O que fazer em Londres: mais de 100 posts com dicas de Londres

general_160x600_PorAo longo dos últimos três anos já produzimos muito conteúdo legal sobre Londres aqui no blog. Tem dicas de museu, passeios bacanas para fazer, pubs, mercados de rua, parques e muito, muito mais.

Pensando em facilitar a busca pelo que você procura, resolvemos reunir neste post TODOS os posts que já escrevemos sobre a cidade – e também tudo o que publicaremos daqui em diante.

Ou seja, este será o índice dos nossos posts sobre Londres. E será atualizado sempre que algo novo for publicado. Assim, caso você esteja planejando sua viagem a Londres ou até mesmo sua mudança para cidade será muito mais fácil encontrar as informações que realmente te interessam. AHAM, realmente você vai encontrar tudo sobre Londres aqui. Que tal? =D

Antes de apresentarmos os posts, uma sugestão: a melhor forma de se manter atualizado sobre o que rola aqui no blog é assinando nossa newsletter gratuita. Nossos assinantes recebem os posts novos em primeira mão. Bora assinar?

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Agora sim, vamos aos posts! :)

*Para ler os posts basta clicar nos títulos

Mercados de rua de Londres

Brick Lane - London - colares

Pontos turísticos de Londres

Na continuação da caminhada, ele apareceu. Foi nosso batismo. :) Esse cara é muito f* (com o perdão do palavrão subentendido); tanto é que já fizemos post em homenagem a ele, lembra?

Museus de Londres

museum-of-london1

Onde comer em Londres

fish-and-chips

Bairros de Londres

pra ver em londres - richmond - views6

Intercâmbio em Londres

intercambio Londres

O que fazer em Londres

beautiful London

Parques de Londres

cores da primavera londrina

Pra Ver Londres do alto

Como é que para de postar fotos, hein? Parece mentira, não parece? Mas não é, não. Foi bem assim MESMO!

*os três posts têm vídeo que mostram como é a experiência

Vida em Londres

home-sweet-home2

Pubs, bares e baladas em Londres

brewdog shoreditch

Posts aleatórios sobre Londres

O clássico ônibus de dois andares está de cara "nova" (já não é tão nova assim, mas ele ainda não é maioria nas ruas da cidade, então ainda pode ser considerado novo :) e bem bonita, na nossa opinião.

Futebol

camelôs londrinos

Viagens a partir de Londres

Uma viagem inesquecível, com excelentes companhias e que nos rendeu um dos posts mais populares!

Kew Gardens: um dos mais lindos parques de Londres

Se você nos acompanha há algum tempo deve lembrar que no ano passado escrevemos um post contando como ficamos encantados com a região de Richmond em Londres, certo (o post tá aqui)? Pois bem, desde nossa primeira visita àquela belíssima região planejamos inúmeras vezes voltar lá, mas a distância (Richmond fica no oeste de Londres, na zona 4, e a nossa casa no sudeste, zona 3) nos fez adiar o retorno inúmeras vezes.

O que faltava pra gente curtir de novo aquele cantinho tão especial da cidade era um motivo especial. O convite do VisitBritain para conhecermos o Jardim Botânico Real (Kew Gardens) foi esse motivo. :)

E é sobre o combo Richmond + Kew Gardens que eu vou falar hoje.

Acho que você vai se convencer a colocar tanto um quanto o outro na sua programação na cidade. Quer apostar? :)

secret spot - kew gardens
Pode entrar! :)

Kew Gardens

Apesar do Kew Gardens ficar afastado do centro, é muito fácil chegar até ele, pois ele fica a poucos minutos a pé da estação de mesmo nome (que fica na zona três e por onde passa a District Line – verde).

No sábado que resolvemos visitar o parque o dia estava liiiindo e bem pouco frio (fomos em fevereiro). A caminhada entre a estação e o parque já nos surpreendeu…

Kew - London
Tem quem não curta as árvores “peladas”. Eu as acho lindas. E você?
O charme das plaquinhas de rua. Ai, Londres... <3
O charme das plaquinhas de rua. Ai, Londres… <3

Chegando lá, bastou passarmos a catraca para soltarmos vários “uaus”. Não é exagero, não. Olha só o que você vê logo que entra no Kew Gardens…

Pra Ver em Londres - Kew Gardens - estufa

Kew Gardens - Londres

amazing kew gardens - london

Não disse? :)

E é assim em todos os mais de 120 hectares do parque. Os mais de 30 mil tipos diferentes de planta (diz-se ser a maior coleção de plantas vivas do mundo) surpreendem, e aos poucos você vai se convencendo que o preço da entrada (£16 para adultos) vale a pena pra quem curte viajar na beleza da natureza.

