Metrô de Londres: tudo o que você precisa saber

Quando você olha para o mapa do metrô de Londres pela primeira vez é fácil fazer cara feia e achar que você nunca vai entendê-lo. Justo.  O underground é mesmo monstruoso.

São 402 km de trilhos distribuídos entre 270 estações e 11 linhas que cobrem praticamente a cidade toda e transportam mais de 3,5 milhões de pessoas diariamente.

Curiosidade: O tube londrino foi inaugurado em 1863. Lá se vão 152 anos de história. É o mais antigo do mundo!

Pra quem vai a Londres por poucos dias, o metrô é a opção de transporte mais fácil de aprender e a mais rápida para se locomover. A não ser que você goste de pedalar, mas isso é papo pra outra hora.

Então já salva esse link nos seus favoritos porque o post vai ter tudo o que você precisa saber sobre o metrô de Londres. Ah, e relaxa. Na prática, ele é mais simples do que parece.

Pra Ver em Londres - metro de londres - vagão

Oyster Card: seu melhor amigo

A primeira coisa que você deve fazer ao chegar em Londres é comprar o Oyster Card, cartão do transporte público da cidade que pode ser usado não só no metrô, mas em ônibus, trens, DLR (trem de superfície), Thames Clippers (barcos) e no Emirates Air-line (o bondinho). Enfim, em todas as modalidades do transporte público. O Oyster vai agilizar e muito a sua vida. E baratear.

Exemplo: a passagem única para circular por estações na Zona 1 custa £4.80 sem o Oyster. Com o cartão, você paga £2.30. Não vai querer ficar sem ele, vai? =)

metrô de londres - oyster card

Você pode comprar o Oyster por £5 em qualquer estação de metrô (inclusive no aeroporto de Heathrow), trem e nas chamadas “Oyster ticket stops” (link para achar a mais próxima a você no fim do post).

Ah, vale dizer que se você não tiver apego emocional ao seu Oyster, é possível devolvê-lo ao fim da viagem, também em qualquer estação, e recuperar as cinco libras. Que gentileza, não? =)

Curiosidade sobre o Oyster: já foram emitidos mais de 70 milhões de cartões. É o cartão transporte mais popular do mundo!

A tabela abaixo mostra melhor os preços das tarifas (valores de fevereiro de 2015). Atente-se para a diferença de preços no horário de pico (peak) e fora dele (off peak). O horário de pico ocorre apenas de manhã, até às 9h30. No fim do dia não há.

Valores para adultos. Cortei a tabela para mostrar apenas os preços até a zona 3. No fim do post há um link para ver a tabela completa.
Valores para adultos. Cortei a tabela para mostrar apenas os preços até a zona 3. No fim do post há um link para ver a tabela completa.

Pay as you go ou travelcard?

Agora que você já tem o Oyster em mãos é preciso decidir se vai carregá-lo com créditos pré-pagos (pay as you go) ou se compra um pacote para usar livremente por um dia, uma semana ou um mês (travelcards). Sua escolha vai depender, principalmente, do tempo que ficará na cidade.

Dica: se for ficar até cinco dias em Londres e planeja usar bastante o metrô, a melhor opção é carregar o Oyster no sistema pay as you go.

Pra Ver em Londres - metro de londres - westminster

Tarifa máxima de um dia

Atente-se ao campo capping na tabela acima, sinalizado com uma flecha.

O valor que ali está é o máximo será cobrado de seu Oyster por dia se estiver com créditos pay as you go. Pra exemplicar: se você circular apenas entre as Zonas 1 e 2, seu custo máximo com transporte público em Londres será de £6.40 por dia, independente da quantidade de vezes que usar. Reforçando, isso se você estiver no pay as you go.

A partir de seis dias na cidade pode ser mais vantajoso adquirir um 7 day travelcard, que custa £32.10 para as Zonas 1 e 2. Mas isso vale apenas se você for usar o metrô todos os dias. Tem dias, por exemplo, que você talvez circule apenas a pé, para visitar atrações perto de onde está hospedado. Se isso ocorrer e você tiver um 7 day travelcard, você perde dinheiro. Por isso que é bom ter um planejamento prévio dos roteiros que fará em Londres para não desperdiçar preciosas libras.

Você vai ver muitos artistas (chamados de “buskers”) dentro das estações. Em algumas estações, eles ficam em um lugar demarcado (tá vendo o chão?). Propague o bem. Dê uma gorjeta. =)

Entenda as Zonas de Londres

É hora de entender o mapa de Londres. A cidade é dividida por nove zonas circulares. Sendo a Zona um, a mais central, e a nove, a mais distante. O mapa abaixo ajuda a entender melhor. Importante destacar que se você vem a turismo seus passeios vão se concentrar, em sua maioria, nas zonas um e dois.

