europeus nos aeroportos junto com o cidadão europeu. É necessário apresentar passagem de volta ao país de origem também. (De qualquer forma, para ajudar em casos de recusa inicial – eu quase passei por isso, conto outra hora! – a LondonHelp4u oferece uma carta com demonstração na lei que agiliza a liberação)

Se a pessoa vem para ficar existe um visto específico (que é o que eu estou tirando): o EEA Family Permit e o EEA Residence Card, que servem para quem tem a intenção de residir em território britânico e é casado com um cidadão da União Europeia. São basicamente os vistos para dependentes de europeus no Reino Unido!

Os requisitos necessários para os vistos de residência nesses casos são:

EEA Family Permit (Dependente de Europeu) – solicitação de visto feita fora do Reino Unido

Certidão de casamento ou prova de residência juntos de no mínimo dois anos.
 Ambos devem ser maiores de 18 anos e o relacionamento precisa ser genuíno e ter comprovantes. Não é necessário requisitos mínimos da língua inglesa, nem prova de renda mínima. O 
visto inicial é de seis meses, devendo ser renovado em solo britânico, e então terá validade de cinco anos. A
 solicitação do visto deve ser feita no consulado Britânico de onde reside, fora do Reino Unido.

E o que acontece depois?

Dentro dos seis meses do visto inicial, o estrangeiro deve comprovar certos requisitos para poder renovar o visto para o de cinco anos e, finalmente, obter a permissão de residência em território britânico. Veja quais são eles:

EEA Residence Card (Dependente de Europeu) – solicitação de visto dentro do Reino Unido

Certidão de casamento ou prova de residência juntos de no mínimo dois anos. 
Ambos devem ser maiores de 18 anos e o relacionamento precisa ser genuíno e ter comprovantes. Não é necessário requisitos mínimos da língua inglesa, nem prova de renda mínima. Parceiro europeu deve estar economicamente ativo no Reino Unido.
 O visto inicial é de cinco anos, podendo obter a residência permanente após este período.
 A solicitação deve ser feita no Home Office (órgão oficial de imigração) em território britânico.

e) Viagem a trabalho

DSC_0102

Deve-se solicitar o visto Business Visitor antes da viagem, que é válido por seis meses. No futuro, você poderá ter visto válido até por cinco anos para vir visitar seus clientes e fazer negócios no Reino Unido. Para tirar esse visto é preciso demonstrar a necessidade, ou seja, comprovar o relacionamento entre as empresas envolvidas e a necessidade de viagens regulares. 

f) Casamento no Reino Unido

Existem dois tipos de visto para quem deseja se casar no Reino Unido. Dependendo da intenção, pode ser casamento como visitante, ou se deseja permanecer aqui após o casamento, deve solicitar o visto de noivo, o que dará a permissão para renovar o visto como casado dentro do país. Ambos os vistos devem ser solicitados no país de origem.

Para o casamento com intenção de visitar, o pedido do visto pode ser feito por qualquer nacionalidade, já que após o casamento o casal irá voltar ao país de origem ou residência.

Já os que pretendem se casar e permanecer no Reino Unido, uma das partes deve possuir o passaporte britânico ou a residência permanente. Nesse caso, dentre os requerimentos para o visto se destacam renda mínima de £18,600 (anual) para o britânico ou com residência permanente e certificado de inglês com nível A1 mínimo para o solicitante.

Além disso, relacionamento e acomodação também devem ser provados.

Seguindo essas orientações, você não tem o que temer! É só começar a planejar sua viagem, ficar de olho nas nossas dicas e aproveitar. 🙂

Ficou com alguma dúvida ou quer saber outro detalhe sobre imigração em Londres? Deixe um comentário (ou escreva um e-mail para contato@praveremlondres.com.br) que, em parceria com a LondonHelp4u, teremos o maior prazer em responder sua dúvida no próximo post e ajudá-lo a transformar seu sonho em realidade. 🙂

Até a próxima!

Nah

Os minutos na imigração em Londres

de tão alegre que estávamos depois da imigração não conseguimos tirar uma foto com foco. haha
de tão alegre que estávamos depois da imigração não conseguimos tirar uma foto com foco. haha

Um dos maiores medos de qualquer brasileiro que vem para Londres é a tal da passagem pela imigração. Foi criado um mito de que você pode ser deportado sem motivo algum e que a chegada aqui é um perigo. Por isso, resolvemos escrever sobre o assunto.