Ficamos cerca de três horas lá dentro, mas, para ser sincera, para ver tudo do jeito que esse tudo merece precisávamos ter ficado ainda mais. O parque é gigante e é tudo muito lindo. Acho que a melhor maneira de você entender é vendo algumas das dezenas de fotos que tiramos lá.

Não deixe de ler as legendas, elas complementam as imagens.

Preparado para uma overdose de cores (pena que não dá para sentir os cheiros) em pleno inverno londrino?

Começamos nossa visita nesta estufa que lembra bastante a do Jardim Botânico da nossa Curitiba e reúne plantas de diversas partes do mundo e simula o habitat natural delas. É incrível como parece mesmo que você está em países de clima mais tropical. Era bem úmido e mais quente. O choque térmico na saída foi inevitável. hehe
Começamos nossa visita na Palm House, uma estufa que lembra bastante a do Jardim Botânico da nossa Curitiba e reúne plantas de diversas partes do mundo e simula o habitat natural delas. É incrível como parece mesmo que você está em países de clima mais tropical. Era bem úmido e mais quente. O choque térmico na saída foi inevitável. hehe
Bambusa vulgaris. hihi
Bambusa vulgaris. Ah, eu achei engraçado. hihi
Até bananeira tinha lá. E várias plantas brasileiras - como o babuaçu.
Até bananeira tinha lá. E várias plantas bem brasileiras – como o babuaçu.
... e flores bonitas...
… e flores bonitas…
... e umas plantas estranhas também...
… e umas plantas estranhas também…

Além de toda a variedade de plantas, a Palm House também abriga um aquário bem bacana no subsolo que recria quatro importantes habitats marinhos com o objetivo de valorizar a importância das plantas aquáticas.

Adorei!
Adorei!

Enfim, a Palm House (saiba mais clicando aqui) nos causou uma ótima primeira impressão do Kew Gardens. Mas quer saber? O melhor (na nossa opinião, ao menos) ainda estava por vir…

Orquídeas e cactos = <3

A loucura dos cactos e a beleza das orquídeas para mim foram as melhores partes da visita ao Kew Gardens. Tudo, absolutamente tudo nas áreas dessas duas famílias de plantas (corrijam-me biólogos) chama a atenção e dá vontade de fotografar. Olha só:

Quero uma de cada para decorar minha casa. Pode ser? :)
Quero uma de cada para decorar minha casa. Pode ser? :)
Como se não bastasse a beleza natural das orquídeas, a forma como elas estavam dispostas também era encantadora.
Como se não bastasse a beleza natural das orquídeas, a forma como elas estavam dispostas também era encantadora.
Um vasinho de cada, por favor!
Um vasinho de cada, por favor!

Demais, né?

E aí vem o contraste com o cacto e não tem como não pensar “OMG, a natureza é mesmo uma coisa louca”. :)

Eu sei que eu sou uma pessoa que se encanta com pouco, mas me diz se tem como não achar tudo isso o máximo?
Eu sei que eu sou uma pessoa que se encanta com pouco, mas me diz se tem como não achar tudo isso o máximo?

Mas não são só as estufas que estão repletas de plantas interessantes no Kew Gardens. Uma caminhada ao ar livre pelo parque reserva excelentes surpresas tipo estas:

Lembre-se: estávamos no inverno em Londres. Mas os gramados já estavam cheios de florzinhas daquelas que as crianças adoram levar para as vovós, professoras, mamães, titias, etc. :)
Lembre-se: estávamos no inverno em Londres. Mas os gramados já estavam cheios de florzinhas daquelas que as crianças adoram levar para as vovós, professoras, mamães, titias, etc. :)

kew gardens - pontos turisticos de londres

kew gardens - parques de londres

Agora pare e pense: se no inverno já estava assim, imagina como deve estar agora, na primavera, a estação das flores?

Claro que Londres tem muitos outros parques lindos e gratuitos, mas com essa diversidade de belezas naturais eu ainda não vi.

Quer dizer, belezas naturais e também construídas pelo homem. Tudo junto e o Kew Gardens vira um lugar perfeito para os apaixonados…

Dá pra imaginar uma cena de um filme super romântico acontecendo lá no topo, não dá? :)
Dá pra imaginar uma cena de um filme super romântico acontecendo lá no topo, não dá? :)

kew gardens - london - top

Pois é, teve casal que concordou comigo e deixou sua marca eternizada lá...
Pois é, teve casal que concordou comigo e deixou sua marca eternizada lá…

Kew Palace

Bastante motivo para querer curtir um dia no Kew Gardens, nénão?