É bom saber disso porque o preço do metrô aumenta à medida que você se afasta das zonas centrais. Ou seja, não se preocupe em entender as zonas mais distantes. A não ser que você tenha algum motivo específico pra ir ao infinito e além de Londres. =)

mapa do metrô de londres
No fim do post há um link para você baixar esse mapa em pdf

As linhas do metrô de Londres

No mapa acima você está vendo a estrutura das 11 linhas do metrô de Londres, que circulam por 270 estações. São elas:

  • Bakerloo
  • Central
  • Circle
  • District
  • Hammersmith &  City
  • Jubilee
  • Metropolitan
  • Northern
  • Piccadilly
  • Victoria
  • Waterloo & City

Pra Ver em Londres - metro de londres (1 de 1)-16 - rua

Quanto tempo vou esperar por um trem no underground?

Dificilmente você espera mais do que cinco minutos por um trem do metrô em Londres. O giro é muito rápido, mesmo. Às vezes a espera leva pouco mais de um minuto. Salvo dias de greve ou de imprevistos. No fim da noite, na verdade, a frequência diminui um pouco, mas nada grave.

Ah, você sempre consegue saber exatamente quanto tempo vai levar para a chegada do próximo trem. Todas as estações têm sinalizações como esta:

Pra Ver em Londres - metro de londres - plataforma
Esses painéis sempre indicam o tempo restante para a chegada dos próximos trens

6 dicas práticas para andar de metrô em Londres

1 – Se você quiser saber quanto tempo leva para ir de uma estação a outra consulte o site do TfL. Eles têm um simulador. No Google Maps também rola fazer isso. Mão na roda! Links no fim do post.

2 – Em toda estação você pode pegar gratuitamente um mapa de bolso do metrô. Vale carregar sempre um pra qualquer emergência.

3- Não pergunte pelo metro nas ruas – ou corra o risco de ouvir um “ahn”? Use termos como undergound ou tube.

4 – Algumas estações têm Wifi: link no fim do post tem todos os detalhes e condições de uso.

5 – As estações são muito bem sinalizadas. Por mais que algumas, como Bank, sejam gigantescas, dificilmente você irá se perder dentro delas.

6 – Você, SEMPRE, precisa “bater” o Oyster antes de entrar e quando for sair das estações. Na maioria das vezes não tem como esquecer porque obrigatoriamente você passa pela catraca, mas algumas estações não têm catraca. Apenas o ponto do Oyster perto da saída. Se por acaso esquecer, você será cobrado com a tarifa máxima do dia na próxima vez que usar o cartão. Lembre-se disso!

Exemplo de rotas traçadas pelo sistema do Transport for London e pelo Google Maps
Exemplo de rotas traçadas pelo sistema do Transport for London e pelo Google Maps

Horário de funcionamento

Cada linha tem um horário de funcionamento diferente. Algumas começam a funcionar por volta de 4h40, outras a partir de 5h30.

O horário de fechamento também muda em cada linha, mas tome a regra da Cinderela como sua. Deu meia-noite é hora de se preocupar com o último trem. Se não, só amanhã de manhã… 😉

No fim do post tem um link com os horários exatos de cada linha.

Pra Ver em Londres - metro de londres - sloane square

5 dicas de etiqueta britânica para o metrô de Londres

1 – Mind the gap: a linha amarela entre o trem e a plataforma existe para sua segurança e deve ser respeitada.

2 – Antes de embarcar aguarde o desembarque: não tem coisa pior que gente entrando no trem enquanto dezenas de pessoas tentam sair. Espere sua vez.

3– Jamais fique parado do lado esquerdo na escada rolante: outra coisa que irrita profundamente os londrinos. Se não está afim de andar na escada, fique no canto direito e deixe o fluxo seguir livre pela esquerda.

4 – Dentro das estações, siga o fluxo: dá pra comparar as milhares de pessoas que circulam dentro das estações com carros no trânsito. Se um carro para do nada, a probabilidade de um acidente é enorme. O mesmo vale para andar do metrô. Se precisar parar para ver alguma informação ou amarrar o cadarço, procure um cantinho mais calmo.

5 – Deixe o Oyster sempre à mão: não espere chegar na catraca para tirar seu Oyster do bolso. Deixe ele a postos para não empatar a fila. Dica: o Oyster tem o poder mágico de funcionar dentro da carteira. =D Se encostar sua carteira no ponto de entrada ele irá funcionar. Cheers!

Pra Ver em Londres - metro de londres - keep right

Como economizar no metrô de Londres

* Organize seus roteiros previamente: Um pouco de planejamento não faz mal pra ninguém. Simule as rotas que fará a cada dia no site do Tfl ou Google Maps sempre que possível. Isso vai te possibilitar fazer um cálculo prévio de quanto vai gastar com transporte público.

* Saiba que é improvável ir além da Zona 2: se você está viajando para fazer turismo em Londres, ou seja, vai ficar poucos dias, sugiro adquirir passes para as Zonas 1 e 2 porque a grande maioria das atrações está ali. Mas se perceber que um de seus passeios é na Zona 3 (Wimbledon, por exemplo) ou Zona 4 (como Richmond Park e Kew Gardens), não se preocupe. Apenas carregue seu Oyster com o valor para ir e vir dessas Zonas no pay as you go. O Oyster fará a leitura automaticamente e você poderá fazer sua viagem sem se preocupar.