Antes de mais nada, tenha em mente quais são os documentos que você precisa apresentar quando desembarcar em solo inglês:

1) Passagem de volta para o Brasil (ou de saída da Inglaterra) no prazo que lhe será dado (por exemplo: até seis meses, se você for entrar como turista ou logo após o fim do seu curso, se você vai como estudante-visitante)

2) Comprovante de que você tem lugar para ficar (reserva de hotel, carta de um amigo – se você for ficar na casa de algum conhecido, reserva de apartamento, reserva do hostel…)

3) Dinheiro que mostra que você poderá se manter enquanto estiver na cidade (se estiver indo como estudante verifique as regras de valores. Isso não existe para o turista, mas este post pode lhe ajudar a ter uma ideia de quanto você vai gastar em sete dias na cidade)

4) Comprovante de vínculo com o Brasil (não é obrigatório, mas pode ajudar). Por exemplo: matrícula da faculdade ou carta do chefe dizendo que você está em férias.

Minha experiência com a imigração em Londres

A primeira vez que vim a Londres tinha 17 anos. Utilizei os serviços da agência curitibana AF Intercâmbio para contratar escola (Embassy CES) e também para encontrar uma casa de família para ficar no período do curso – dois meses e meio.

Perto do meu embarque, recebi da agência uma cartinha de recomendações que, entre várias coisas, dizia: no momento da imigração, não esqueça que a última palavra é sempre deles; responda apenas o que lhe for perguntado e fique calma. “Ok, vamos lᔝ, pensei.

Como meu curso era de curta duração, o visto só seria tirado na entrada do país, então o medo de ter a autorização de entrada negada era bem grande. Mas eu cheguei aqui com tudo certinho. Estava com os documentos exigidos (comprovante de matrícula e carta com o endereço da família) e dinheiro para mostrar que poderia me manter sem trabalhar (o visto de três meses não permite trabalho, como falamos aqui), mas um pouco nervosa, é verdade.

Depois de uma fila imensa, fui atendida por um indiano que antes de mais nada pediu para ver meu dinheiro. Quando abri minha pastinha com fotos da minha família ele disse: “se vai sentir saudades, não deveria ter vindo”.

Falei que a experiência seria importante para o meu crescimento pessoal e profissional e que achava que a saudade era normal, mas que dali três meses estaria de novo em casa com eles (para mostrar que não tinha o objetivo de ficar ilegal). Acho que ele pensou: “se saiu bem, vamos pra mais um teste”.

Na sequência, ele perguntou por que eu não tinha escolhido os Estados Unidos como destino, já que tudo lá é mais barato. Tranquilamente, respondi que achava que aqui poderia aprender mais, já que, na minha opinião, culturalmente a Europa tem muito mais a oferecer do que a terra do Tio Sam. Acho que aí eu ganhei ele, que só concordou com a cabeça, carimbou meu passaporte e liberou minha entrada.

Este ano, nossa experiência foi MUITO rápida e indolor. Como nosso curso é de longa duração, tiramos o visto antecipadamente, no Brasil mesmo. No entanto, a possibilidade de a imigração não ir com a nossa e nos mandar de volta para casa também existia. Só que o cara que nos atendeu foi gente boa. Apenas perguntou o que vínhamos fazer aqui, por quanto tempo e… pronto: estávamos de verdade em Londres!

Ou seja, a imigração às vezes é uma questão de sorte. Pode ser que te interroguem, pode ser que te liberem rapidamente. Porém, o interrogatório não significa que você tem cara de terrorista e que não vão te deixar entrar no país. Eles só precisam confirmar quais são seus objetivos e ter certeza que você não quer ficar ilegal aqui, “roubando” empregos de ingleses, por exemplo.

Para passar tranquilamente por essa etapa basta estar preparado. Confira todos os documentos que precisa trazer e embarque. Não se desespere com as perguntas e as responda sinceramente. Você vai entrar! 😉

Quando chegar aqui nos avise e tomaremos uma pint gelada juntos.

Um beijo e até o próximo post,
Natasha.

Quer saber mais sobre imigração, ter dicas de Londres direto no seu e-mail e concorrer a prêmios exclusivos: Assine nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo:

[mc4wp_form]