Mas para quem planeja fazer isso antes do inverno há ainda mais motivos…

O Kew Palace, que fica dentro dos domínios do Jardim Botânico Real não fica aberto para visitação na “estação mais fria do ano”, mas este ano entre 30/03 (aham, já tá rolando) e 29/09 seu ingresso para o Kew Gardens dá direito a visitar também este palácio que abriga um busto de cera do Rei George III, uma bela biblioteca, um quarto de princesa e outras coisas super interessantes (detalhes aqui).

Como eu disse, o interior do palácio não estava aberto à visitação quando fomos. Porém, os jardins estavam, e foi impossível não querer ser uma princesa do século XVIII e ter aqueles jardins para chamar de meus… :)

Saiba mais sobre o Kew Palace e planeje sua visita clicando aqui.
Saiba mais sobre o Kew Palace e planeje sua visita clicando aqui.
Que tal essa casinha Real, hein?
Que tal essa casinha Real, hein?
Brincando de ser princesa por um dia. :)
Brincando de ser princesa por um dia. :)
MEU jardim. hihi
MEU jardim. hihi
A fã da Disney pira. haha
A fã da Disney pira. haha

E, olha, ainda tem muito mais coisas incríveis por lá. Como uma passarela que permite uma vista de cima do parque, restaurante com cardápio que nos pareceu bem bacana, áreas para exposições (quando fomos estava rolando uma de fotos lindíssimas!), etc. etc. etc.

Confesso pra você que me arrependi de não ter dado uma boa explorada no site do parque antes de ir pra lá. Acho que teríamos aproveitado melhor nossas horas por lá se soubéssemos melhor sobre cada atração.

Lá a gente ganhou um mapinha, mas o parque é tão grande que mesmo com ele nas mãos fica difícil dominar tudo – o melhor é ir curtindo do seu jeito mesmo.

No fim das contas, demos quatro estrelas para o Kew Gardens. Não cinco porque o fator $$$ pesa um pouco. Mesmo assim, acho que vale a pena a visita porque, #clichêdetected, é de encher os olhos. :)

Talvez não precise nem dizer, mas este é um programa excelente para fazer com crianças. Tem muitas áreas interativas para os pequenos.

Emirates-Airline-estrelas

Antes de falar sobre a segunda parte do passeio (o rolê por Richmond), deixo mais umas fotos e um vídeo para convencê-lo a incluir o Kew Gardens na sua programação. ;)

kew gardens-london-pvel

kew gardens

A lojinha é excelente. Eu trouxe pra casa um pote de mel feito por abelhas Rainhas. haha #mentirinha
A lojinha é excelente. Eu trouxe pra casa um pote de mel feito por abelhas Rainhas. haha #mentirinha
Tinha até cerveja artesanal. \o/
Tinha até cerveja artesanal. \o/

Tá bom, tá bom. Paro por aqui. :)

Mas se você quiser ver mais fotos de lá corre pro nosso Google+. Basta clicar aqui.

Por do sol em Richmond

Chegamos ao parque com a ideia de sair de lá alguns minutos antes do por do sol para poder curti-lo em Richmond – que fica a uma estação de Kew Gardens – District Line (verde). Como da estação até o Richmond Hill vão alguns quilômetros, saindo de lá pegamos um ônibus sentido Richmond Park e em poucos minutos estávamos no lugar que proporciona uma das mais incríveis vistas de Londres – e um por do sol sempre de babar.

E é com o astro Rei que eu fecho o post de hoje…

sunset at richmond - london

sunset

sunset-love

Partiu Kew e Richmond? :)

Até o próximo post!

Beijobeijo,

Nah

Serviço:

Kew Gardens

Como chegar? Estação de metrô mais próxima: Kew Gardens – District Line (verde)

Horários: abertura sempre 9h30. Fechamento varia de acordo com o período do ano. Fechado nos dias 24 e 25 de dezembro

Tudo que mais você precisa saber para programar sua visita ao Kew Gardens está aqui. Porém, a tabela de preços me parece desatualizada, pois tiramos foto da tabela na entrada do parque e, como disse anteriormente, a entrada para adulto custa £16 este ano, e não £14,50.

Tudo que você precisa saber para programar sua visita ao Kew Palace está aqui.