* Entenda sua rotina: se você está indo fazer intercâmbio em Londres, trabalhar ou passar alguns meses, a melhor coisa a fazer é ficar com o pay as you go por um tempo até que entenda bem as distâncias e crie uma rotina. Assim, poderá avaliar qual é a melhor opção para economizar.

* Criança de até 10 anos não paga: desde que acompanhada por um responsável. Sempre tenha um documento do pequeno em mãos para evitar transtornos.

* Menores de 18 anos têm desconto: os valores variam de acordo com a idade. No fim do post tem um link com as tabelas de preços.

 * Se você vai estudar em Londres, comemore: estudantes pagam preços bem mais camaradas. As tarifas estão no fim do post.

Pra Ver em Londres - metro de londres - desembarque

Apps que são uma mão na roda

Tube Map – London Underground: além de servir como mapa, mostra o status de cada linha, horários de funcionamento, dentre outras funções. Bem útil!

Citty Mapper: excelente planejador de rotas. Você digita o ponto de origem e chegada e ele mostra todas as possibilidades. Não só via metrô, mas ônibus, trem, DLR, Clippers, bicicleta e até táxi. Tem até rotas para fugir da chuva. Ah, e ele ainda diz quanto cada opção vai custar. Baixa aí que não tem como se perder com ele.

Google Maps: você pode usá-lo como planejador de rotas de qualquer modal de transporte público de Londres. Basta inserir endereço ou nome da estações que ele mostra os caminhos.

Quer conhecer mais apps pra te ajudar na viagem a Londres? Leia esse post.

Pra Ver em Londres - metro de londres - mind the gap

Quer ver mais fotos?

Reuni em nosso perfil no Google+ todas as fotos que estão aqui e várias outras exclusivas. Acompanha a gente por lá também! =)

Pra Ver em Londres - metro de londres - oxford circus

E que tal um vídeo mostrando como colocar créditos no Oyster?

A gente gravou um vídeo pra explicar como você faz para carrregar seu Oyster Card nas máquinas de atendimento automático. Olha como é fácil…e depois da explicação você ainda vai dar uma volta de underground com a gente.

Aproveito pra deixar aqui mais um vídeo que mostra a sensação de sair da estação de metrô de Westminster e dar de cara com ele, o Big Ben:

Links úteis para entender melhor o metrô de Londres

Pra Ver em Londres - metro de londres - joao e nah

Ficou com alguma dúvida?

Eu  tentei reunir aqui tudo o que você precisa saber pra se virar com o metrô em Londres, mas se por acaso faltou algo, se você teve alguma dúvida ou mesmo se tem uma dica extra, comenta aí. Vamos ajudar mais pessoas! =)

Referências

* Transport for London

* Livro The Tube – station to station on th London Underground – Oliver Green 

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







 

Custo de vida em Londres: (quase) tudo que você precisa saber sobre aluguel

Dando continuidade à série sobre custo de vida em Londres hoje a pauta é o mais temido item: o aluguel.

Já falamos aqui sobre os preços de supermercado caso tenha perdido o post.

aluguel em londres
Essa é a última casa que moramos em Londres. Arquitetura típica.

Custo de vida em Londres: dados de mercado

No ranking das cidades mas caras do mundo para se alugar ou comprar imóveis Londres só perde para Mônaco. Só. A informação é do Global Property Guide, site voltado a investidores interessados em comprar imóveis no exterior.

Pra você ter uma ideia do drama, a renda per capita no principado é de humildes 150 mil dólares, contra 36 mil dólares no Reino Unido. Um tanto injusto, não? Só pra ferrar a comparação ainda mais: no Brasil, choremos, o rendimento médio da população chega a pouco mais de 11 mil doletas. Dados do Index Mundi.

Estatísticas do Office for National Statistics, o IBGE do Reino Unido, apontam que os preços de aluguel em Londres chegam a subir até três vezes mais rápido do que em outras regiões do Reino Unido. Essa matéria do The Evening Standard, jornal que circula gratuitamente na hora da volta pra casa vai fundo na questão do aluguel. Vale a leitura se você estiver interessado em entender melhor a dinâmica do mercado.

the evening standard
‘Free Standard’ é o que os entregadores anunciam nas entradas do metrô. Este, na City.

Pelo seu bem, esqueça a conversão da moeda

A LSL Property Services, grupo que detém diversas marcas do mercado imobiliário britânico afirma que a média mensal de aluguel em Londres era de £743 em agosto passado.

O preço assusta, em especial se você pensa (e ganha) em real. O preço médio de £743 seria de R$ 3083 na cotação de hoje, 18/03/2014, quando a libra segue a R$ 4,15.

Mas se, por exemplo, você reside em Londres há uns bons anos, tem uma carreira construída ou um emprego seguro que lhe pague um bom salário o cenário muda.

Afinal, dessa forma você é 100% parte da engrenagem da economia local, com seus prós e contras.

Reflitamos: o aluguel pode ser caro, mas se em troca você tiver uma inflação sob controle, juros baixos, segurança para ir e vir e bons serviços públicos…a conta pode fechar, não?

aluguel em londres - canary wharf

Quanto custa o aluguel em Londres

Não quero dar respostas evasivas, mas isso é muito relativo. Vai depender, antes de mais nada, do que você quer.

Se está buscando um quarto para dividir a casa com outras pessoas considere um valor médio de £400 e £700. Você pode encontrar por menos e mais, claro. Mas essa é uma boa referência para um bairro legal na Zona 2, área central e com boas conexões.

O mapa do metrô de Londres mostra bem como funciona o sistema de zonas da cidade. A Zona 1 começa no miolo da cidade. As zonas mais distantes ficam na parte externa.
O mapa do metrô de Londres mostra bem como funciona o sistema de zonas da cidade. A Zona 1 começa no miolo da cidade. As zonas mais distantes ficam na parte externa

Se você está buscando um studio ou flat os valores podem oscilar de forma absurda. Eu sou meio ratão de imobiliária, gosto de acompanhar os preços do mercado imobiliário. Acho que é um misto de curiosidade jornalística com o fato de meu primeiro emprego ter sido office boy de imobiliária.

A diferença pode soar bruta, mas algo entre £900 e £1500 podem lhe render uma moradia interessante/muito legal em um bom bairro. Repito, tudo é relativo.

Se você puder bancar um valor superior vai encontrar lugares incríveis por valores ainda mais incríveis como também vai encontrar algumas pechinchas, provavelmente em bairros mais afastados e apartamentos mais simples.

A melhor dica pra você entender o preço do aluguel em Londres

O Rent Barometer reúne preços de apartamentos separados por bairro e tamanho: de studios a apês de cinco quartos. E pode confiar porque eu fiz a lição de casa. Os valores estão realmente dentro da realidade.

aluguel em londres - notting hill
Que tal morar em uma casa colorida em Notting Hill?

Sites para aluguel em Londres

Gumtree: é o site mais popular do Reino Unido. Tem uma oferta gigante de quartos e flats como também tudo o mais que você possa imaginar. O legal dele é que você vai encontrar muitos anúncios de pessoas e não só de agências, que tendem a ser mais burocráticas. O lado negativo é que golpes não são raros no Gumtree. Mas, vale o de sempre: fique atento e desconfie de ofertas boas demais para serem verdade. No mais, Gumtree é ótimo.

SpareRoom: melhor opção se você procura um quarto. Reúne anúncios de gente buscando e oferecendo flatmates. Tem de tudo ali. Foi por lá que encontramos nossa última casa em Londres. Vale dizer que você tem a opção de pagar por um serviço premium que dá direito a ver anúncios com prioridade e entrar em contato direto com os locadores. Custa £7 por semana. Nós usamos e nos ajudou muito.

Foxtons: tem uma ótima oferta em todas as áreas da cidade, o sistema de buscas é muito bom, os apês são na maioria bons, tem ótimas fotos e você pode filtrar a busca por longo prazo (12 meses) e curto prazo (até seis meses). O lado ruim é que os preços dos imóveis são mais caros que outros.

Rightmove: muita gente nos recomendou esse site. Ele é bacana porque reúne um pouco de tudo. Ofertas de flatshare e aluguéis de studios e flats de diversas imobiliárias e por preços mais acessíveis que o Foxtons.

Zoopla: bem parecido com o Righmove. Vale dar uma olhada para tentar achar outras opções, mas muitos agentes acabam se repetindo nos sites.

aluguel em londres - bairro
Um fim de tarde em Blackheath, região de Greenwich

Esses sites já vão ajudar bastante em sua busca. No mais, se você já sabe em que bairro quer morar uma boa dica é caminhar por ele e entrar nas imobiliárias. Todo bairro tem algumas que são bem parecidas como a da foto abaixo. Nunca testamos, mas certamente é uma boa opção se você já tem uma ideia de região que quer. E se você já teve uma experiência com esses agentes por favor comenta ali pra ajudar outros leitores, combinado?

aluguel em londres - imobiliária
Você vai ver pequenas imobiliárias como essa aos montes em praticamente todos os bairros.

Aluguel temporário em Londres

Tem crescido muito a demanda de pessoas interessadas em trocar hotéis por apartamentos para ficar alguns poucos dias em uma cidade. A gente mesmo adora. Já vivemos bons momentos e encontramos bons preços no AirBnb.

Nele você entra em contato com o proprietário e negocia diretamente com ele uma estada de dois, cinco, 30 dias ou mais. O site cobra uma comissão que varia de 6% a 12% do valor do aluguel.

Já usamos o site para ficar em Berlim e Roma e nos demos muito bem. O Wimdu é uma opção parecida. Não testamos, mas vale dar uma olhada.

aluguel em londres - casa barco
Em Londres você também pode morar em uma casa barco no Regent’s Canal.

Você tem uma dica?

Essas informações que você leu vão te dar um norte para achar seu lar definitivo ou temporário aqui em Londres.

 Mas como aluguel é um tema complexo que sempre levanta muitas dúvidas se você tiver alguma dica que não dei aqui por favor conta sua história nos comentários. Você pode ajudar outras pessoas!