Mais uma vez, agradecemos o pessoal do VisitBritain pelo convite para visitarmos o Kew Gardens. Amamos muito, gente. :)

 

 

Imperial War Museum: histórias de guerras contadas em Londres

Imperial War Museum - Change Your Life - LondonRecentemente, conhecemos uma família que nos contou uma série de histórias interessantes (e ao mesmo tempo extremamente tristes) sobre a vida em Londres em um dos períodos mais difíceis da história: o da Segunda Guerra Mundial. Os “Allpress” eram em mais ou menos 12 – mãe, pai e cerca de 10 filhos (margem de erro de dois para mais ou para menos. hehe), e tinham um milhão de histórias para contar…

Textos, fotos, áudio e ambientes inspirados nos da época não apresentavam apenas a realidade desta família na Londres da primeira metade do século XX, mas também a realidade de todos aqueles que moravam aqui (e no Reino Unido como um todo) nesse período.

Ligando os pontos dessa história talvez você já tenha entendido onde quero chegar. Conhecemos a família Allpress não nas ruas de Londres, mas dentro de um dos museus mais incríveis da cidade, o Imperial War Museum (Museu de Guerra Imperial), que desde 1920 conta a história das batalhas e das vidas afetadas pelas forças bélicas desde a Primeira Guerra Mundial.

Dividido em diferentes áreas e contando diferentes histórias, o Imperial War Museum ensina história ao mesmo tempo que comove e nos faz entender e compreender alguns dos traços que permanecem até hoje nas características dos londoners, dos ingleses, dos britânicos e até mesmo dos europeus de uma forma geral. E é o museu de Londres que apresento hoje para você…

Change!

A visita ao Imperial War Museum começa antes mesmo de entrarmos nele.

No jardim em que o incrível prédio do museu fica, um pedaço do Muro de Berlim grita: “Change your life!”

Mude sua vida!
Mude sua vida!

E é um ótimo ponto de partida para tudo o que se vê da porta para dentro do museu. Afinal, chega de guerra, né? :)

Além disso, ainda fora do museu se observam estes dois canhões:

Canhões como este foram os principais armamentos de 22 navios  a partir de 1912. Pesando cerca de 100 toneladas (!), eles tinham capacidade de disparar bombas de até 876kg a uma distância de 29km. UAU, né?
Canhões como estes foram os principais armamentos de 22 navios a partir de 1912. Pesando cerca de 100 toneladas (!), eles tinham capacidade de disparar bombas de até 876kg a uma distância de 29km. UAU, né?

É, pra convencer os indecisos a entrarem de uma vez. :)

Vamos lá, então?  

Por dentro do Imperial War Museum de Londres

Desde o ano passado o Imperial War Museum de Londres está passando por uma mega reforma, e algumas de suas áreas não estavam abertas ao público nessa nossa última visita. Aliás, é importante frisar que no momento TODO o museu está fechado. Ele será reaberto em julho deste ano (2014).

Mas não podia deixar essa dica para depois, porque saímos de lá com tanta coisa na cabeça e refletindo sobre tudo que precisávamos falar sobre ele logo. :)

Ao todo vimos seis exposições, dentre as quais destaco quatro:

  • War Story: Supplying Frontline Afghanistan – mostra como é a vida dos soldados britânicos que estão no Afeganistão na chamada “guerra contra o terror” por meio de fotos e dados. É uma exposição bem pequenininha, dá pra ver em uns 15/20 minutos.

British soldiers

Além das fotos, há vários murais com informações sobre a vida dos soldados britânicos no Afeganistão espalhados por esta sala. Alguns números surpreendem. Olha só:

  • Em 2010, 3500 toneladas de munição foram transferidas do Reino Unido para o Afeganistão;
  • No mesmo ano, mais de 200.000 sacolas contendo correspondências foram enviadas do UK pro Afeganistão e de lá pra cá . Bastante coisa em tempos de internet e telefone, né? Mas é que para quem está em campo de batalha as cartas ainda são o único meio de comunicação;
  • Em 2011, as tropas britânicas consumiam 7.5 toneladas de batata por semana;
  • Em 2012, a equipe de profissionais enviados do Reino Unido pro Afeganistão era de mais ou menos 9.500 pessoas!;
  • Também em 2012, mais de 2.700 veículos britânicos circulavam em território afegão;
  • 150.000 litros de combustível são consumidos diariamente pela equipe britânica no Afeganistão.

E para viver seu dia a dia no Afeganistão, um soldado britânico leva consigo “só” isso:

british soldier - Afhganistan

Não quero entrar aqui no mérito da guerra em si (mas é bom dizer que sou contra qualquer tipo de guerra), mas o fato é que não tem como não se comover com tudo o que a gente vê nesse pequena parte do museu. E não só com a parte emocional, mas também com a financeira. Pare e pense: 7.5 toneladas de batata por semana. Só com isso já vai umas boas Rainhas, não é mesmo? E tudo isso para uma guerra que vai trazer o que de benefício para a humanidade?

Impossível não se questionar…

Supplying frontline Afhganistan

  • A family in wartime – “No dia 03 de setembro de 1939 a Grã-Bretanha declarou guerra contra a Alemanha. Para as famílias britânicas, a vida nunca mais seria a mesma. Esta exposição apresenta os Allpresses, uma família real que vivia no Sul de Londres quando a guerra começou”

Esta foi minha exposição preferida. Adoro aprender por meio de imersão, e é o que “A family in wartime” proporciona. Ao mesmo tempo em que o tema é pesado, a história das pessoas traz uma leveza. Levamos cerca de uma hora para ver tudo, mas passou muuuito rápido porque era tudo muito interessante.

Logo na entrada da exposição a gente conhece cada um dos integrantes da família Allpress. Depois, os caminhos de todos eles são apresentados. É legal demais ver o "papel" de cada um deles durante todo o período em que Londres foi afetada pela II Guerra Mundial.
Logo na entrada da exposição a gente conhece cada um dos integrantes da família Allpress. Depois, os caminhos de todos eles são apresentados. É legal demais ver o “papel” de cada um deles durante todo o período em que Londres foi afetada pela II Guerra Mundial.
Na "casa" dos Allpresses, dezenas de quadros preenchem as paredes. Não são quadros quaisquer; são quadros que também retratam cenas da época. Muuuito legal!
Na “casa” dos Allpresses, dezenas de quadros preenchem as paredes. Não são quadros quaisquer; são quadros que também retratam cenas da época. Muuuito legal!

The Blitz - Imperial War Museum - London

Recadinho do governo: quer comer em tempos de guerra? Melhor plantar em casa!
Recadinho do governo: quer comer em tempos de guerra? Melhor plantar em casa! [Não tá fácil pra ninguém, companheiro]
Uma boa parte da exposição é dedicada a mostrar as funções exercidas pelas mulheres no apoio ao lado britânico da guerra. Achei bem legal!
Uma boa parte da exposição é dedicada a mostrar as funções exercidas pelas mulheres no apoio ao lado britânico da guerra. Achei bem legal!
A sua tá fácil? Bom se cuidar, hein? O Hitler não avisa quando vem! =/
A sua tá fácil? Bom se cuidar, hein? O Hitler não avisa quando vem! =/
Dá pra se sentir na casa dos Allpress, não? :) A melhor parte é a mensagem lá no fundo: "a guerra tinha acabado. A gente mal podia acreditar". Para eles, a melhor parte é que a guerra acabou e a família toda resistiu - inclusive os irmãos que representaram o Reino Unido nos campos de batalha.
Dá pra se sentir na casa dos Allpress, não? :) A melhor parte é a mensagem lá no fundo: “a guerra tinha acabado. A gente mal podia acreditar”. Para eles, a melhor parte é que a guerra acabou e a família toda resistiu – inclusive os irmãos que representaram o Reino Unido nos campos de batalha.
aaa
Apesar de a família Allpress ter passado ilesa pela guerra (só em termos de vida, porque de cicatriz emocional com certeza todos foram feridos), outros mais de 60.000 britânicos foram mortos por ataques inimigos; durante o período conhecido como Blitz (informações aqui) 2.25 milhões de pessoas perderam suas casas; 46% das crianças de Londres foram “evacuadas” – ou seja, enviadas para outros cantos do país para que ficassem mais seguras. Há histórias e relatos chocantes dessas crianças na exposição.

Enfim, não tem como não se imaginar na pela dos Allpresses. A família deles podia ser a nossa, e isso torna a compreensão dos fatos muito mais simples. Recomendo muito!

  • Holocaust – como o nome diz, é a exposição que apresenta a história do holocausto e de todo o terror causado por Hitler e sua turma contra judeus e várias outras minorias. É, sem dúvidas, a parte mais pesada do museu – inclusive crianças são aconselhadas a não entrar. Não é permitido fotografar a exposição, mas eu posso garantir que ela é MUITO completa. Estivemos também no museu do Holocausto em Berlim e a exposição do Imperial War Museum é quase tão intensa quanto aquela – que está no lugar onde tudo começou, né? Uma hora, uma hora e meia do seu dia no Imperial War Museum deve ser dedicado à esta exposição.
  • Secret War – explora os temas espionagem, forças especiais e aí por diante, e é muuuito interessante. O que se vê lá é a ação dos 007 da vida real. Porém, o espaço em que ela fica é meio apertado, e como há bastante informação para ser lida ao longo da exposição às vezes acumula um monte de gente em uma “janelinha”, o que dificulta bastante a leitura. Essa exposição por si só ocupa mais de uma hora da visita.