 Estamos combinados? =)

Ah, e se você ainda não está na nossa lista de e-mails, aproveita: Novidades em primeira mão e surpresas exclusivas que estamos preparando! =)

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Custo de vida em Londres: os melhores supermercados e preços de diversos itens

Há algumas semanas saiu uma notícia que colocou Londres no topo das cidades mais caras do mundo bombou na mídia. A triste realidade surgiu a partir de um estudo do Expatistan, site que compara o custo de vida em mais de 1.500 cidades ao redor do globo. O Top 5 das mais caras ficou assim:

  1. Londres
  2. Oslo
  3. Genebra
  4. Zurique
  5. Nova Iorque

Os dados do Expatistan são formulados a partir de um crowdsourcing. Ou seja, são os próprios moradores das cidades que indicam os preços.

Fiz uma análise na página de Londres. Lá são reunidas informações sobre o preço de itens, como: alimentação, aluguel, internet, roupas, eletrônicos, transporte, higiene pessoal e lazer.

Por ali dá pra ter uma boa ideia sobre o custo de vida em Londres. E adianto que dá pra confiar na maioria deles. Os números representam bem a realidade. Se joga lá porque vai ajudar muito em seu planejamento.

custo de vida em londres

Mini guias sobre o custo de vida em Londres

Inspirados no Expatistan vamos publicar nas próximas semanas uma série de posts que trarão mini guias sobre o custo de vida em Londres. O primeiro é sobre supermercados.

Os preços listados abaixo são referentes a produtos que a gente costuma comprar. Na média, dá pra dizer que um casal consegue se virar bem gastando entre 50 e 80 libras por semana com alimentação, higiene pessoal, produtos de limpeza… enfim, coisas básicas para o dia a dia.

Mas, por favor, tome isso como uma referência e não como verdade absoluta, pois falar sobre custo de vida é um tanto delicado e MUITO relativo! Cada um tem um padrão de vida, rotinas e hábitos alimentares.

Exemplos:

  • A gente gasta uma quantia razoável com vinhos e cervejas, mas talvez esses itens não entrem na sua conta.
  • Por trabalharmos em casa almoçamos e jantamos em casa na maioria das vezes, o que não é muito comum para quem trabalha fora.
  • Suco natural pode custar até 3x mais que o industrializado
  • A marca A custa bem mais caro que a marca do mercado e por aí vai.

Mas vamos lá!

custo de vida em londres - supemercados 7

Preço de itens básicos em fevereiro de 2014

*a maioria dos itens considera o preço dos mercados Asda e The Cooperative Food

Carnes

  • 1 kg de frango: 6 libras
  • 1 kg de alcatra brasileira: 11 libras (açougue brasileiro!)
  • 1 kg de picanha brasileira: 15 libras
  • 1 kg de salmão: 20 libras
  • 1 kg de porco: 5 libras

Massas

  • Macarrão (500g): 1,30 libras
  • Molhos diversos: 1,50 libras
  • Pizza congelada: 3,00 libras

Verduras/Legumes

  • Brocolis (unidade): 1,00 libras
  • Tomate (kg): 1,50 libras
  • Berinjela (unidade): 0,75 libras
  • Beterraba (200g): 0,95 libras
  • Couve Flor (unidade): 1,20 libras
  • Cebola (kg): 0,90 libras

Frutas

  • Banana (kg): 0,68 libras
  • Limão siciliano (unidade): 0,30 libras
  • Maçã (kg): 2,00 libras
  • Laranja (kg) 2,00 libras
  • Morango (400g): 3,00 libras
  • Uva (300g) 3,00 libras

* Dica: compre frutas/verduras/legumes em feiras de bairro. Os preços são BEM melhores

custo de vida em londres - supemercados 3

Café da manhã

  • Leite (1L): 1,00 libras
  • Queijo (200g): 2,00 libras
  • Granola (500g) 3,00 libras
  • Margarina (500g): 2,00 libras
  • Presunto de Parma: 2,00 libras
  • Iogurte (6 unidades): 2,70 libras
  • Leite de Soja (1L): 1,20 libras
  • Suco de Laranja natural (1L): 2,00 libras
  • Café (500g): 3,00 libras

Higiene pessoal

  • Sabonete líquido (300ml): 1,00 libras
  • Sabonete Dove (4 unidades): 2,50 libras
  • Shampoo Head & Shoulders (500ml): 5,00 libras
  • Desodorante Nivea (150ml): 2,00 libras
  • Pasta de dente Colgate (75ml) 2,20 libras

Bebidas

  • Cerveja Lager: 1,10 libras
  • Cerveja Ale: 2,00 libras
  • Vinho: 8,00 libras
  • Coca-Cola (1,5L): 1,00 libras

Diversos

  • Azeite de oliva (400ml): 4,00 libras
  • Chá Twinnings: 1,50 libras
  • Ovos (6 unidades): 2,00 libras
  • Tomate seco: 1,50 libras
  • Biscoito recheado: 1,50 libras
  • Pringles: 1,50 libras
  • Chocolate Cadbury (360g): 3,50 libras

Os valores servem de referência, mas você vai encontrar algumas coisas mais caras e outras mais baratas.

custo de vida em londres - supemercados 5
As marcas próprias dos mercados têm preços excelentes. Algumas coisas têm qualidade questionável, mas a maioria vale a pena

Quer saber mais preços?

Reuni aqui apenas alguns itens, mas se quiser saber mais preços uma boa dica é acessar os próprios sites dos supermercados. Antes de vir pra Londres eu simulei uma compra no Asda e já consegui ter uma ideia de quanto iria gastar mensalmente.

Deu certo. O orçamento que eu fiz antes de vir está bem próximo do que temos gastado. Essa é uma boa dica para ajudar a planejar suas finanças em Londres ou em qualquer outra cidade.

Os melhores supermercados de Londres

A oferta é ampla e os perfis dos mercados diferentes. A gente vai muito no The Cooperative Food, pois tem um a 3 quadras de casa.

O Coop tem um monte de pequenas lojas espalhadas pela cidade. Não compensa para grandes compras, pois os preços são um tanto mais altos que os dos grandes supermercados, mas quebra um galho no dia a dia.

Outra vantagem dele e de outros pequenos mercados como o Tesco Express e Sainburys Local é que apesar do preço mais alto você não perde o foco da lista que tem que comprar.

Falo isso porque sempre que vamos num mercado grande acabamos compramos muita bobagem além do que precisamos. Tem que ter disciplina militar pra não fazer isso! 😉

custo de vida em londres - supemercados 4

O nosso supermercado preferido

*UPDATE EM 24/02/2016: O favorito passou a ser o Lidl, que não tem tantas lojas na cidade como as grandes redes, mas ainda assim é relativamente fácil de ser encontrado. É, hoje digo com certeza, o que tem os melhores preços. Ele vende marcas alternativas, mas de qualidade, a preços mais atrativos.

Gostamos muito do Asda. O preço é geralmente melhor, sempre há ofertas “pague 1, leve 2” e grandes descontos em produtos prestes a expirar. O leque de produtos com a marca deles também é grande e os preços  são MUITO bons.

Também gostamos de ir no Tesco, que tem um perfil semelhante ao do Asda, algumas marcas diferentes, mas preços sutilmente mais altos.

Há ainda o Sainsburys e Morrisons. A gente costumava ir nesses em nossa outra passagem por aqui em 2010 porque eram os mais perto de casa, mas o Asda continua nos parecendo a melhor opção.

Se você tem uma experiência diferente, uma dica que não demos aqui deixa por favor compartilha com os leitores.

Toda informação que ajude a salvar uns preciosos pounds é sempre bem-vinda. =)

Mercados gourmet e de alimentação saudável

No mais, se você procura itens mais gourmet corre pro Marks & Spencer, Waitrose ou Borough Market, um dos meus lugares favoritos em Londres! Já na linha saudável, o Whole Foods e a Holland & Barrett, que é mais uma loja de conveniência do que um mercado, cumprem muito bem essa função.

custo de vida em londres - supemercados 1

O que mais você quer saber sobre custo de vida em Londres?

Temos alguns temas para explorar futuramente a respeito de preços. Mas se tem algo que você quer saber diz aí que a gente conta em um próximo post!

Até lá!

 

Assine nossa newsletter!

Assine nossa newsletter e receba novidades!

Digite seu nome e e-mail. Você receberá um pedido para efetivar o cadastro. =)







Trabalho em Londres e o que fazemos para nos manter

Alguns leitores já nos perguntaram sobre trabalho e como fazemos para nos manter. Já escrevi aqui que é complicado sobreviver somente com o emprego que arranjar em Londres, já que o visto atual permite apenas 10h semanais de trabalho para quem vem com visto de estudante para cursos de longa duração (mais de três meses). Para quem vem com visto de curso de curta duração, nem trabalhar é possível.

UPDATE EM 14/02/2013: hoje em dia NENHUM VISTO DE ESTUDANTE PARA CURSOS DE CURTA TEMPORADA PERMITE TRABALHO. Nem as míseras dez horas. A informação do primeiro parágrafo dizia respeito à lei vigente em 2010. Atualmente, apenas os estudantes que vêm para fazer pós-graduação, MBA, Mestrado ou Doutorado têm esse direito.

LEMBRANDO: INFORMAÇÕES DE 2010 E REFERENTES A UM ESTILO DE VIDA DE ESTUDANTE QUE CONTA MOEDAS PRA COMPRAR PÃO

  • Aluguel de um quarto para casal na zona 2: £600/mês;
  • Transporte: £69,20/mês (para transitar livremente entre as Zonas 1 e 2 com o Oyster Card para estudantes) – UPDATE: para ter sempre as informações de custos de transporte atualizadas clique aqui;
  • Alimentação: £50/mês (fazendo comida em casa, porque comer fora é caríssimo – UPDATE: comprávamos sempre no Morrison’s – que, na época, era o mais perto de casa – além disso, comprávamos sempre comidas da marca do mercado. SIM, vivíamos com mais ou menos £50 por mês de mercado. E a gente JURA que não passava fome. 🙂.
  • Total: £719,20

Esse é o custo básico do básico para um estudante que economiza tudo o que pode. Lembre-se que ainda precisará se divertir e pagar outras contas. Hoje, em 2016, morando em um apartamento só nosso, comendo melhor e nos divertindo mais, o custo aumentou bastante comparado a esse.