Secret War - Imperial War Museum - London-

Secret War - Imperial War Museum - London

No fim da exposição, esta bandeira do Reino Unido. A importância dela? Ela foi encontrada nos destroços do World Trade Center, em NY, depois do atentado de 11/09/2001. Não tem como não se emocionar...
No fim da exposição, esta bandeira do Reino Unido. A importância dela? Ela foi encontrada nos destroços do World Trade Center, em NY, depois do atentado de 11/09/2001. Não tem como não se emocionar…

Sobre as outras exposições do IWM

Ainda vimos uma exposição fotográfica de guerra e outra que… desculpa, mas não lembro. Já estávamos bem cansados (é bastante informação pra assimilar, e informação pesada, minha gente) e não demos bola pra ela, confesso.  =/

Além disso, estava em cartaz uma exposição paga que, segundo uma das monitoras do museu, era mais voltada pra crianças – Spies: Horrible Stories e alguns tanques, jipes de guerra estavam espalhados pelo prédio do museu. Isso porque normalmente a área central do Imperial War Museum concentra esse tipo de coisa, mas está temporariamente fechada para a reforma que citei no começo do post.

Não vou mentir. Foi meio decepcionante ver os vículos de guerra simplesmente estacionados aqui e ali. Queria que a área central do museu estivesse aberta para ver o jipe do lado do avião, do lado do tanque... Mas, tudo bem. Fica pra próxima! :)
Não vou mentir. Foi meio decepcionante ver os vículos de guerra simplesmente estacionados aqui e ali. Queria que a área central do museu estivesse aberta para ver o jipe do lado do avião, do lado do tanque… Mas, tudo bem. Fica pra próxima! :)

Também não pudemos ver as famosas galerias “Second World War”, que promovem uma experiência sensorial em uma Londres bombardeada. Uma pena. :( 

Imperial War Museum: veredito final

No nosso ranking estelar, o Imperial War Museum de Londres mereceu 4 estrelas!

ranking-estelar-IWM

Por que não 5? Porque estava em reforma, oras. Mas isso não será problema pra você que planeja visitá-lo depois de julho. Afinal, quando ele reabrir no verão deste ano estará já prontiiinho. E aí, meu caro, cinco estrelas com certeza. :)

Só preciso fazer mais algumas observações…

Você deve ter reparado que falei em tempo para ver as exposições, certo? É que para aproveitar ao máximo o museu é preciso ler. E ler muito. Todas as exposições estão muitooo detalhadas em texto. E isso, claro, toma tempo. Então é bom programar umas 3, 4 horas para visitar o Imperial War Museum com calma.

E se você não tem paciência para ler, o melhor talvez seja nem ir ao museu. Ou só ver a parte dos veículos de guerra mesmo. ;)

Gostou e ficou afim de começar a planejar sua visita? Se liga no serviço:

  • Entrada: Gratuita – exceto para algumas exposições pontuais
  • Site: http://www.iwm.org.uk/
  • Horários: das 10h às 18h, diariamente (fechado 24, 25 e 26 de dezembro)
  • Onde fica: Lambeth Road SE1 6HZ
  • Estações de metrô mais próximas: Lambeth North (Bakerloo Line, marrom); Waterloo (Bakerloo – marrom, Northern – preta, Jubilee Line – cinza), Southwark (Jubilee Line – cinza) e Elephant & Castle (Bakerloo – marrom, Northern Line – preta)
  • Nossa sugestão: vá a pé do Big Ben. É uma caminhadinha suuuper gostosa de cerca de 20 minutos. :)


View Larger Map

Bom passeio!

Beijobeijo,

Nah

Assine nossa newsletter!

Eieiei, não vá embora sem antes assinar nossa newsletter. Você vai passar a receber os posts novos do blog por email! ;)

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)

Retrospectiva Pra Ver em Londres 2013

Chegou aquela época do ano em que a gente senta, olha pra trás e analisa o que de melhor e de pior aconteceu nos últimos meses, né?

Pois é, por aqui a gente só tem a agradecer. 2013 foi um mega ano pra nós. Depois de passarmos alguns meses com problemas técnicos no blog voltamos em março com uma nova cara e uma nova proposta. Contamos tudinho neste post.

Depois disso, veio a série sobre nossa lua de mel (que, aliás, ainda não finalizamos – logo, logo tem post novo!), alguns posts sobre Curitiba, a participação especial dos meus dois irmãos – um escrevendo sobre a visita ao estúdio do Harry Potter em Londres e outro sobre o início do campeonato inglês – e da minha amiga Thalita Uba com a série “Act like a local“, que apresentou dicas quentíssimas de quatro belas cidades europeias, e, ainda, a série “O que fazer em Londres esta semana?“, que está parada enquanto estamos por aqui porquené, temos muita coisa pra escrever e a agenda precisa ficar em segundo plano, mas ela logo volta à ativa. Prometemos. :)

Nessa linha de destaques, veio este: Como o home office está nos levando de volta a Londres, post escrito pelo João que conta como conseguimos ser nômades digitais e voltar pra terrinha sem deixar nosso trabalho de lado. Vale a pena ler e se inspirar a seguir seus sonhos…

Os posts mais lidos/comentados do Pra Ver em Londres em 2013

Mas os destaques de 2013 foram estes dois posts:

  • 8 dicas para lidar com a depressão pós-Londres – Ideia que nasceu de um comentário de uma leitora e amiga (oi, Pri! :), este post apresenta algumas sugestões do que fazer para lidar com a maldita tristeza que bate quando a maioria das pessoas volta pra casa depois de uma visita a Londres. Vale a pena ler o post e os comentários da galera. Tem cada maluco… haha

8-dicas-para-lidar-com-a-depressao-pos-londres

  • 5 motivos para você NÃO vir a Londres – Cansada da galera que critica o tempo em Londres, a comida, a cerveja quente, etc., escrevi um post derrubando alguns dos principais motivos apresentados por quem não considera Londres uma cidade tão incrível assim. Pelos comentários dos nossos leitores dá pra ver que eu tenho razão em tudo. haha

5-motivos-para-nao-vir-a-londresMuita gente chegou ao blog por conta desses dois textos e passou a acompanhar nossa temporada Londres 2013/2014 por causa disso. :)

O que essa galera toda viu de melhor de lá pra cá? Acho eu que foi isso:

<3 <3 <3 <3

pra ver em londres - richmond - views6

london-transport-museum-destaque

  • BrewDog em Londres: bem-vindo à revolução cervejeira! – uma das nossas cervejarias preferidas é escocesa e tem três bares em Londres. Sim, tô falando da BrewDog, a cerveja que vai mudar sua visão sobre a bebida feita de malte e lúpulo. Não conhece? Leia o post, entenda por que ela é revolucionária e quando estiver em Londres experimente (ou, se a viagem para cá for demorar para acontecer, procure na sua cidade. Você não vai se arrepender!). Você vai entender o que é cerveja de verdade. Cheers!

brewdog shoreditch

Columbia-Flower-Market-London

  • Covent Garden: um passeio em vídeo – cada vez mais temos tentado levar você com a gente nos passeios que fazemos aqui em Londres. Para isso, temos feito cada vez mais vídeos. O primeiro de todos foi este que mostra pra você um pouquinho de Covent Garden. Curtiu? :)

caovent garden

bus

  • Towpath: café da manhã incrível em Londres – pouco falamos sobre comida aqui no blog. Porém, muito comemos. haha. Muitas indicações vêm por aí, mas enquanto isso fica a nossa sugestão quentíssima de café da manhã em Londres: Towpath. Hummm… <3

A cozinha em um dos toldos, o balcão em outro, uma área com mesas no terceiro. Este é o Towpath. Simples, mas surpreendente. Você já vai ver!

bandeira reino unido

A foto da fachada é do site oficial do pub, porque com quatro malas lá fora a gente não conseguiu fotografar. :)

Foi um bom ano, não foi? :)

Mas o que é melhor é que a gente sabe que 2014 será ainda melhor. E a melhor forma de você acompanhar isso de perto é assinando nossa newsletter e ficando por dentro das novidades em primeira mão. Para isso, basta preencher o formulário abaixo:

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Nos vemos em 2014! :)

Desejamos que seja um excelente ano pra você!

Beijobeijo,
Nah e João.

Richmond: um dos principais pontos turísticos de Londres? (+ vídeo de bônus)

Não, Richmond não é um dos principais pontos turísticos de Londres, mas após ler esse post e assistir o vídeo você vai concordar que ele deveria ser – garanto! =)

O nosso desejo de conhecer o Richmond Park era antigo.