Dicas extras sobre custo de vida em Londres

Custo de vida em Londres: (quase) tudo que você precisa saber sobre aluguel

Custo de vida em Londres: os melhores supermercados e preços de diversos itens

O que nós fazemos

Olha aí o "escritório" do João na nossa casinha londrina...
Olha aí o “escritório” do João na nossa casinha londrina…

Nós temos o que pra muita gente que mora aqui é um privilégio. Somos jornalistas e mantivemos os trabalhos que tínhamos no Brasil. Eu na área de assessoria de imprensa e a Nah como redatora.

Como já fazíamos home-office no Brasil, só tivemos que exportar nosso escritório e lidar com o fuso horário. Este sim, muito complicado. Nosso maior inimigo, arrisco dizer, já que estamos 4h adiantados do Brasil e temos que trabalhar diariamente até às 22h daqui (18h do Brasil).

Fora os nossos trabalhos convencionais estamos sempre em busca de freelances para complementar nossa renda. Afinal, não existe palavra que jornalista goste mais do que freela.

Até agora conseguimos alguns trabalhos para revistas feitas por brasileiros para brasileiros que vivem em Londres. Trabalhamos com a Leros e a Real. Vale conhecer as publicações.

Fora isso, estamos sempre em contato com veículos de comunicação do Brasil sugerindo pautas que possamos cumprir daqui. Essa é uma das vantagens do Jornalismo.

Apesar de dificilmente você ver algum jornalista rico, a profissão permite essa flexibilidade de tempo e espaço de trabalho.

Fica aí a dica. Se você tem vontade de viajar por um tempo e trabalha em alguma área que não exija que bata cartão na sede da empresa todos os dias, pense seriamente sobre a possibilidade de se jogar no mundo. Só não se esqueça de que ninguém virá até você pra oferecer trabalho. Portanto, cuide bem do networking.

Feito isso é só escolher o destino e se mandar!

Londres é mesmo uma das cidades mais caras do mundo?

É comum ouvir que Londres é uma das cidades mais caras do mundo e que tudo por aqui é caro. Longe de nós querer discordar disso, até porque sabemos muito bem a dureza que é pagar o aluguel, usar o transporte público, comer em restaurantes, etc. etc. etc.

Mas uma pesquisa promovida pelo banco suíço UBS derrubou esse mito. A instituição fez um levantamento comparando preços de 122 produtos e serviços de 73 cidades do mundo.

O portal Exame publicou dados de oito produtos/serviços e em nenhum deles Londres aparece como uma das cidades mais caras.

A explicação para isso vem da crise econômica de 2008 e do efeito devastador que teve sobre algumas moedas. O pound sofreu (e muito) de lá pra cá e isso barateou um pouco as coisas por aqui.

(Des)valorização da libra esterlina em comparação com o Real nos últimos três anos

Reflexo da crise global: moedas dos países emergentes ganham força.
Reflexo da crise global: moedas dos países emergentes ganham força.

Fonte: advfn.com.br

Confira o ranking e repare o que ela fez com Londres de um ano para outro

Rank 2009 Rank 2008 Cities
1 2 Oslo
2 6 Zurich
3 4 Copenhagen
4 7 Geneva
5 8 Tokyo
6 5 New York
7 9 Helsinki
8 13 Vienna
9 10 Paris
10 3 Dublin
11 15 Munich
12 40 Caracas
13 16 Frankfurt
14 11 Luxembourg
15 21 Los Angeles
16 12 Stockholm
17 23 Rome
18 28 Lyon
19 34 Dubai
20 19 Brussels
21 1 London

Fonte: UBS

Clique aqui para ver a lista completa.

Importante ressaltar que esse post vale mais como curiosidade do que como motivo para você se alegrar e correr pra cá porque está tudo barato.

Não se esqueça que somos brasileiros!

Por mais que nossa economia esteja melhorando, que nunca na história desse país fomos tão bem vistos pelo mundo, que o futuro chegou e blábláblá, ainda precisamos de quase R$3 para ter 1£.

Portanto, planeje bem sua viagem ou vá para Mumbai – última colocada no ranking do UBS.

😉

Bom domingo!

 

UPDATE EM 19/02/2013 – De 2010 para cá muita coisa mudou. A libra voltou a se valorizar em relação ao real, o que complica em termos de conversão de moeda. E, é claro, custos básicos de vida também subiram – em algum lugar é diferente? Mas, se serve de consolo, Londres continua fora da lista das 10 cidades mais caras do mundo, como você pode ver clicando aqui.


Quantas libras por mês um estudante precisa para sobreviver em Londres?