Sempre ouvimos falar que ele era um dos parques mais bonitos da cidade, mas como fica um tanto longe, lá na última parada no lado oeste da District Line (Zona 4), sempre adiávamos.

Por favor não cometa esse erro!

No último sábado finalmente fomos até lá e voltamos já programando uma nova visita.  Com sobras, Richmond entrou na lista dos nossos favoritos em Londres.

A começar pelo bairro

Saímos de casa pensando somente em conhecer o parque, mas não foi fácil…

Achávamos que o parque seria ao lado da estação, mas uma caminhada de uns 30 minutos (cerca de 1,5km) subindo a colina ainda nos reservaria incríveis surpresas.

O centro de Richmond é praticamente uma cidade à parte de Londres. O fato de o bairro ser um pouco distante, mas com paisagens surreais quando você pensa que está em uma das maiores cidades do mundo, fez com que a economia local prosperasse, penso.

Você encontra por lá praticamente todas as grandes e pequenas lojas do varejo londrino, bons restaurantes, supermercados, cinema, artistas de rua e toda aquela atmosfera apaixonante de Londres.

Não é difícil querer morar por ali não, viu…

O mercado de rua que rola aos sábados é bem pequeno, mas incrível! Se você curte uma boa comida de rua vai se deliciar.

Richmond - Farmers Market

Tá vendo que o objetivo inicial de ir até o parque não foi fácil, né?

Mas quando chegamos nessa ponte aí da foto que realmente vimos onde estávamos. E ainda nem tínhamos começado a subir a Richmond Hill, a subidinha que nos levaria ao parque.

pra ver em londres - richmond - principais pontos turísticos de londres

pra ver em londres - richmond - principais pontos turísticos de londres

pra ver em londres - richmond - ponte 3-2

Subindo a Richmond Hill e perdendo o fôlego

Não tenho nada para falar sobre a Richmond Hill. Sério! As fotos da rua que leva ao parque falam por mim…a cada 10 metros que a gente andava o visual incrível das curvas do Thames mudava.

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6

pra ver em londres - richmond - views6
Richmond certamente entraria na lista dos 1000 lugares pra pedalar antes de morrer

pra ver em londres - richmond - views6

O Richmond Park

O Richmond  é o maior parque de Londres e é também uma Reserva Natural que serve de lar para adoráveis veadinhos. Mas há de se ter cuidado. Diversas placas avisam que eles são animais selvagens e que é recomendado manter uma distância de 50m das feras.

Não conseguimos ver nenhum pois chegamos lá um pouco tarde e não pudemos caminhar muito parque adentro.

pra ver em londres - richmond park 4
A placa alertava para que as pessoas não retirem as castanhas do chão, pois elas servem de alimento aos veados no outono e inverno

Merecem destaque no parque, também, a Isabella Plantation, um jardim ornamental, e o Pembroke Lodge, uma mansão que tem um Tea Room, recebe muitos casamentos e parece ter outras belas paisagens do horizonte sobre o Thames. No site do parque você pode ver mais detalhes sobre essas e outras atrações do parque.

No mais, vale considerar alugar uma bike pra otimizar o passeio, já que a área é imensa. Há um serviço de aluguel dentro do parque. Aqui você encontra mais infos.

Bom, informações importantes repassadas eu fico sem mais argumentos. Deixo as fotos e o vídeo que editamos te convencerem a ir até lá, ok?

Garanto que você vai querer sair correndo pra Richmond quando chegar ao fim do post.

Assista o vídeo

pra ver em londres - richmond - sunset

pra ver em londres - richmond park 2

pra ver em londres - richmond park 3

pra ver em londres - richmond - nah joao

Queremos conhecer seu parque favorito em Londres

Aproveitando, qual é o seu parque preferido em Londres? Tem algum fora do circuito tradicional que você adora? A gente já falou sobre o Springfield Park, que fica em Clapton, nossa antiga vizinhança.

Deixa sua sugestão nos comentários que a gente vai adorar conhecer! =)

Ah, as fotos do post foram reunidas em nosso perfil no Google+. A partir de agora vamos manter atualizações por lã também. Não deixe de seguir

Dicas pra aproveitar melhor seu dia em Richmond

  • Vá a Richmond no sábado pra curtir o mercadinho de rua, que é pequeno, mas repleto de delícias. Comidinhas boas e baratas entre 11h e 15h.
  • Reserve algumas boas horas pra curtir o parque, pois ele é imenso.
  • Tem um Sainsburys pertinho da estação. Aproveite pra comprar uns quitutes e fazer um picnic no parque.
  • Considere alugar uma bike