Fazer uma viagem internacional pra estudar exige muito planejamento, principalmente quando o destino é um país que gosta de complicar a vida dos estudantes que pensam em trabalhar para bancar sua sobrevivência – como é o caso do Reino Unido.

Para se ter uma ideia, até o início de 2010 um estudante podia trabalhar legalmente em Londres por 20 horas/semana. Mas em fevereiro o governo britânico reduziu a carga para míseras 10 horas (UPDATE EM 27/02/2013: Hoje, o visto de estudante NÃO permite trabalho. Nem uma horinha!). E a tendência é que isso piore ainda mais.

Recém eleito primeiro-ministro, David Cameron declarou inúmeras vezes durante sua campanha que iria apertar ainda mais o cerco contra a imigração. Ou seja, em hipótese alguma pense em vir com pouca grana porque “lá eu arrumo alguma coisa pra me manter”.

Não vou entrar no assunto dos trabalhos ilegais porque esse não é o objetivo do Pra Ver em Londres. É melhor deixar o jeitinho brasileiro do outro lado do Atlântico.

O salário mínimo no UK varia conforme a idade. Vamos aos números.:

VALORES DE 2010:

  • Menores de 18 anos: £3,57/hora
  • De 18 a 21 anos: £4,83/hora
  • A partir de 22 anos: £5,80/hora

VALORES DE 2013:

  • Menores de 18 anos: £3,68/hora
  • De 18 a 20 anos: £4,98/hora
  • A partir de 22 anos: £6,19/hora
  • Aprendizes de até 19 anos ou com 19 anos em seu primeiro ano: £2,65/hora

Com qualquer emprego que estudantes costumam pegar (faxineiro(a), auxiliar de cozinha, garçom/garçonete, panfleteiro(a), babá, etc) você dificilmente vai ganhar muito mais do que o mínimo.

Cenário realista (baseado na vida em Londres em 2010, quando estudantes podiam trabalhar legalmente!):

Digamos que você tenha 22 anos, consiga um emprego (isso não é tão fácil quanto muitos imaginam) e ganhe £6 por hora.

  • 1 semana = 70 libras
  • 1 mês = 240 libras

O que você consegue fazer com esse dinheiro

A moradia em Londres é caríssima. Por um quarto na Zona 2 (próximo ao centro) você paga o preço que pagaria pelo aluguel de um apartamento de dois quartos numa região central de qualquer cidade brasileira.

Os mais baratos custaram a partir de £50 por semana (por cabeça, em uma casa dividida com outras pessoas) – mas são verdadeiras espeluncas. O mais provável é que encontre uma moradia digna (de novo, em uma casa dividida!) na faixa dos £70 a £90 por semana.

DICA: Os melhores sites para encontrar sua casa são o Gumtree, o Starsflats e o SpareRoom. A revista Leros também tem uma área interessante para procurar quartos. Não perca tempo em outros porque em algum dos dois você vai achar algo interessante.

Não preciso nem dizer que seu salário já foi, não é? E você ainda não comeu e nem se locomoveu. Sentiu o drama?

Pois bem. Se você não tiver um “Paitrocínio Platinum”, comece a guardar dinheiro muito antes de viajar, porque por mais que consiga trabalhar legalmente, será impossível se manter. (Lembre-se: em 2013, com visto de estudante, NADA de trabalho legal!)

Se não se planejar terá que usar a criatividade pra descolar uma grana
Se não se planejar terá que usar a criatividade pra descolar uma grana

Os custos mensais na ponta do lápis

Vou apresentar os números com base no que estamos gastando (2010!) – isso inclui um bom quarto na Zona 2 e comida comprada no supermercado e feita em casa.

O cenário é o seguinte:

  • Aluguel: £300/mês por cabeça, em uma casa dividida;
  • Transporte: £69,20/mês (para transitar livremente entre as Zonas 1 e 2 com o Oyster Card para estudantes) UPDATE: Clique aqui para ver os valores atualizados do transporte;
  • Alimentação: £50/mês (fazendo comida em casa, porque comer fora é caríssimo) UPDATE: a gente comprava no Morrison’s e na maior parte das vezes comprava a comida do próprio mercado. Que era mais barata. E mesmo assim era de qualidade! Não vivíamos a pão e água. Garantimos! 😉

Somente para dormir, comer e se locomover você já gastou £419,20. Agora pense que você está em Londres. O apelo ao consumo é muito forte. Seja para conhecer as atrações turísticas, ir a eventos culturais , fazer compras, tomar umas pints em algum pub e viajar para outras cidades ou países.

Não recomendo que você venha sem ter (no mínimo) £700 libras por mês – cerca de 2100 reais. Com esse dinheiro você consegue viver bem e ainda contar com alguns pequenos luxos.

Nos próximos posts vou falar sobre quanto, em média, você gasta no pré-viagem: curso de inglês, passagem, visto, traduções, etc.

Até lá.

 

PS: Como este blog é pessoal, utilizamos como base para estes números os NOSSOS gastos. Não somos pessoas consumistas, vivemos bem com pouco e somos felizes assim. Leve isso em consideração na hora da leitura, ok? 🙂